Quinta-Feira, 03 de Outubro de 2019 - 17:48 (Eventos)

L
LIVRE

DESEMBARGADOR PIONEIRO RECEBE TÍTULO DE 'CIDADÃO HONORÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA'

A sessão solene apresentou fotografias do acervo da família do desembargador Renato Mimessi que foi surpreendido com um depoimento do filho, Renato Martins Mimessi Filho.


Imprimir página

Um dos primeiros magistrados a ser empossado no Poder Judiciário do Estado de Rondônia, o desembargador Renato Martins Mimessi, foi contemplado com a mais alta comenda do Poder Legislativo. O magistrado recebeu a comenda honorífica das mãos do presidente da Casa de Leis, deputado estadual Laerte Gomes – propositor da homenagem.

A sessão solene apresentou fotografias do acervo da família do desembargador Renato Mimessi que foi surpreendido com um depoimento do filho, Renato Martins Mimessi Filho. Após a apresentação, o juiz Danilo Augusto Kanthack Paccini, tomou a palavra. "Inicio falando do senhor desembargador Renato Martins Mimessi que os senhores conhecem pela seriedade e serenidade no espírito público, domínio técnico e sensibilidade humana na condução dos casos que lhe chegam para julgamentos", o juiz da 4ª Vara de Família da comarca de Porto Velho relembrou toda a trajetória do desembargador homenageado desde quando ingressou na magistratura ao ser aprovado no primeiro concurso público para juiz substituto em Rondônia, no longínquo ano de 1982 até o desenvolvimento de projetos sociais como o acolhimento de moradores de rua e a recuperação de viciados em álcool e drogas.

Quem também se emocionou com a homenagem foi o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, desembargador Walter Waltenberg da Silva Júnior, pois ambos chegaram na mesma época a Rondônia, quando se preparavam juntos para ingressar na magistratura. "Eu vinha para Porto Velho visitar o meu pai, mas antes passava na casa do Renato para dar um abraço, conversar ou trocar algumas ideias e buscar inspiração. Parece que deu certo porque a minha carreira fluiu", destaca o presidente do TJRO, que ainda acrescenta, "muito me admira a sua elegância e ponderação que sempre está presenta nas suas manifestações jurídicas e administrativas".

O governador do Estado de Rondônia, Marcos Rocha, mencionou uma particularidade. "Muitos não sabem, mas nós congregamos juntos em uma Igreja, não sabia que ele era juiz e lembro dele sempre dando bons conselhos, orientando a todas as pessoas. Ele também deu bons conselhos durante a minha carreira, como um amigo e não como um desembargador. Eu me sinto muito honrado por ver o senhor sendo homenageado para algo tão importante que é ser cidadão de Rondônia. Isso é maravilhoso para alguém que está dedicando grande parte da vida ao nosso Estado", declarou.

O autor da proposta de outorga da honraria, deputado estadual Laerte Gomes, ressaltou as qualidades e virtudes do desembargador Renato Mimessi, na condição de juiz de direito e desembargador. O presidente da Assembleia Legislativa também evidenciou que o desembargador homenageado detém uma sensibilidade genuína em relação à alma humana, conserva e pratica o sentimento e apreço à gratidão, declinando sempre uma atenção especial às pessoas que procuram, independentemente da condição social.

"É incontestavelmente o reconhecimento de trajetória vitoriosa, digna e honrada. Faz enobrecer ainda mais esse diploma que recebe. Demonstra-se o amor por essa terra, por essa gente, por esse rincão e destes destemidos pioneiros como diz os Céus de Rondônia. O mérito do título honorífico de Rondônia são frutos de perseverança, persistência, empenho pessoal, planejamento de ações, decisões firmes e bem coordenadas", avaliou o representante do Poder Legislativo.

E por fim, o magistrado contemplado com a honraria agradeceu em tom poético a concessão do título. "O presente que recebo da Casa do Povo é tão grandioso e significativo que fiquei pensando por muito tempo em uma forma de fazê-lo (o discurso). Poderia simplificar a dizer apenas muito obrigado. Acrescentar alguns enfeites ou firulas e estaria cumprindo o meu dever social e muitos aqui presentes ainda se alegrariam por tê-los poupados de um discurso longo e maçante, enquanto outros poderiam se sentir decepcionados e concluir que minha objetividade passou de pouco caso da minha parte", proferiu o magistrado que recorreu aos versículos bíblicos na passagem de Rute 2 19:20 para completar os agradecimentos.

Natural de Assis, no interior de São Paulo, o desembargador Renato Martins Mimessi se tornou o mais jovem juiz do Brasil, ao ser empossado com apenas 26 anos de idade, depois de ser aprovado no primeiro concurso para magistratura de Rondônia em 1982. Atualmente compõe a 2ª Câmara Especial, mas exerceu a judicatura na comarca de Cacoal e nas Varas Cível e da Fazenda Pública, Falências e Concordatas de Porto Velho.

O presidente da Ameron, desembargador Alexandre Miguel também prestigiou a sessão solene. Estiveram presentes ainda os desembargadores José Jorge Ribeiro da Luz; Valdeci Castellar Citon; Roosevelt Queiroz Costa. Paulo Kiyochi Mori; Marcos Alaor Diniz Grangeia; Eurico Montenegro Júnior; e ainda os juízes Carlos Negreiros; Francisco Borges e Rinaldo Forti.

 

.

Fonte: Marco Sales - Assessoria de Comunicação/Ameron

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias