Quinta-Feira, 09 de Janeiro de 2020 - 14:14 (Polícia)

16
Não recomendado para menores de 16 anos

DENÚNCIA ANÔNIMA: CRIANÇA ERA AMARRADA E ESTUPRADA PELO PADRASTO E MÃE ERA ESPANCADA

A mãe, que não sabia dos abusos sexuais contra a filha, era constantemente espancada pelo marido


Imprimir página

Mato Grosso - Uma mãe de 42 anos e uma criança de oito foram salvas pela Polícia Militar e pelo Conselho Tutelar na terça-feira (7), depois de uma vida de terror e violência dentro de casa. O agressor era o marido da mulher, um homem de 23 anos.

A mãe era espancada e, a filha, abusada sexualmente pelo padrasto. Os crimes aconteciam na casa da família, no centro da cidade de Porto Esperidião (320 km de Cuiabá).

O caso chegou ao conhecimento das autoridades depois que o Conselho Tutelar recebeu uma denúncia anônima. Ela relatava que uma criança era maltratada em casa e sofria abuso sexual pelo padrasto. Dizia ainda que a mãe era agredida pelo companheiro.

A Polícia Militar foi acionada e, na terça-feira, foi até o endereço indicado pelo denunciante, onde encontrou primeiro o casal.

A mulher estava com hematomas no olho direito e imediatamente convidou os policiais a entrarem. O machucado, segundo ela disse aos policiais, foi causado pelo marido no dia de Natal.

Questionada sobre o motivo da agressão, ela respondeu que o companheiro estava alcoolizado.

A filha da mulher também estava no local e o Conselho Tutelar foi até lá, por conta da  denúncia de abuso sexual.

A criança rapidamente confirmou as agressões constantes do padrasto e contou detalhes de como tudo acontecia. Segundo ela, o homem chegava a amarrá-la na cama para cometer os abusos.

Aos conselheiros, a criança disse estar cansada de tudo isso e que queria que algo fosse feito. A mãe disse à polícia que, até então, nunca soube sobre os abusos sofridos pela filha.

O suspeito foi preso e encaminhado para a delegacia. Ele confirmou ter agredido a esposa no dia 25 de dezembro, mas negou ter estuprado a enteada.

O caso foi registrado como lesão corporal e estupro de vulnerável.

Fonte: 015 - Olivre/Karina Cabral

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias