Quinta-Feira, 20 de Março de 2014 - 14:33 (Colaboradores)

DEMAGOGIA DA PRESIDENTA DILMA

Fica claro que toda a população afetada se enquadra dentro dos critérios estabelecidos, pois fica configurada a necessidade de garantir a dignidade da pessoa humana e o uso de sua propriedade nos limites da sua função social.


Imprimir página

O discurso meramente de caráter eleitoreiro da presidente Dilma em recente visita a Rondônia, mostra o oportunismo político, tendo em vista a fragilidade humana em que se encontra a população atingida pela cheia do Rio Madeira. A medida anunciada pela presidente, liberando o pagamento do FGTS para os atingidos, estabelecendo inclusive, teto para o saque de R$ 6.200,00 não condiz com o direito do trabalhador, garantido no art. 18, §1º, Lei 8.036/90-FGTS e no art. 20 no qual estabelece como critério para saque, poder igualmente, usufruir de sua propriedade para prover o próprio sustento e da sua família, quando comprovado a sua insuficiência financeira ou o estado de necessidade. Fica claro que toda a população afetada se enquadra dentro dos critérios estabelecidos, pois fica configurada a necessidade de garantir a dignidade da pessoa humana e o uso de sua propriedade nos limites da sua função social.

Estando comprovada pelo trabalhador a adequação dentro dos critérios, o mesmo tem o direito de sacar o valor total do seu FGTS e também do PIS conforme entendimento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região:

Pelo exposto não podemos aceitar o discurso demagogo da presidenta que promoveu como um benefício fornecido pelo governo federal um direito legitimo do trabalhador previsto em lei, inclusive estabelecendo limite de valor. Não sejamos passivos diante de movimentos meramente políticos, com o único objetivo de favorecimento eleitoral.

Por: JOAMMA DINIZ

Fonte: JOAMMA DINIZ

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias