Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2019 - 11:00 (Colaboradores)

L
LIVRE

COLUNA SOCIAL MARISA LINHARES: CENTRO DE CONVENÇÕES DOS SURUÍS

O espaço será construído no meio da reserva indígena 7 de Setembro, na aldeia Gabgir, a 18km da sede central, em um local sagrado para os suruís, entre pedras, cachoeira e belezas naturais.


Imprimir página

Em Cacoal/RO, a diretora geral Natividade Cury da UNESC coordenou de perto a visita de estudantes do ensino médio, de escolas públicas e privadas, durante a FEIRA DAS PROFISSÕES.

QUINZENA DO ARGO NA FIAT PSV

ARGO SHOW na Concessionária FIAT PSV em Cacoal e Rolim de Moura do Grupo Gilberto Miranda em Rondônia está com taxa a partir de 0,00%, bônus de até R$ 5.000 com entrada facilitada e seu usado supervalorizado.

Registrei na Concessionária FIAT PSV em Cacoal/RO, parte da dinâmica equipe de vendas Sueli Ribeiro, Waltânia Almeida, Daneile Farias, Dyego Ramon, Rafael Goes e Jarbas Junior.

FEIRA DAS PROFISSÕES

Visita despertou o entusiasmo e a curiosidade de centenas de estudantes à sede da UNESC em Cacoal/RO, durante a FEIRA DAS PROFISSÕES, onde os alunos percorreram todas as salas e laboratórios e conheceram toda a estrutura da renomada instituição.

BLACK NIVER DECOR

DESCONTOS de até 50% e PARCELAMENTOS em até 10X sem juros está fazendo o maior sucesso no BLACK NIVER DECOR da moderna e tradicional CASA & DECORAÇÃO em Cacoal, a maior loja de decoração e móveis em Rondônia.

SIMPÁTICO PERSONAGEM

O personagem SIPAGUITO do SICOOB FRONTEIRAS fez o maior sucesso no último final de semana, no Cacoal Shopping em Cacoal/RO.

Na foto Sipaguito entre Caio Cesar, o presidente Carlos Biazi do Conselho de Administração, Janilson Melo, Alan Vitório e o gerente geral Edvaldo Rodrigues.

CENTRO DE CONVENÇÕES DOS SURUÍS

Centro de Convenções dos Suruís vai abrir as portas para o turismo nas aldeias. O espaço será construído no meio da reserva indígena 7 de Setembro, na aldeia Gabgir, a 18km da sede central, em um local sagrado para os suruís, entre pedras, cachoeira e belezas naturais.

Anderson Suruí, que é professor indígena, coloca em prática o sonho do cacique Wãwã Ixotih, ancião patriarca da família.

Nas malocas construídas com palha de babaçu, as mulheres indígenas de 54 famílias suruís, vendem seu artesanato. Colares, vasos de cerâmica, brincos de penas, cestos de palha, garantem parte da subsistência das famílias. Os homens trabalham nas lavouras de café e criação de gado. Na aldeia 100 mulheres produzem os vasos de cerâmica, um dos trabalhos mais lindos e minuciosos. O espaço deve sediar cursos, palestras e troca de experiências culturais.

Fonte: Marisa Linhares - NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias