Segunda-Feira, 24 de Fevereiro de 2020 - 15:54 (Polícia)

16
Não recomendado para menores de 16 anos

CHEFE TORTURA FUNCIONÁRIO POR ACREDITAR QUE ELE FURTOU R$ 8 MIL

Empregado, de 32 anos, nega as acusações e disse que foi agredido por cerca de 4 horas e, por pouco, não foi eletrocutado.


Imprimir página

Neste sábado (22) um empresário foi preso em flagrante suspeito de torturar um funcionário em Aparecida de Goiânia, em Goiás. De acordo com a Polícia Civil, o homem acusou a vítima de furtar R$ 8 mil da casa dele. O empregado, de 32 anos, nega as acusações e disse que foi agredido por cerca de 4 horas e, por pouco, não foi eletrocutado.

A vítima ficou com diversos hematomas pelo corpo e foi ameaçado de morte. O suspeito o agrediu na casa onde mora, em Jardim Florença. Segundo o Boletim de Ocorrência, o empresário foi até a delegacia no início da tarde para registrar o suposto furto contra o empregado, afirmando que ele confessou ter pego o dinheiro e gastado.

Entretanto, por volta de 22h, o empregado foi até a delegacia para registrar a sessão de tortura e disse ter confessado o roubo porque “não suportava mais apanhar”. A polícia entendeu que o crime era de tortura e foi até a casa do empresário, que confessou as agressões “com o intuito de fazer a vítima confessar o furto”. Ele foi preso logo em seguida.

A vítima disse que, após o expediente de sexta-feira (21), o empresário chamou ele e outro funcionário para conversar. “Ele disse que tinha sumido R$ 8 mil que estava dentro de uma caixa, na estante da casa dele, e que tinha sido um de nós dois porque tínhamos trabalhado na casa dele na semana passada”, disse. Os dois negaram o furto.

No dia seguinte, pela manhã, o homem conta que o patrão apareceu em sua casa e o chamou para ir até a sua casa novamente para conversar. Ele conta que assim que entraram no imóvel começou uma sessão de tortura.

“Assim que passamos para dentro, ele começou a me dar tapa na cara. Dizia: ‘Eu sei que você pegou o dinheiro, você é safado’. Eu neguei. Então começou a dar chute, soco, paulada, golpe com barra de ferro”, contou.

A vítima disse, também, que o patrão amarrou uma corda em seu pescoço e tentou enforcá-lo e, em seguida, bateu com o objeto nele, mesmo ato cometido com uma mangueira. Como ele sempre negava, o suspeito resolveu intensificar a tortura, com ameaças de choque e morte.

“Ele falava: ‘confessa senão eu vou te matar’. Eu estava quase desmaiado e ele ligou uma torneira e me molhou todo com uma mangueira. Depois pegou dois fios e ligou no padrão de energia da casa dele falando que ia me dar um choque”, conta.

Para interromper as agressões, o empregado assumiu ter pego o dinheiro, foi obrigada a se secar, colocar outra roupa e ir pegar o suposto dinheiro em casa. Chegando no local, a vítima voltou a negar o furto. O suspeito deu um prazo para devolver o dinheiro e foi embora.

Em seguida, o homem saiu e buscou ajuda do irmão. Eles foram ao IML para a realização do exame de corpo de delito. Logo depois, o caso foi registrado na delegacia. Desde então, está escondido na casa de um amigo com receio de ser procurado por alguém ligado ao empresário.

Fonte: 020-metropoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias