Quinta-Feira, 18 de Abril de 2019 - 14:09 (MINHA HISTÓRIA)

L
LIVRE

CATADOR DE LATINHAS VAI CURSAR ENGENHARIA CIVIL AOS 50 ANOS

Morador do interior de Ibirama, no Vale do Itajaí, Nilson vai cursar Engenharia Civil, na Universidade do Estado de Santa Catarina.


Imprimir página

A determinação, o trabalho e o estudo levaram o gari e catador de latinhas, Nilson Habeck, a realizar o sonho dele: entrar para a Universidade.

Morador do interior de Ibirama, no Vale do Itajaí, Nilson vai cursar Engenharia Civil, na Universidade do Estado de Santa Catarina.

A decisão foi tomada há 8 meses quando começou a estudar para o Vestibular de Verão, em agosto do ano passado, na própria biblioteca da universidade.

Ele inverteu o turno na prefeitura, onde trabalha como gari, para começar a estudar todas as manhãs na Biblioteca da Udesc Ibirama, no Bairro Bela Vista.

Durante quatro meses, todos os dias, Nilson percorreu cerca de 12 quilômetros com sua bicicleta para ir de Presidente Getúlio até o campus da Udesc estudar para o vestibular.

Em fevereiro deste ano, o resultado: ele foi aprovado no curso de graduação em Engenharia Civil.

Luta

Para ver seu nome da lista de calouros da universidade, ele batalhou muito.

Nilson vem de uma família alemã humilde. Ele trabalhava na roça para sobreviver ao lado dos pais e do irmão, no Bairro Rio Rafael Baixo, no interior de Ibirama.

Há oito anos, Nilson perdeu o pai e, há três, a mãe. Mas decidiu permanecer na mesma casa da família.

Na lavoura, plantava fumo, pepino, milho, a terra era boa, diz ele. Mas a renda da roça não dava para pagar as contas da casa.

Ele conseguiu um emprego de gari na Prefeitura de Presidente Getúlio, município vizinho a Ibirama, e, no contraturno, cata latinhas de alumínio pela cidade para melhorar a renda.

Estudos

Apesar de os pais nunca incentivarem os estudos, por precisarem dos filhos na roça, Nilson sempre se esforçou para ter uma formação.

Em 1986, ele terminou o primeiro grau e, com 35 anos, fez o ensino médio, na Escola de Jovens e Adultos (EJA) da região, sempre dividindo o tempo com o trabalho.

Quinze anos depois, não hesitou: chegava a hora de pensar em entrar para a universidade.

“Foi difícil, há muito tempo eu não estudava. Mas tem que ter fé”, diz Nilson, que frequenta a igreja evangélica da região.

Sonho

E o sonho virou realidade. Para Nilson, a aprovação foi uma festa!.

Ele diz que já está se entrosando com os colegas de sala. “Já fiz trabalhos em grupo, eles me ajudam bastante”, conta, orgulhoso.

O curso de Engenharia Civil tem duração de cinco anos.

“Eu sempre quis estudar, ler, ter conhecimento. Eu acreditei que ia conseguir. Lutei muito para chegar até aqui”, diz o agora universitário Nilson Habeck.

Fonte: 015 - sonoticiaboa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias