Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020 - 12:11 (Colaboradores)

L
LIVRE

CARTA DE EINSTEIN INDICANDO RONDON AO NOBEL DA PAZ ESTÁ EXPOSTA NO MEMORIAL RONDON

Saindo da cidade carioca a caminho de Berlim, ainda dentro do navio, Einstein escreveu ao presidente do comitê do Nobel da Paz, indicando Rondon ao prêmio por seus feitos na defesa e proteção dos índios.


Imprimir página

O criador da teoria da relatividade, Albert Einstein, nem o havia conhecido pessoalmente, mas bastaram relatos calorosos sobre o homem e seu trabalho quando visitava o Rio de Janeiro para que ele subitamente reconhecesse o caráter vultuoso do Marechal Cândido Rondon: nascido em Mimoso, em 1865, uma das personalidades mais importantes da história do Brasil.

Saindo da cidade carioca a caminho de Berlim, ainda dentro do navio, Einstein escreveu ao presidente do comitê do Nobel da Paz, indicando Rondon ao prêmio por seus feitos na defesa e proteção dos índios. O documento está exposto no Memorial Rondon, em Porto Velho.

“Permita-me chamar sua atenção para a atividade do general Rondon, do Rio de Janeiro, porque em minha visita ao Brasil tive a impressão de que este homem seria um digno merecedor do prêmio Nobel da paz. Seu trabalho consiste na integração de tribos indígenas aos meios civilizado sem uso de armas, nem qualquer forma de coerção. (…) Sendo do seu interesse, posso fornecer mais detalhes, mas seria melhor se o senhor, por meio de seus enviados noruegueses, buscasse diretamente a informação”, disse Einstein.


Carta escrita por Einstein em 1925 revela indicação de Rondon a Nobel da Paz

Memorial Rondon, localizado no entorno da capela de Santo Antônio, foi reaberto neste mês de janeiro. O local estava fechado desde o final do ano passado para a realização de obras de manutenção e readequações elétricas que já foram concluídas.

O Memorial, que traz a exposição permanente “Rondon, o Marechal da Paz”,  já se consolidou como uma das grandes atrações turísticas de Porto Velho, apresentando para o público todos os detalhes da vida do militar e sertanista que dá nome ao Estado. São projeções de documentários, fotos raras, maquetes, textos e objetos usados por Rondon, totalizando mais de 400 itens, tudo isso em ambiente climatizado.

As edificações do museu e as obras de urbanismo foram feitas pela Santo Antônio Energia e o Memorial foi inaugurado no final de 2015. Prestigie! O Museu fica aberto de terça a domingo, das 10h às 16h e a entrada é gratuita.

Fonte: Juan Pantoja - NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias