Sabado, 14 de Dezembro de 2019 - 10:55 (Economia)

L
LIVRE

CAIXA ASSINA ACORDO COM MINISTÉRIO DA ECONOMIA E SE MANTEM A FRENTE DOS REPASSES DO OGU

Medida faz parte das ações que resultaram na redução de mais de 50% das tarifas cobradas pelo banco na prestação do serviço


Imprimir página

A CAIXA e o Ministério da Economia (ME) assinaram nesta sexta-feira (13) em Brasília, o aditamento ao Termo Único de Credenciamento que mantém o banco como mandatário da União para transferências de recursos do Orçamento Geral da União (OGU).

Essa medida faz parte de uma série de ações que a CAIXA, em parceria com o ME e outros órgãos do Governo Federal, adotou ao longo do ano. Entre elas, a redução de custo, simplificação de regras, automatização de processos, além da melhoria da transparência.

Isso permitiu com que o banco reduzisse em mais de 50% o valor das tarifas cobradas pelo serviço. Hoje, esse percentual varia de 3,2% a 4,4%. Os novos percentuais já estão sendo aplicados para projetos e contratos firmados em 2019.

Para a vice-presidente de Governo da CAIXA, Tatiana Thomé, a assinatura do aditivo reforça a postura do banco em dar maior efetividade a aplicação dos recursos do Governo Federal. “Nós vamos fazer a transferência de um recurso com rastreabilidade, com segurança e mais rápido. Isso vai fazer com que as obras aconteçam de maneira mais rápida e com um menor custo para o município”, explica.

Inovação e desburocratização:

Desde de janeiro, a CAIXA vem estudando maneiras de inovar e desburocratizar o processo de repasse do OGU. A medida mais sensível foi a utilização da Plataforma + Brasil.

Por meio dela, rotinas que antes eram executadas manualmente e em papel passaram a ser feitas de forma automática e de maneira eletrônica. Além disso, informações e os documentos obrigatórios do processo passarão a ser inseridos no próprio sistema.

Transparência:

Na Plataforma + Brasil é possível a qualquer cidadão acompanhar a aplicação dos recursos e exercer o controle social, inclusive por meio de upload de fotos georreferenciadas. “Além da modernidade, traz transparência, traz a rastreabilidade do uso do recurso e apresenta todo o trabalho que foi feito dentro daquele município”, avalia Thomé.

Também é possível a celebração de contratos por meio de certificação digital, automatização dos processos licitatórios nos casos em que o valor for igual ou menor ao aceito na análise da documentação e a prestação de contas final dos contratos. “Política pública está na alma da CAIXA. E essa é mais uma medida para melhorar as políticas públicas”, finaliza a vice-presidente.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CAIXA

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias