Segunda-Feira, 03 de Fevereiro de 2020 - 16:31 (Tecnologia)

L
LIVRE

CABEAMENTO ESTRUTURADO GARANTE CONECTIVIDADE, SEGURANÇA E EFICIÊNCIA NOS SERVIÇOS DO GOVERNO DE RONDÔNIA

Esse serviço de cabeamento é realizado por técnicos que atendem por meio de chamados os incidentes, problemas e ainda configuram a infraestrutura dos órgãos, tudo de forma integrada.


Imprimir página

O avanço tecnológico está aprimorando diversas áreas em Rondônia, seja na saúde, segurança, educação, agricultura, além de outros serviços que estão sempre se modernizando. Fiscalização com tablets, câmeras de segurança em tempo real, plataformas com diagramação automática e até mesmo emissão de serviços online são alguns dos exemplos que dão praticidade para a população ser atendida. Mas para esses serviços serem transportados com segurança e estabilidade na conexão é preciso de cabeamento estruturado.

Esse serviço de cabeamento é realizado por técnicos que atendem por meio de chamados os incidentes, problemas e ainda configuram a infraestrutura dos órgãos, tudo de forma integrada.  No Palácio Rio Madeira, a Superintendência do Estado para Resultados (EpR) tem trabalhado para garantir o transporte dessas informações e assegurar que todos os serviços continuem em pleno funcionamento.

Antiga estrutura dificultava conexão e ocasionava falhas nos serviços

A EpR possui switches (equipamento usado para interligar os cabos) instalados e configurados em quase todo o Palácio Rio Madeira. De acordo com o superintendente da EpR, coronel Delner Freire, alguns órgãos possuem gerência ou setor de tecnologia da informação, esses são responsáveis pela organização dos cabos de seus respectivos racks (armários para armazenamento de equipamentos de tecnologia).

“A organização dos cabos ajuda no desempenho da rede, melhoria na hora da manutenção e na longevidade, pois com o cabeamento estruturado a rede pode ter duração de mais 10 de anos”, explica o coronel Delner.

Secretarias como a de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) e o Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER), também estão realizando esse serviço de cabeamento estruturado.

Eduardo Zimmer, formado em redes de computadores e especialista em seguranças de redes atua na gerência de infraestrutura da EpR. Ele explica que uma das primeiras medidas que realizou logo que assumiu a função foi a documentação dos racks do Palácio Rio Madeira. Com a documentação, os técnicos encontraram empecilhos na hora de prestar manutenção. Os cabos desorganizados devido às constantes mudanças de estrutura e chegada de novos profissionais deixava complicado o trabalho  dificultando a identificação das conexões. A decisão foi reorganizá-los.

“Nós mexíamos em um cabo, e ele desconfigurava outro. Era uma situação complicada para um serviço de manutenção”, lembra Eduardo. Segundo Zimmer, quando se tinha um problema, os técnicos durante a manutenção acabavam derrubando pontos (desconectando), até descobrir onde corrigir. Isso também se dava pela documentação antiga, que há mais de dois anos não era atualizada.

NOVA ESTRUTURA

Nova estrutura melhora a conectividade e o transporte de informações

Passa cabo, estica, liga ponto a ponto, testa e verifica o funcionamento e sobe na caixa de consolidação. Qual era a porta de conexão? Quem utilizava? E assim buscando informações e atualizando a documentação, o Service Desk e a Central de Atendimento da EpR juntos levaram de quase uma semana para fazer novos cabos (patch-cords) para reorganizar o rack.

A EpR utilizou a norma ABNT/NBR 14.565 que especifica sistemas de cabeamento estruturado. Foram redistribuídos os equipamentos no rack deixando mais espaço entre eles. A operação não atrapalhou o serviços do governo e o fluxo do dia a dia, pois desde o começo a ideia não era parar a rede e sim, melhorar.

Segundo Hudyson Barbosa, diretor executivo de tecnologia da informação e comunicação, internamente os cabos são compostos por quatro pares de cabos entrelaçados entre si, que transportam os dados de forma imediata e ajudam na melhorias dos serviços e na segurança.

“No entanto, qualquer coisa que interfira nesses tráfegos atrapalha o transporte de dados. Se os cabos estiverem torcidos, ou em uma quina dobrados, tudo isso pode atrapalhar a conectividade”, detalha Hudyson.

Esse trabalho é invisível para o usuário final, mas é importante, pois neles são transportados todos os serviços do governo e também a internet, o que no final com todo funcionamento da garantia de serviço cumprido.

Fonte: 010 - SECOM-GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias