Terça-Feira, 11 de Junho de 2019 - 11:08 (Cultura)

L
LIVRE

ASSOCIAÇÃO PEDE AGILIDADE EM BRASILIA NO TOMBAMENTO DE TRECHOS DA EFMM

Documento já foi encaminhado ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional


Imprimir página

A Associação dos Ferroviários de Porto Velho encaminhou documento ao escritório regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), solicitando o tombamento da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), no percurso após os 8 quilômetros já tombados, até os 366 quilômetros que dá acesso ao final da ferrovia, no antigo prédio da estação ferroviária de Guajará-Mirim retorna ao governo federal.

A ferrovia tem um forte valor histórico, pois garantiu que o Brasil tivesse a posse da fronteira com a Bolívia permitindo a colonização das extensões do território amazônico, iniciando na capital, Porto Velho, fundada em 4 de julho de 1907, se estendendo com o ciclo da borracha até a cidade de Guajará-Mirim (RO).

"Os processos já estão em tramitação e muitas coisas vão mudar no complexo ferroviário, inclusive as casas, no fundo do bairro Cai N'água. Existe uma ação que pede a posse dada aos moradores e o governo do Estado já fez o levantamento socioeconômico das pessoas", afirmou o vice-presidente da associação, George Telles de Menezes.

George Telles também fez comentários sobre os andamento das demandas que tramita no ministério da infraestrutura em brasília que e recurso federal e colocar a efmm  no plano  nacional de recuperação de ferrovias do governo federal e também  e protocolou  um documento no dnit nacional para que seja feito o georreferenciamento do complexo ferroviário com drone  até Guajará-Mirim está vindo a qualquer momento uma equipe paras tratativas e a luta continua afirma carioca.

Fonte: 015 - George Telles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias