Quinta-Feira, 21 de Maio de 2020 - 14:48 (Política)

L
LIVRE

APROVADA LEI DE AUTORIA DO DEPUTADO ALEX SILVA QUE RECONHECE TEMPLOS RELIGIOSOS COMO ATIVIDADE ESSENCIAL EM PERÍODOS DE CALAMIDADE PÚBLICA

O parlamentar afirmou que os serviços oferecidos pelos templos religiosos, não só espiritual como também o de assistência social, tornam-se indispensáveis nos períodos de crise.


Imprimir página

Na última terça-feira (19) os parlamentares da Assembleia Legislativa de Rondônia, aprovaram o Projeto de Lei de autoria do Deputado Alex Silva (Republicanos), que garante aos templos de qualquer culto a manterem suas portas abertas em todo o Estado de Rondônia, até mesmo em tempos de Calamidade Pública, desde que, sejam obedecidas todas as recomendações do Ministério da Saúde e os decretos do Poder Executivo.

A propositura pede o acesso à atos religiosos como direito à liberdade de crença aos cidadãos rondonienses, suspenso em razão do coronavírus e ressalta ainda, que tais locais podem servir como ponto de apoio fundamental às necessidades da população, haja vista que, em diversos momentos o próprio poder público pode utilizar tais estruturas, como já tem acontecido, inclusive já em alguns estados.

O parlamentar afirmou que os serviços oferecidos pelos templos religiosos, não só espiritual como também o de assistência social, tornam-se indispensáveis nos períodos de crise.

"As atividades religiosas são extremamente necessários em momentos de caos, insegurança e medo, e os templos se tornaram um hospital da alma para a nossa população durante a pandemia. Claro que todas as orientações referente ao número de pessoas presentes nos templos devem ser seguidas, como também a devida higienização. Também quero lembrar que as igrejas estão contribuindo com Estado, e realizando ações sociais que têm ajudando centenas e centenas de famílias em todo o Estado," comentou o deputado.

Alex Silva também agradeceu aos colegas parlamentares que contribuíram para a aprovação da matéria, e agora o projeto segue para sanção do Governo do Estado.

Fonte: Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias