Domingo, 19 de Maio de 2019 - 07:15 (Cultura)

L
LIVRE

ALVORADA DO OESTE: MUSEU JOÃO TÁVORA GUARDA A ACERVO DA ÉPOCA DA EMANCIPAÇÃO

No entanto, com o passar dos dias, os homens foram acostumando com a ideia e ajudando o João Távora a realizar seu sonho.


Imprimir página

Na semana da Emancipação Política do município de Alvorada do Oeste-RO, alunos e professores da Escola Santa Ana visitaram o Museu Histórico João Távora para conhecer como foi a criação e emancipação do município de Alvorada do Oeste-RO.

E foram recebidos por Profª Rosenaide Aparecida Távora filha de um dos pioneiros e Memorialista da História de Alvorada do Oeste-RO, no qual fala sobre o acervo existente no museu, material este que foi guardado de décadas por seu pai  e após a sua morte, os filhos preservam  o Museu Histórico existente na cidade.

Fala que o povoado surgiu  no final da década de 70 onde 48 homens adentraram a mata em busca de terras. E entre estes homens tinha o senhor João Távora que idealizava em criar uma cidade em meio da mata. E alguns homens achavam João Távora “louco” questionando-o e duvidando da tamanha audácia de um homem tão pequeno. No entanto, com o passar dos dias, os homens foram acostumando com a ideia e ajudando o João Távora a realizar seu sonho. E durante as demarcações dos lotes, deixaram um terrenos para fazerem a igreja católica, derrubaram as árvores maiores e ficaram lasca de madeira no chão. Que caracterizava a “peça monumental da cidade”. E a partir daí João Távora procurou o administrador de Presidente Médici e falou de criar uma cidade em meio da mata. O senhor Antonio Geraldo achou a conversa muito estranha. Mas mesmo assim, veio visitar o local conhecido como: “a 52”. Em seguida João Távora trouxe sua família para morar em meio a selva, assim como os outros pioneiros trouxeram seus filhos e esposa. E com isso houve a necessidade de ter escola. Então os  pais das crianças construíram uma escola próximo a linha 48, com o nome: Escola Santa Ana e tendo a Zenaide de Souza Távora como professora. As coisas melhoraram quando o Governador “Teixeirão” descobriu que existiam pessoas morando em meio da mata.

Rosenaide explica que: as árvores eram cortadas de machado e os homens procuravam as mais grossas, pois quando caiam derrubavam outras árvores juntas. E as madeiras eram tiras  com serra de lenhadores e com facão grande.

Lembra aos alunos que: “quando iam para Presidente Médici com os seus pais, era carregadas dentro de balaios em um lombo de uma “mula”. Geralmente iam as três meninas: Marta, Paula e ela. As duas menores iam dentro do baleio e a maior montada na sela.  E as roupas eram levadas em um cacaio nas costas. No picadão tinha muita sombras, quando cansávamos éramos colocadas no chão, para andar um pouco. Os pais sempre levavam as panelas de comidas.  E a farofa era de “carne de bicho do mato”.

Quanto a emancipação política do município, Rosenaide fala que Alvorada d’Oeste foi criada em 20.05.1986. Onde os munícipes de Alvorada comemoram o “Aniversário da cidade”

As professoras Eliane Alves do Santos, Maria de Lourdes da Silva e Vera Santos ficaram: encantadas com o quantitativo de material expostos no Museu e acreditam que o contato dos alunos com o acervo histórico contribuiu com o ensino-aprendizagem dos alunos, pois além de terem trabalhado contexto da História de Alvorada d’Oeste em sala.

E Tânia Goes Coordenadora pedagógica da Escola Santa Ana fala que: Que seu pai Amado Góes foi legislador do município e acredita que nesta visita os alunos estão vivenciando e fazendo parte da história.

Fonte: Assessoria

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias