Sexta-Feira, 05 de Fevereiro de 2016 - 10:51 (Colaboradores)

L
LIVRE

A JOGADA MATE DO PATOR DE ACIR GURGACZ NO TABULEIRO POLÍTICO RONDONIENSE

No cenário político nacional, o senador Acir vem se destacando como a principal estrela do PDT e no futuro bem próximo, poderá se tornar ministro indicado pela legenda brizolista.


Imprimir página

Estive semana passada em Porto Velho (28/01) para participar de uma reunião que tratava do meu retorno a militância política partidária. Naquele momento, as pessoas presentes, pediram que eu fizesse uma análise das eleições municipais desse ano da capital rondoniense – que deixarei para as próximas atualizações do blog.

Inicialmente, como disse, trataremos das pedras do tabuleiro político de 2018, o que quero dizer com isso? É que as eleições municipais desse ano são decisivas para as eleições gerais de 2018.

Portanto, no cenário político estadual, o destaque maior fica para os senadores Acir Gurgacz (PDT) e Valdir Raupp (PMDB), ambos na atual conjuntura, mantém um entendimento político de aliança, mas que poderá trilhar por caminhos diferentes no futuro.

O senador Acir – pacientemente - vem preparando a sua jogada mate do pator no tabuleiro político de 2018. Vou explicar melhor: Acir já experimentou o executivo quando foi prefeito de Ji-Paraná. Concorreu duas vezes ao senado, perdeu uma e ganhou duas. Entenda, na sua primeira disputa ficou em segundo lugar, mas sem seguida, ganhou o mandato via tribunais.

Na sua trajetória política como parlamentar, o senador Acir ganhou uma boa projeção política como membro da Comissão de Agricultura do Senado Federal - Rondônia por ser um estado eminentemente agrícola, e com sua agilidade política na liberação de emendas e formalização de convênios do governo federal com suas respectivas bases eleitoral, o que lhe garantiu folgadamente a reeleição nas urnas - a bem da verdade, não teve adversário.

No cenário político nacional, o senador Acir vem se destacando como a principal estrela do PDT e no futuro bem próximo, poderá se tornar ministro indicado pela legenda brizolista. Desse modo, o governo de Rondônia fica minúsculo para o senador Acir se compararmos com a sua musculatura política no cenário nacional.

Portanto, quando o senador Acir anuncia que o prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires (PSB) não vai disputar a reeleição – esse último não tratou de desmentir publicamente o senador - e lança o atual vice-prefeito Marcito Pinto como candidato a prefeito de Ji-Paraná/RO, e tendo como candidato a vice-prefeito na chapa, o presidente da Câmara dos Vereadores Nilton César Rios (PTB), aliado do prefeito Jesualdo Pires – revela a sua jogada política para 2018.

Então, o senador Valdir Raupp mandou um recado ao governador Confúcio Moura, ambos do PMDB, que a legenda peemedebista não tem espaço para duas candidaturas ao senado, mesmo sendo duas vagas a serem preenchidas nas próximas eleições gerais.

Por sua vez, aumenta os rumores que Confúcio deixará o PMDB e seu grupo político se movimenta nos bastidores para definir uma nova legenda para lançá-lo na disputa por uma vaga ao senado. Daí vem à jogada mate do pator do senador Acir.

O governador Confúcio Moura hoje no PMDB, caso venha se confirmar os rumores da sua filiação ao PSB que é presidido no estado pelo prefeito da capital Mauro Nazif (PSB), deverá ser o indicado candidato ao senado pela legenda socialista. Nesse caso, seria a dama da jogada.

O prefeito Jesualdo Pires de Ji-Paraná – bem avaliado - termina seu mandato no PSB e deverá futuramente se filiar ao PDT. Nesse tabuleiro, Jesualdo Pires já no PDT – sendo o bispo da jogada, disputaria o governo do estado e a vaga de vice-governador na chapa, pertenceria à capital, portanto, o candidato natural seria do médico Mauro Nazif do PSB – caso venha ser derrotado nas urnas ao tentar se reeleger prefeito de Porto Velho nas eleições municipais desse ano.

Na outra ponta, sairia do feudo político de Rolim de Moura, uma aliança política entre o ex-senador Expedito Júnior e o senador Valdir Raupp (PMDB) para eleições de 2018.

Nesse caso, como Expedito Júnior faz parte do projeto nacional de poder do PSDB - mesmo que tenha sido derrotado duas vezes na disputa pelo governo de Rondônia pela legenda tucana. Mas antes, vale salientar, que Expedito saiu cacifado das urnas na última eleição geral de 2014. Portanto, novamente deverá ser convocado para disputar o governo do estado pela legenda tucana para dá palanque à candidatura a presidência da República colocada pelo PSDB em 2018.

Por fim, se tais especulações nos bastidores políticos se confirmarem, o ninho tucano deverá abrigar à candidatura a reeleição do senador Valdir Raupp (PMDB). Daí, caso Expedito Júnior (PSDB) venha ser eleito governador, o município de Rolim de Moura volta a ser o centro de poder político de Rondônia. Porém, se Expedito perde para Jesualdo, Acir é coroado rei do tabuleiro de xadrez político rondoniense.

Fonte: Herbert Lins

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias