Terça-Feira, 27 de Novembro de 2018 - 09:28 (Colaboradores)

L
LIVRE

A FREIRA - POR RONDINELI GONZALEZ

Se a intenção era só mostrar a origem da freira, pra sabermos quem é realmente a entidade maligna, e, claro, ganhar mais alguns milhões, o filme em tela não faz feio.


Imprimir página

O estilo terror tem se tornado uma boa fonte de grana para o cinema, e isso pôde ser confirmado com as fortes bilheterias de “It – A Coisa” – que foi a maior de todo o cinema no ano passado - e com as obras do agora chamado “Universo Invocação do Mal”, que contempla os dois filmes sobre os casos do casal Warren de caça-demônios e os spin-off “Anabelle 1 e 2” - a bonequinha que apareceu no primeiro filme, de 2014 – e “A Freira”.

Os cinco filmes, com ganhos combinados de mais de US$ 1,568 bilhão em todo o mundo, tornaram-se a franquia de horror de maior bilheteria da história (como também a primeira a passar da marca de US$ 1 bilhão) e a 36ª maior franquia de todos os tempos.

E como o segundo “Invocação do Mal” (2016) foi tão bem – que se tornou a maior estréia de um filme de terror até aquele momento – e teve, como protagonista do mal o demônio Valak na pele de uma antiga devota, é claro que os produtores e criadores logo viram uma nova chance de lucrar mais alguns milhões aqui e ali. E aí veio “A Freira”, que este ano lotou as salas de cinema em todo o mundo, e no Brasil chegou a criar filas imensas de espectadores que queriam ver a origem da ‘irmã do mal’ que tanto aterrorizou no cenário inglês de Invocação do Mal 2.

Mas, ao assistir esse tal “fenômeno” o que posso dizer é que, apesar do sucesso nas bilheterias, “A Freira” não é um prequel que faça jus ao terror vivenciado pelas pessoas como foram nos filmes principais. Enquanto que “Invocação do Mal” assusta e deixa a gente sem dormir, com medo do escuro e até com uma leve sensação de que existe um odor fétido no nosso quarto, o filme da freira maldita nem de perto assusta, e mesmo o empenho dos diretores e uma boa atuação do elenco são incapazes de entregar uma obra que meta medo em alguém e faça valer a frase que vem na capa:

Se a intenção era só mostrar a origem da freira, pra sabermos quem é realmente a entidade maligna, e, claro, ganhar mais alguns milhões, o filme em tela não faz feio. Mas se você quer sustos que tiram o teu sono, esse aqui é bem fraquinho e beira até o previsível.

 

 

 

Fonte: RONDINELI GONZALEZ - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias