Segunda-Feira, 12 de Novembro de 2018 - 10:23 (Colaboradores)

L
LIVRE

A ESPERANÇA DO AGRONEGÓCIO - POR JOSÉ LUIZ ALVES

De uma maneira ou de outra, as entrevistas dele sempre tinham repercussão positiva os entre os representantes do agronegócio naquela região.


Imprimir página

Na década de 1990, portanto, não faz tanto tempo, o até então desconhecido deputado Jair Bolsonaro eleito pelo extinto (PDC-RJ) Partido Democrata Cristão transitava com frequência pelos corredores da Câmara dos Deputados as 6:00 horas da matina, concedendo entrevistas ao vivo aos repórteres que cobriam cedo para emissoras de rádios de todo o território nacional as atividades nas duas Casas de Leis.

Naquela época Jair Bolsonaro defendia idéias controversas, como a volta do regime militar, combate a corrupção, ao paternalismo, ao nepotismo, as invasões de terras comandadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), ao contrabando de armas e drogas que já abasteciam a bandidagem nos grandes centros urbanos, entre outros temas palpitantes, que robusteceram sua campanha presidencial em 2018.

Com Congresso Nacional, ocupando as manchetes que redundaram no Impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, o escândalo dos Anões do Orçamento, uma possível intervenção militar que não aconteceu, os discursos de Jair Bolsonora não obtivera maiores ressonâncias.

Como repórter político da Rádio Guaíba de Porto Alegre e do Jornal Correio do Povo, realizei diversas entrevistas com o deputado Jair Bolsonaro, principalmente nos primeiros horários em que o jornalismo radiofônico é muito forte no Sul do País. De uma maneira ou de outra, as entrevistas dele sempre tinham repercussão positiva os entre os representantes do agronegócio naquela região.

Certa vez, conversando pelo telefone com editora de política da Rádio Guaíba, Rossani Thomaz, ela comentou sobre as colocações do deputado Jair Bolsonaro, frisando: “ele conhece e fala com firmeza, mas a maioria ainda não despertou para o discurso dele”. Ela tinha razão, todavia os tempos mudaram rápido com o eleitorado de um modo geral se tornando mais esclarecido e consciente.

O solitário deputado Jair Bolsonaro, daqueles tempos tinha como objetivos uma estratégia perfeita aproveitando a desgastada política do: “toma lá, dá cá” posta em prática pelo ex-presidente José Sarney, expondo suas idéias no combate a corrupção que nem sempre eram bem vistas. Como “Deus ajuda quem madruga”, nos tempos atuais, Bolsonaro naturalmente se beneficio no sentido positivo da palavra, pelas ações do Juiz Sérgio Moro que desmontou o maior esquema de corrupção já registrado na história deste País. Ou seja, tempo conspirou a favor de Bolsonaro.

Foram três anos de convivência profissional, com Jair Bolsonaro e tantos outros políticos daquela época no Congresso Nacional e explanada dos ministérios que rendem a qualquer jornalista uma experiência quase indescritível. De Jair Bolsonaro, daquela época ao dias de hoje vale uma observação de cunho pessoal dele: “humildade e firmeza” nas palavras e no tratamento público com jornalistas.

Bem, quanto ao agronegócio vale à pena acreditar nas propostas dele, pois sempre foi uma bandeira que defendeu assim como o combate a corrupção um verdadeiro cupim que corroia as bases da sociedade, entre outras mazelas.

Fonte: José Luiz Alves - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias