Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019 - 17:35 (Colaboradores)

L
LIVRE

A CHAMA EM NÓS - POR ALBERTO AYALA

Deitava-me e pensava em como poderei encontrar alguém perfeito. Perguntei para Deus o porquê de me sentir tão triste, tão sem nada.


Imprimir página

Eu quero te amar a noite inteira

Saciar a tua sede

Explorar o teu corpo nu

Colado no meu

Beijar-te devagar, suavemente

Passar as minhas mãos nas

Tuas costas, morder a tua orelha

Te falar palavras apaixonantes

 

Estamos no quarto, despidos

Suados, o fogo em mim

A vontade de te fazer sorrir

De entrar em ti com prazer

O fogo no teu olhar

 

Estou excitado, corajoso

Deitados na cama nos amamos

Sem pressa, sem medo

Sinto a tua pele macia

Que me arrepia

 

Sinto o teu hálito quente

E a chama que temos é inextinguível

Te quero, te beijo

Te arranho e te abraço

Te faço feliz

 

Me lanço

 

Mulher negra que me

Beija e me deixa louco

Que tira a minha camisa

E me joga na cama

Quer me devorar, mas eu a

Devorei primeiro naquela tarde

Quando tirei o teu vestido

E fizemos sexo na banheira

 

Mulher negra dos lábios carnudos

Que me chamam

Você me ilumina, me devolve

A alegria quando me encontro

Sem forças para sorrir, andar

De cabeça erguida

Ah! Eu te busco sempre, sempre

 

Deixa eu te fazer mulher

Fecha a porta e se entrega

 

Não precisa falar

Vamos nos comunicar em silêncio

 

Você na cama nua

Leve, livre

Mexe nos teus cabelos belíssimos

Me olha, pede algo

E eu me lanço na tua sensualidade

 

Siga o autor nas redes sociais

Instagram: @aayalaoficial
Twitter: @albertoayala

Fonte: Alberto Ayala - NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias