Segunda-Feira, 30 de Setembro de 2019 - 15:48 (Educação)

L
LIVRE

10 TÓPICOS PARA ENTENDER E SE PREPARAR PARA O NOVO ENSINO MÉDIO

Novo modelo passa a vigorar em 2021 em todas as escolas brasileiras


Imprimir página

O Novo Ensino Médio é assunto desde a apresentação da proposta inicial, em 2016. Desde então, debates, polêmicas e pendências giram em torno da reforma do modelo para a comunidade escolar. Neste momento de implementação, é preciso clareza sobre as mudanças e intenções do novo Ensino Médio. A coordenadora editorial do Sistema Positivo de Ensino, Milena Santiago dos Passos de Lima, responde algumas perguntas sobre a implementação:

1. O que é o novo Ensino Médio?

O Novo Ensino Médio é a maior mudança na Educação nos últimos 20 anos. Desde a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, as escolas seguiram um modelo que não se atualizou e deixou de ser atrativo e significativo para os jovens. O Novo Ensino Médio conecta-se ao comportamento da geração Z e contempla duas partes: a Formação Geral Básica e os  Itinerários Formativos (parte flexível).

2. O que é Formação Geral Básica?

É a parte do novo Ensino Médio comum a todos os jovens de escolas públicas e privadas.  São aprendizados obrigatórios, referenciados pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que desenvolvem competências e habilidades. A Formação Geral Básica está organizada em quatro áreas do conhecimento: Linguagem e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Sociais e Aplicadas.

3. As áreas do conhecimento excluíram disciplinas?

Não houve exclusão. As treze disciplinas (denominadas componentes curriculares pela BNCC) que fazem parte do modelo anterior ao Novo Ensino Médio continuam, porém presentes nas áreas de conhecimento.

4. O que são Itinerários Formativos?

São caminhos personalizados que aprofundam conhecimentos da Formação Geral Básica e oferecem maior conexão com os interesses e o cotidiano dos jovens. Cada escola ou sistema de ensino formatará os Itinerários Formativos do seu jeito. Os alunos poderão escolher mais de um, de acordo com seus interesses e com o que a instituição disponibiliza. Escolas podem considerar atividades extracurriculares que já desenvolvem (aula de teatro e oficina de robótica, por exemplo) como unidades curriculares de seus itinerários formativos.

5. A escola oferecerá Formação Geral Básica e Itinerários Formativos nos três anos de Ensino Médio?

A escola poderá distribuir a carga horária da Formação Geral Básica e dos Itinerários Formativos da maneira que considerar coerente com sua estrutura e as necessidades dos alunos. Apenas Língua Portuguesa e Matemática são exceções e devem estar presentes na formação do aluno durante os três anos do Ensino Médio.

6. Como fica o Projeto de Vida no novo Ensino Médio?

Parte da BNCC desde o Ensino Fundamental, o Projeto de Vida é obrigatório no Ensino Médio. O MEC orienta que as escolas reservem uma carga horária específica para o Projeto de Vida já no primeiro ano do Ensino Médio para incentivar o protagonismo no aluno a partir do autoconhecimento, do estabelecimento de estratégias para atingir seus objetivos, do conhecimento da área de atuação e outros temas relevantes para a escolha da profissão.

7. Qual a diferença entre habilidades e competências?

O ser humano desenvolve habilidades socioemocionais para ser competente em algo. No novo Ensino Médio,o jovem será incentivado a desenvolver autonomia, autoconfiança, empatia e responsabilidade para ser competente na escolha de sua profissão ou na solução de um problema, por exemplo.

8. Quais as exigências de carga horária do novo Ensino Médio?

A carga horária mínima de todas as escolas será ampliada para 1.000 horas por ano, totalizando 3.000 horas ao longo do Ensino Médio. A Formação Geral Básica deve corresponder no máximo a 1.800 horas (60% do currículo), e os Itinerários Formativos no mínimo a 1.200 horas (40% do currículo). As escolas têm até março de 2022 para realizar as mudanças.

9. Haverá EAD no novo Ensino Médio?

De acordo com o MEC, será possível distribuir até 20% da carga horária de um curso diurno na modalidade a distância.

10. Como a escola deve se preparar para a implementação?

Antes de formatar novos currículos, é imprescindível que a escola escute os jovens estudantes e professores. Quais são seus interesses, expectativas e frustrações? Sob o ponto de vista deles, como a escola pode se transformar em um ambiente inspirador e colaborativo? Que modelo incentiva o aluno a gostar de aprender? Qual é o objetivo da escola? O gestor também precisa realizar um diagnóstico dos recursos humanos, físicos e financeiros. Qual a formação do corpo docente? Quais as possibilidades de otimização ou expansão da infraestrutura? Como será a dinâmica na escola com novos horários? Quanto mais respostas, maior a compreensão do modelo ideal.

Fonte: 015 - Lívia Mattos

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias