SUICÍDIO: CINCO VÍTIMAS EM MENOS DE QUINZE DIAS - ISSO NÃO É FRESCURA!

Vamos mais além. As frases a seguir são reais. “Isso é frescura”; “Isso é falta de Deus”; “Isso é preguiça”; “Isso é porque você é uma pessoa fraca”; “É só pensar positivo que isso passa”; “Isso é falta de uma pia e um tanque”, etc. Infelizmente, este tipo de comentário é algo que poderia e DEVERIA ser evitado, mas é usado muitas das vezes utilizado por pessoas que estão ao nosso redor. Já percebeu isso?
Segunda-Feira, 16 de Outubro de 2017 - 19:24

Porto Velho, RO -No mês de Setembro, uma campanha denominada como "Setembro Amarelo" é abraçada pelo Brasil e mundo. O objetivo é conscientizar a população sobre o suicídio. Segundo os dados da Organização Mundial da Saúde - OMS, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos.

Vamos a primeira intriga. Antes mesmo de você concluir o primeiro parágrafo, pode ter certeza que alguém já tirou a própria vida. Os estudos apontam que todos os dias cerca de 32 brasileiros tiram a própria vida. Se fizéssemos uma matemática lógica, os números é absolutamente alarmante, pois quase 1 milhão de pessoas se matam por ano, isso sem contar aqueles que um dia já tentaram. Este número chega a 10 ou 20 por dia.

Esses dados poderiam ser facilmente divulgados, mas infelizmente o suicídio costuma vir acompanhado de um fator que contribui para o seu alastramento; O SILÊNCIO. Sabemos que é muito difícil abordar sobre o assunto com familiares que perderam o ente querido, ou com quem já tentou. Em Porto Velho, desde o início do mês de Outubro, cinco vítimas colocaram um ponto final em suas vidas, justamente após o mês em que tanto se falava em conscientização. Tem algo muito errado nisso tudo. Concorda?

Nas redações de jornais quando se recebe um chamado de suicídio ou tentativa, logo a equipe de reportagem se nega a elaborar o material. Por que a decisão de noticiar um suicídio provoca tanta discussão entre a comunidade jornalística? O que faz o assassinato de um professor, morto dentro de um condomínio, na própria casa, e a descrição do corpo esquartejado ser menos chocante e exasperante que o suicídio de uma pessoa que optou por não viver mais? Os dois fatos causam impacto. Então por que vários profissionais dissecam o crime praticado contra o professor por semanas ao passo que decidem simplesmente ignorar a ocorrência de suicídios?

Talvez a explicação para essa postura generalizada da imprensa se justifique com base na hipótese de que um caso, como o do professor represente uma série de outros acontecimentos brutais semelhantes e simbolize uma situação alarmante: a prática mais frequente de atos violentos cada vez mais cruéis. Além disso, a notícia trata também da segurança pública, do espaço urbano e dos riscos aos quais as todos nós sofremos. Dessa forma, noticiar um acontecimento como esse seria uma maneira de comunicar, denunciar e alertar a sociedade sobre desequilíbrios nas relações sociais que, com frequência, culminam em ações e reações violentas. No entanto, o suicídio é também um fenômeno social que denuncia tensões e perturbações nas relações sociais, sob os mais diferentes aspectos.

Vamos mais além. As frases a seguir são reais: “Isso é frescura”; “Isso é falta de Deus”; “Isso é preguiça”; “Isso é porque você é uma pessoa fraca”; “É só pensar positivo que isso passa”; “Isso é falta de uma pia e um tanque”, etc. Infelizmente, este tipo de comentário é algo que poderia e DEVERIA ser evitado, mas é usado muitas das vezes utilizado por pessoas que estão ao nosso redor. Já percebeu isso?

Conselho: Se você tem alguém na sua vida (família, amigo, colega de trabalho, etc.) que está passando por algum problema dessa natureza (aqui expando para os demais problemas mentais), não JULGUE! Esteja aberto para escutar o que a pessoa tem para dizer e ofereça seu apoio e carinho. Diga que entende o que ela está passando e compartilhem informações sobre aquilo no qual a pessoa está passando. Você não está na pele dela para saber o que ela está sofrendo. Ofereça um ombro amigo e mostre-se disponível para conversar. E, em muitos casos, o que para você parece pouco, para quem está recebendo é MUITO.

Nosso bate papo não parou por aqui, disque 141, vamos conversar!

Texto reformulado por Anderson Nascimento

Fonte - Anderson Nascimento - Newsrondonia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.