AZUL QUEBRA O SILÊNCIO E DECIDE MANTER FRANQUIA DE BAGAGENS AOS CLIENTES

Segundo a empresa, ela continuará oferecendo normalmente a franquia de bagagens de 23 kg em seus vôos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente.
Sábado, 11 de Março de 2017 - 16:38

Das três grandes empresas aéreas que operam em Rondônia (RO), faltava apenas a Azul Linhas Aéreas anunciar qual seria o seu esquema sobre as novas determinações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) que começam a vigorar no dia 14 de março (Terça-Feira).  Porém, o mistério teve seu fim após a companhia enviar notas às redações dos jornais.

Segundo a empresa, ela continuará oferecendo normalmente a franquia de bagagens de 23 kg em seus vôos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente.  No entanto, a companhia terá uma nova opção de tarifa - que será introduzida gradativamente para os mercados onde a empresa opera no Brasil, a partir da próxima terça-feira - com preços reduzidos para quem não despacha bagagens. Além disso, passa a valer a regra para embarque com bagagens de mão de até 10 kg em todos os voos. 

“Nosso diferencial é que, em alguns vôos, nossos clientes poderão optar por uma tarifa mais barata ao não despachar suas bagagens” destaca em comunicado, Antonoaldo Neves, presidente da Azul.

GOL LINHAS AÉREAS - A empresa Gol/Varig Linhas Aéreas que opera no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira, em Porto Velho (RO), anunciou que vai passar a cobrar por mala despachada. Em nota, informou que terá uma “classe tarifária mais barata para aqueles clientes que não forem despachar bagagens e oferecerá separadamente a opção de adquirir uma franquia, que será calculada por unidade, seguindo as dimensões e peso estipulados".  

Ainda segundo a Gol, o valor cobrado por mala será maior de acordo com a quantidade de itens que cada passageiro despachar. "A primeira será mais barata que a segunda, que será mais barata do que a terceira. E assim por diante”.  

Nos voos domésticos, o valor para despachar uma mala de até 23kg será de R$30 quando adquirida nos canais de autoatendimento e nas agências de viagens; ou R$60 no balcão de check-in. Nos voos internacionais, o valor será equivalente a USD 10 no autoatendimento e agências de viagens, e USD 20 no balcão.

O valor cobrado para despachar a bagagem também pode variar de acordo com o momento da compra do serviço. Será definido um preço para quem fizer o pagamento antes da data do voo e outro, mais caro, para quem adquiri o serviço no momento do check-in.

LATAM AIRLINES - A empresa aérea Latam Airlines Brasil que possui rota em Porto velho (RO) anunciou que também vai cobrar por bagagens despachadas. A companhia segue quase as mesmas normas da Gol.  

Segundo a Latam, os clientes com voos na América do Sul, serão cobrados a partir da segunda bagagem despachada. Em outros vôos internacionais, o despacho será de grátis em até duas malas com o limite de 23 quilos cada uma.

A empresa informou que os passageiros dos voos nacionais vão pagar R$ 50 para despachar malas de até 23 kg nos próximos meses. A medida não está em vigor, mas será implementada "no futuro", segundo a Latam.

ENTENDA - Em dezembro de 2016, a Anac aprovou novas regras para o transporte aéreo de passageiros, válidas a partir de 14 de março. Entre as mudanças, ficou determinado que as companhias aéreas não terão mais a obrigação de oferecer uma franquia de bagagens aos passageiros e que elas poderão cobrar pelo serviço relativo ao volume despachado,  que hoje é de 23 kg para vôos nacionais.

A Anac também alterou as regras para a bagagem de mão. Atualmente, o limite máximo permitido por passageiro é de uma mala de 5 kg. Para compensar a cobrança da bagagem despachada, a agência aumentou o limite para 10 kg. As companhias aéreas, no entanto, poderão definir as dimensões máximas de cada mala.

Fonte - NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.