TEMENDO O PIOR, FERROVIÁRIOS PEDEM QUE AUTORIDADES CONTENHAM DESOCUPADOS NA ESTRADA MADEIRA MAMORÉ

O ex-Ferroviário condena ainda a falta de segurança para conter a presença de pessoas consideradas suspeitas de uso e venda de entorpecentes [maconha, crack, merla, etc], além de mercadorias roubadas supostamente no comércio, no Cai N’Água e arredores.
Sexta-Feira, 10 de Março de 2017 - 09:35

Porto Velho, Rondônia – Não é de hoje que o Largo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré [EFMM], na área principal do complexo turístico desta cidade, abriga desocupados e continua sendo usado como quartel general [QG] por marginais e apenados do sistema penitenciário estadual.

Diretores da Associação dos Ex-Ferroviários da EFMM, não suportando mais o crescimento do número de elementos vadios em todos os locais destinados ao patrimônio e nas vias de acesso aos canteiros onde estão os galpões e locomotivas.

Segundo eles, ‘suspeitos de venderem e usarem drogas nos arredores das calçadas dos galpões e das locomotivas é uma constante’. Diariamente, grupos de adolescentes fardados – além de marginais conhecidos da Polícia – perambulam livremente por todas as áreas de acesso.

- Não que sejamos contra o direito do cidadão de ir e vir do cidadão a qualquer lugar que lhe convier, afirma José Bispo, presidente da Associação dos Ex-Ferroviários.

Por outro lado, discorda que as autoridades façam ‘vistas grossas’ quanto aos insistentes pedidos de vigilância e proteção policial já feito pela entidade, inclusive com acompanhamento solidário dessa proposta pelo Ministério Público Federal a todas autoridades rondonienses.

O ex-Ferroviário condena ainda a falta de segurança para conter a presença de pessoas consideradas suspeitas de uso e venda de entorpecentes [maconha, crack, merla, etc], além de mercadorias roubadas supostamente no comércio, no Cai N’Água e arredores.      

Bispo se coloca à disposição das autoridades para que estudem a viabilidade técnica de atendimento das propostas apresentadas pela Associação dos Ex-Ferroviários de Rondônia ao prefeito e ao governador.

Em uma das propostas, ele defende a implementação de um sistema de segurança por circuito de câmeras, não só nos espaços da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, mas que alcance toda Porto Velho Antiga a fim de que seja assegura a contento possíveis danos ao patrimônio histórico, artístico e cultural, arrematou José Bispo.

XICO NERY 

Fonte - NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.