MURILO BRAGA TEM 90 DIAS PARA FAZER CONFÚCIO MUDAR DE OPINIÃO

PERGUNTINHA: Qual a esperança que o brasileiro pode ter ainda de que seu país vai melhorar, quando assiste ao esforço do governo em perdoar uma dívida de 20 bilhões de reais das operadoras de telefonia e ainda doar a elas outros 80 bilhões da estrutura de comunicações do país?
Domingo, 05 de Março de 2017 - 12:51

Há alguns dias, o governador Confúcio Moura bateu abaixo da linha da cintura, em seu Blog, criticando duramente a direção da Escola Murilo Braga, que foi totalmente restaurada e reconstruída pelo Governo do Estado e que já estaria em péssimas condições. Ao ser informado dos sérios problemas de um educandário que deveria ser modelo e que estaria sendo mal dirigido e mal cuidado, Confúcio escreveu: “Pra mim, foi um tapa na cara!”. O secretário Waldo Alves, da Seduc, que não deixa os problemas que têm que ser resolvido para depois, logo que tomou conhecimento da situação foi até à Murilo Braga, para ver o que estava acontecendo. Mais que isso, determinar as providências cabíveis para que o Governador mudasse de opinião sobre uma das suas mais importantes obras, na Capital, na área da educação.  Waldo viu pessoalmente como uma obra há bem pouco entregue, já está deteriorada, inclusive  parte dela terá que ser refeita, porque a construtora a entregou com sérios problemas, como infiltração, rachadura nas paredes e outras deficiências detectadas. Testemunhou também que a escola tem necessidade de pessoal. Há apenas um funcionário para a limpeza. Há computadores, mas ninguém pensou em fazer ligações elétricas comuns, para que eles possam ser utilizados.  O auditório tem cadeiras, mas elas foram colocadas de forma tão errada,  que quem senta em determinados pontos, não enxerga nada à frente. Ou seja, erro de projeto, erro de execução.

Confúcio está  cheio de razão em seu lamento e no protesto público. Não é possível se investir milhões de reais numa obra do tamanho da Murilo Braga e, pouco tempo depois, vê-la recheada de problemas. Mas houve falhas sérias também do governo. Com recebeu uma obra com problemas como rachaduras e infiltrações? Vai exigir agora que a empresa responsável, que já recebeu pelo serviço, corrija os erros detectados? O que se sabe, de concreto, é que o novo titular da Seduc avisou que manterá a atual direção da Escola, que vai trabalhar junto com ela e que, em 90 dias, garante, as deficiências estarão corrigidas. Confúcio voltará ao Blog para elogiar ou manterá, depois de três meses, a dura crítica que fez? Esperemos o calendário andar, para saber se o final dessa novela será feliz, como todos merecemos ver...

CADÊ OS TUCANOS?

Nem Expedito Jùnior. Nem Mariana Carvalho. Nem o prefeito Hildon Chaves. Nem  o presidente da Câmara, Maurício Carvalho e nem o vereador reeleito Alan Queiroz. Nenhum nome de peso do PSDB de Porto Velho participou, nesse sábado, da convenção que elegeu o novo diretório municipal. O comando da sigla se manteve na família Sanduba´s. O pai, Lindomar Carreiro, era o presidente e passou a ser vice; o filho Anderson Sandubinha, foi guindado agora como novo presidente. O então vice, Breno Mendes, saiu do comando  e ficou fora da chapa que vai comandar o ninho tucano municipal,  eleita por unanimidade. Pode parecer que está tudo bem dentro do partido, que agora comanda a Prefeitura da Capital. Mas o volume de queixas entre o baixo clero do partido era grande, nessa manhã de sábado. Há quem fale que o clima no PSDB porto velhense está longe de ser aquele de um partido vitorioso. Teria alguma coisa a ver com tantas ausências importantes no encontro de sábado?

FRONTEIRA FECHADA

Conflito na fronteira Brasil/Bolívia, entre  Acre e a cidade de Cobija, um conhecido centro de compras, onde os brasileiros iam fazer a festa, comprando muito barato, quando o dólar está em baixa. Hoje, a situação mudou muito, mas ainda há boa movimentação comercial naquela área. O que os bolivianos alegam é que os acrianos não permitem a entrada dos seus vizinhos em território brasileiro e, do lado de lá, eles já fecharam a fronteira, em protesto. O caso ainda teve apenas rusgas localizadas, sem grandes consequências, mas há ameaças de ambas as partes em intensificar o conflito. Espera-se que tudo seja resolvido pacificamente. Os bolivianos querem tratamento igual ao que dão aos brasileiros, alegam. Não foi, na verdade, o que o governo vizinho fez com  pequenos produtores brasileiros que tinham suas propriedades no lado boliviano. Todos foram expulsos, para que a Bolívia desse a terra aos seus, para plantação de coca, a essência da cocaína, maior produto de exportação dos nossos parceiros de fronteira. 

INJUSTIÇA TRIBUTÁRIA

Para mais de 190 mil contribuintes rondonienses, já começou a dor de cabeça da declaração anual do Imposto de Renda, como para muitos outros milhões de brasileiros. Seria um tributo justo para todos, não fosse apenas mais uma punição ao pobre assalariado. É ele que paga a maior carga tributária sem retorno algum, no mundo inteiro. É ele que abastece os gordos cofres públicos; que sustentam a obesidade mórbida dos poderosos, encastelados em prédios suntuosos, ganhando salários milionários e retribuindo muito pouco ao país. Sem correção há anos, sequer colocando a inflação a favor do contribuinte, mais uma vez se paga um tributo pesado, castigando duramente aqueles que vivem apenas de salários. Quem sabe um dia, num futuro de país. quando for sério, essa questão do Imposto de Renda seja tratada com decência e respeito aos trabalhadores brasileiros. E que o tributo seja cobrado apenas dos ricos, que pagam o mesmo que os pobres coitados. 

LÚCIA É UMA RODOVIA 

Mais que merecida a homenagem à memória da deputada Lúcia Tereza, ao se dar o nome dela à rodovia que liga a BR 364 até sua cidade, Espigão do Oeste. A RO 387 é vital para a comunidade de Espigão, assim como o foi o grande trabalho realizado pela parlamentar não só como prefeita da cidade por duas vezes, como, ao mesmo tempo, como uma brava lutadora pelos interesses daquela comunidade, nos mandatos que teve na Assembleia Legislativa. Lúcia faleceu no final do ano passado, deixando consternados não só seus familiares, amigos e eleitores, mas também seus colegas da Assembleia, que com ela tinham uma convivência alegre e harmoniosa. Vários projetos em homenagem à Lúcia tramitavam no parlamento. Todos foram unificados, para que o projeto aprovado fosse de autoria coletiva, como um aval dos 23 parlamentares sobre a vida e a obra da inesquecível política rondoniense. Lúcia Tereza, que era sempre homenageada em vida, por seu trabalho, agora se eterniza com o nome da rodovia que liga sua cidade ao resto do Estado e do país.

AS BOAS NOVAS E A OBRA PARADA

O prefeito Jesualdo Pires, de Ji-Paraná, anda contabilizando boas notícias. Entre elas, a dos preparativos da Rondônia Rural Show, que será realizado em maio próximo e pela primeira vez em sua nova área, de 50 hectares, doada pelo município. Jesualdo considera a Feira como um presente do governo rondoniense à sua cidade (a Rondônia Rural foi criada por Confúcio Moura, que escolheu Ji-Paraná para sediá-la) e destaca que a edição deste ano, pelo que se desenha, será a melhor de todas, superando o enorme sucesso das anteriores. Também na cidade, está em fase final de construção o centro de compras dos Irmãos Gonçalves, que dará centenas de empregos diretos e indiretos. De  notícia ruim, nestes últimos dias, apenas a paralisação das obras da nova adutora da cidade. É mais uma obra importante do PAC, alardeada pelo governo federal em tempos de Dilma Rousseff, que fica pelo caminho. Ji-Paraná não merece esse desrespeito! 

PERGUNTINHA

Qual a esperança que o brasileiro pode ter ainda de que seu país vai melhorar, quando assiste ao esforço do governo em perdoar uma dívida de 20 bilhões de reais das operadoras de telefonia e ainda doar a elas outros 80 bilhões da estrutura de comunicações do país?

 

.

Fonte - Sergio Pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.