POLICIAIS DO SEVIC DE GUAJARÁ-MIRIM DESARTICULAM QUADRILHAS QUE AGIAM NA FRONTEIRA COM A BOLÍVIA

Há três dias, a Polícia Civil, através do Serviço de Vigilância e Capturas [SEVIC], da Delegacia Regional, investigou e prendeu uma quadrilha composta por homens, mulheres e um adolescente, acusados de roubos às residências, porte ilegal de arma, tráfico de drogas e receptação.
Quinta-Feira, 09 de Fevereiro de 2017 - 10:28

Porto Velho, Rondônia - Os índices  de violência aumentam, à  cada dia, na cidade de Guajará-Mirim, por conta da elevação do número de roubos e furtos. Além do crescimento do narcotráfico nos dois lados da fronteira -bi-nacional.

Os casos mais comuns, segundo autoridades policiais, 'giram em torno de crimes contra o patrimônio, sobretudo roubos às residências quando as vítimas são submetidas à violência e até assassinadas durante a ação dos bandidos'.

Guajará-Mirim, além do aumento crescente da violência nas ruas, passa por momentos de incerteza na política, economia  e nos negócios voltados ao setor primário e no comércio. A cidade, por ouro lado, 'nas últimas décadas apresenta quadros reprováveis na saúde, educação, agricultura, meio ambiente e cidadania', diz um ex-candidato a prefeito.

Na segurança, o número de roubos, furtos e tráfico de drogas, a cidade não tem recebido a atenção devida da parte do poder público [municipal, estadual e da União Federal]. As queixas são de empresários, trabalhadores e representantes comerciais nos dois lados da fronteira.

Lidera o ranking, nos últimos vinte anos, de atividades ilícitas ligadas aos crimes de contrabando de mercadorias, tráfico de drogas e roubo de veículos. A maioria desses crimes, apesar da atuação do Fisco, 'a movimentação dos ilegais, á cada dia, só aumenta',atesta um policial aposentado.

Há três dias, a Polícia Civil, através do Serviço de Vigilância e Capturas [SEVIC], da Delegacia Regional, investigou e prendeu uma quadrilha composta por homens, mulheres e um adolescente, acusados de roubos às residências, porte ilegal de arma, tráfico de drogas e receptação.

Segundo disse à imprensa o delegado Lawrence Lachi, chefe da operação que desarticulou mais uma quadrilha que agia na fronteira com a Bolívia, 'todas as prisões estão interligadas por vários crimes praticados pelos mesmos elementos, detidos e presos'.

O grupo agia, sobretudo nos bairros Serraria, Santa Luzia, Beira-Rio e Triângulo, este uma das principais rotas de fuga dos bandidos para o outro lado da fronteira com a Província de Guayaramérin, no Departamento BENI.

Para agentes do SEVIC, 'o grupo é o principal responsável pela série de roubos e furtos a residências e de veículos, tanto na área central quanto na periferia da cidade'. Segundo eles, 'vão responder ainda  por tráfico de drogas, porte ilegal de arma e recepção', arremataram as fontes.

XICO NERY  

Fonte - NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.