A PERUCA QUE POUCOS CONHECIAM

Vaidoso, o bilionário usa peruca há muitos anos, para esconder a careca
Terça-Feira, 31 de Janeiro de 2017 - 14:45

Do blog Diário do Poder

O ex-bilionário Eike Batista foi obrigado a retirar a peruca que utiliza para esconder a careca, como o Diário do Poder antecipou que aconteceria, na manhã desta segunda (30). O protocolo é adotado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap). Homens têm a cabeça e barba raspadas, quando entram no sistema prisional, e as perucas são proibidas até em visitantes, para evitar o ingresso de materiais proibidos.

A Defensoria Pública do Rio considera isso “fere o respeito e a dignidade humana”, por essa razão ingressou com ação na Justiça, mas, por 2x1 votos, os desembargadores da 5ª Câmara Cível decidiram que a medida deve continuar por questões de saúde e higiene, principalmente, para impedir a proliferação de pragas e manutenção da disciplina nas unidades prisionais. A Defensoria entrou com recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

Amor à cabeleira

Eike, que tinha apego pela cabeleira, passou pelo procedimento no início da tarde desta segunda-feira (30), horas após a prisão. O empresário tem implante fio a fio, feito na clínica Tricosalus, que pertence ao italiano Alessandro Corona. O implante começou a ser feito em 2010.

Apenas a consulta na clínica custa R$ 637. Já o valor inicial do procedimento, segundo a Revista Veja, é de R$ 9 mil. A quantia, no entanto, pode subir a depender da qualidade e quantidade dos fios.

Os segredos do X

Carlos Brickmann

Em 2012, Eike Batista publicou seu livro para ensinar empreendedorismo: "O X da Questão - a trajetória do maior empreendedor do Brasil".

Pois é, há muito a estudar na trajetória de Eike. A ordem de prisão contra ele foi emitida em 13 de janeiro de 2017, pelo juiz federal Marcelo Bretas. Os agentes foram buscar Eike 13 dias depois, e não o encontraram. Soube-se que decolara para Nova York duas noites antes.

Normalmente, os investigados ficam sob monitoramento dos federais até que a operação seja desfechada.

Outro detalhe curioso: Eike viajou sozinho, na véspera da viagem da família. Por algum motivo, sabe-se lá qual, preferiu sair um dia mais cedo.

Cela de Eike tem 15 metros, água fria e 4 beliches

O empresário Eike Batista, que se apresentou nesta manhã de segunda-feira (30) à Justiça brasileira, ficará preso em uma cela da Penitenciária Bandeira Stampa, conhecida como Bangu 9, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. A cela tem 15 metros quadrados com quatro beliches. A água é fria. As informações são do RJTV.

O cenário é bem diferente da mansão no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, onde a Polícia Federal buscou o empresário semana passada - na ocasião, ele já tinha viajado para Nova York. Segundo reportagem da revista Época, o imóvel tem 3,5 mil metros quadrados.

De acordo com a reportagem, agentes penitenciários, que pediram para não ser identificados, contaram que Eike está numa cela da galeria A, um setor da penitenciária onde costumam ficar suspeitos de envolvimento com milícias. O empresário divide a cela com seis outros presos sem curso superior dos processos da Lava-Jato, no Rio.

Na cela de 15 metros quadrados há um buraco no chão chamado de "boi" que serve como vaso sanitário. O chuveiro é um cano de água fria para o banho. O preso pode levar uma televisão e ventilador por conta própria. Eike Batista fará quatro refeições diárias.

O empresário jantou às 17h, mas o cardápio não foi revelado pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

O presídio não está lotado, segundo informações do RJTV. São 541 vagas e, atualmente, há 422 presos. Das 26 vagas para trabalho interno, só uma está disponível.

A unidade tem enfermaria, escola, biblioteca e consultório dentário. Os presos podem receber visitas cinco dias por semana. No mês passado, 12 telefones celulares foram apreendidos durante a vistoria.

Luma defende Eike: “Empresários ficam acuados”

Luma de Oliveira, em 1998, desfila pela escola Tradição usando uma coleira com o nome de Eike

Ex-mulher de Eike Batista, Luma de Oliveira defendeu o empresário em suas redes sociais. "[Ele] Fez muitos investimentos no nosso país com recursos próprios. Infelizmente, parece que os empresários ficam acuados por pseudogovernantes. Lamentável", escreveu.

Luma falou sobre o assunto nesta segunda-feira (30), após receber uma série de comentários de seguidores que diziam estar orando por ela e sua família. "Estamos com muita fé de que tudo vai acabar bem", respondeu a ex-modelo e atriz aos fãs. "Ele enfrenta o que tiver que enfrentar."

Luma é reconhecida como uma das mais simbólicas musas do Carnaval do Rio de Janeiro e despertou polêmica ao desfilar, em 1998, à frente da bateria da Tradição, com uma coleira bordada com o nome de Eike.

"Estou firme o mais que posso para ajudar os meninos", concluiu, referindo-se aos dois rapazes que teve durante seu casamento com o empresário.

A atual mulher de Eike também fez uma postagem nas redes sociais com a frase "Deus tem um propósito até nos dias mais difíceis". Ela é mãe do filho caçula do empresário, um menino de três anos.

FILHO

O DJ Olin Batista, filho de Eike com Luma, também postou mensagens de apoio ao pai em uma rede social. Olin disse que "está na hora de passar as coisas a limpo", repetindo frase dita por Eike em entrevista à TV Globo antes de se entregar para a Polícia, na sala de embarque do aeroporto de Nova York.

A mensagem é acompanhada de foto dele com os país e o irmão mais velho, que já teve 2.398 curtidas e 409 comentários até a publicação desta reportagem. Ele lançou a hashtag #ForçaEikeEstamosComVocê.

Há expectativa quanto a uma possível delação de Eike. O empresário se valeu do relacionamento com políticos para construir seu império, que ruiu em meados de 2013.

Fonte - 010 - ouropretoonline

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.