REFLORESTAMENTO: SEMA E ARFLORA ARTICULAM PROJETO FLORESTA PLANTADA EM PORTO VELHO

Objetivo é criar um maciço florestal que sustente em um futuro bem próximo uma laminadora na região
Sexta-Feira, 27 de Janeiro de 2017 - 11:55

Os produtores rurais de Porto Velho poderão contar em breve com um amplo programa de florestamento e reflorestamento para fins comerciais. Para isso o subsecretário municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Robson Damasceno iniciou diálogo com a Associação Rondoniense dos Produtores e Consumidores de Floresta Plantada (Arflora), por meio do assessor executivo, Ivo Jeronimo e com o coordenador estadual de Florestas Plantadas, engenheiro florestal Edgard Menezes Cardoso.

O objetivo da articulação é fazer com que Porto Velho possa se tornar um grande modal de florestas plantadas. As florestas plantadas são aqueles plantios de árvores para fins comerciais, uma atividade sustentável, pois considera aspectos econômicos, sociais e ambientais e que poderá melhorar a vida dos produtores rurais da capital, alavancando a economia.

Jerônimo explicou que com a regulamentação em nível estadual da Política de Florestas Plantadas, as regras para o plantio e a comercialização ficaram bem definidas. “Atualmente há um novo ânimo para a cadeia produtiva da madeira, temos que aproveitar esse momento para promover o desenvolvimento florestal da capital, já que em muitos municípios do interior a atividade econômica já gera grandes negócios para os produtores”, explicou Ivo.

Para o engenheiro Edgar Menezes Cardoso a união entre Estado, município e a Arflora pode originar em um maciço florestal comercial bem produtivo. “É necessário promover a integração entre pequenos, médios e grandes produtores. Demonstrar que o desmatamento é muito danoso à capital e ao Estado de Rondônia. Não podemos mais retirar da floresta nativa, indiscriminadamente, suas árvores. Temos grandes áreas que são produtivas e que estão a margem do desenvolvimento. É fundamental que essas terras sejam transformadas em florestas para abastecer o mercado consumidor de madeira”, disse Edgar.

Edgar também salientou que atualmente os agentes financeiros apresentam linhas de crédito específicas para a cadeia dos produtos florestais. “Esse processo estimula o produtor rural a recuperar suas áreas degradadas com vistas a uma perspectiva futura lucrativa. Ressalto que a movimentação em torno da floresta plantada une o interesse de preservar e conservar”, observa Menezes.

FLORESTA E PECUÁRIA

Para o secretário Robson Damasceno, a alternativa mais viável para os empreendedores rurais da capital está no panorama favorável que a floresta plantada propõe ao combinar árvores, pastagem e gado, tudo concentrado em uma mesma área e ao mesmo tempo, aliando a atividade com o agronegócio. “A ideia é que o produtor rural de Porto Velho possa incrementar a produtividade por unidade de área. A Sema estará concluindo nos próximos dias o seu planejamento estratégico que tem por base os preceitos lançados pelo desejo de sustentabilidade do prefeito dr Hildon Chaves. Nesse escopo, um dos programas a serem implementados é o de Florestas Plantadas.”, definiu Damasceno.

EVOLUÇÃO

Robson explicou que no início do mês de janeiro, foi iniciada uma parceria entre a Sema e Sedam que culminou com o plantio de 600 mudas de pinho cuiabano (paricá) em um assentamento de Porto Velho. “Estamos estudando a área. Os produtores locais se comprometeram a aderir ao Floresta Plantada, o objetivo é criar um maciço florestal que sustente em um futuro bem próximo uma laminadora na região.”, disse Robson. Essa realidade já vivida por cidades do interior trouxe um alento para as empresas laminadoras que passavam por dificuldades. Iniciativas como esta podem assegurar o suprimento de matéria prima florestal em quantidade e com segurança institucional.

Fonte - 010 - Comdecom

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.