MARIA VAI COM AS OUTRAS

Se a Sicrana foi pra Bariloche, então é pra la que ela iria, mesmo detestando o frio, sem nunca ter visto neve, a coisa que ela mais gostava era esquiar.
Quinta-Feira, 05 de Janeiro de 2017 - 23:25

Se a Fulana dizia que gostava do amarelo, então ela lembrava de milhões de adjetivos pra cor amarela, é uma cor viva, alegre, segundo a filosofia japonesa é a cor da fortuna, a cor que ela mais gostava;

Se a Sicrana foi pra Bariloche, então é pra la que ela iria, mesmo detestando o frio, sem nunca ter visto neve, a coisa que ela mais gostava era esquiar.

Estou falando da Godofreda, moça bonita, cheia de sonhos, cabelos loiros, cabeça nas nuvens, tinha lindas pernas, mas não tinha os pés no chão, tinha olhos azuis e miolo mole, nariz arrebitado e minhoca na cabeça, tinha tudo que causava inveja às outras moças da sua idade e ao seu redor, tinha um marido que dava o sangue por ela , mesmo assim não conseguia ser feliz, faltava alguma coisa.

Um dia, uma amiga (mui amiga) disse que tinha se cansado da monótona vida a dois e tinha se separado do marido, porquê ela não fazia o mesmo? Naquela mesma noite ela comunicou ao Astrogildo a sua decisão.

Ele quase entrou em óbito, não esperava por isso, mas conhecendo as paranoias da esposa, simplesmente aceitou, achou até que era melhor pra ele, afinal já estava de saco cheio das vontades estapafúrdias.

Não muito tempo depois, outra amiga, uma lambisgoia pervertida, arrumou um amante, um garotão ainda cheirando o leite das tetas da mãe, Ela não podia ficar pra trás, descolou também um rapazote, que nem sabia fazer amor direito e ainda jogava bolinha de gude no meio da rua.

Isso também durou pouco, porquê apareceu a Beltrana dizendo que a melhor coisa do mundo era a liberdade, que ela tinha se libertado de tudo, marido,casa, carro, conta no banco, jóias, agora sim ela tinha encontrado a felicidade.

Não deu outra, Godofreda fez o mesmo, pediu divórcio, abriu mão de tudo de papel passado, até pensão ela não quis.

E foi ela então em busca de ser feliz, trabalhou de doméstica... doméstica, ela era doméstica, sem carteira assinada, só caia em cilada... Dusek... passou a andar de ônibus, teve que pagar aluguel em um cômodo de fundos, sem reboque, telhado de brasilit (um barraco) o importante era ser feliz, mas não foi.

Ao contrário do ex, que a cada dia estava melhor, esbanjando felicidade.

Dai,né! ela acordou pra vida e acabou descobrindo a verdade.

A Beltrana e o Astrogildo armaram uma arapuca e ela caiu igual um patinho... vai na conversa dos outros, vai.

valdirfachini53@gmail.com

Fonte - Valdir Fachini

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.