HOLOFOTES, DECISÃO SALOMÔNICA E A CRISE QUE NÃO SERÁ A ÚLTIMA

Quando se faz tanto jogo de cena; tanta batalha por holofotes; tanto esforço para desmoralizar adversários; tanto barulho por nada, como diria Shakespeare,
Quinta-Feira, 08 de Dezembro de 2016 - 08:29

Quando se faz tanto jogo de cena; tanta batalha por holofotes; tanto esforço para desmoralizar adversários; tanto barulho por nada, como diria Shakespeare, fica muito claro: os interesses do país ficam, outra vez, em terceiríssimo plano. Primeiro, o ego dos políticos e membros do Judiciário. Depois, o esforço de parte da mídia para pintar o quadro que lhe melhor aprouver, não importam os exageros e nem o combustível jogado na crise. Lá atrás, se sobrar um espaçozinho, aí sim, entra a preocupação com o Brasil. O apaixonado por holofotes, ministro Marco Aurélio de Mello, com seu ego maior que o Maracanã, criou a crise, sabendo exatamente no que ela iria resultar. O réu Renan Calheiros, certamente um dos políticos que mais produzem contra a Nação, há décadas, mas sempre reconduzido ao Poder por seu curral eleitoral, outra vez foi o centro da crise. Sempre ele. O poderoso. O intocável. O que renunciou para não perder uma cadeira no Senado e voltou, exultante, pelas mãos de milhares de eleitores (pobres coitados), das Alagoas. Num plano um pouco menor, a triste e lamentável situação dos demais ministros STF, o Supremo Tribunal Federal, que deveriam ser as autoridades do Judiciário mais respeitadas do país, mas que, ao se apaixonarem pela mídia, desceram à plebe, até para baterem boca entre eles; com a mídia e até com o populacho.

Toda essa situação, que culminou com o STF tendo que baixar a cabeça ao Senado e, para não desmoralizar o multimidiático Marco Aurélio, inventar uma saída salomônica, deixa claro o quanto nosso país está sem rumo, do seu comando geral a praticamente todas as autoridades importantes da República. Todos estão sem saber exatamente o que fazer, como fazer e por que caminhos enveredarem, para superarmos tudo isso que está nos acontecendo. Em outras circunstâncias, poderia se imaginar que a crise STF x Renan fosse a última, nesse triste contexto. Infelizmente, não o será. Lamentável!

MINHOCAS E LADRÕES

Cada enxadada, uma minhoca. O que tem de gente roubando, mesmo com todas as ações resultantes das parcerias da Polícia Federal, do Ministério Público e Judiciário, é algo incrível. Trazendo para a cor local, o número de prefeitos, vereadores e agentes públicos enrolados não acaba mais. Depois da “limpeza” em Vilhena, em que prefeito, vice e sete vereadores foram parar atrás das grades, agora foi a vez do prefeito de Pimenta Bueno. Jean Mendonça estar enrolado com acusações de que teria determinado a fiscais do município para não autuarem empresas ilegais ou devedoras do fisco. A coisa também é grande e tornou-se outro show midiático, envolvendo políticos rondonienses. Será que essa gente não vai aprender que, nesses tempos de ações policiais contra políticos, todos devem agir rigorosamente apenas dentro da lei?

ENGANADORES CONTUMAZES

Depois de vários golpes e mentiras, para engambelar o consumidor, finalmente a verdade: mais de 12 por cento de aumento no preço dos combustíveis em todo o país, incluindo nossa Rondônia, é caro. Esse sim é o verdadeiro Brasil, que explora seus cidadãos até extrair-lhes não só todo o dinheiro, mas também um pedaço da alma. Não basta deixar a todos indignados. Tem é que tripudiar. Tem é que ficar fazendo demagogia, avisando que os preços vão baixar, enquanto eles aumentam cada vez mais. É por isso que não dá para confiar em ninguém nesses governos fajutos que escolhemos. Quanto não é a esquerda nos roubando (expropriando, segundo a linguagem deles), é a turma do centro direita, nos fazendo de bestas. Precisamos urgentemente de políticos que não sejam mentirosos. Pelo menos isso!

OS PMS E A MÉDICA GRÁVIDA

O caso ocorrido na UPA DA Zona Sul, esta semana, merece uma profunda investigação, para que não seja faça mais uma injustiça. A médica Letícia Duarte, grávida de sete meses, foi detida por PMs porque não teria atendido a ordem de cuidar de um paciente, vítima de acidente, que a polícia levara ao posto de saúde. Como ela não cumpriu a ordem, foi presa por desacato. A versão da médica, se for verdadeira, pode colocar os PMs numa situação em que eles poderão ser denunciados por abuso de poder. Segundo ela, ao mesmo tempo em que era chamada para atender a vítima trazida pelos PMs, estava, ao mesmo tempo, atendendo outras duas pessoas feridas. Como interromperia esse atendimento, para cuidar de um terceiro paciente? É bom que toda a situação seja bem esclarecida, para que não pareça que a polícia agora quer também mandar nos médicos...

MAIS UMA VERGONHA!

Somos péssimos em Leitura. Somos horrorosos em Matemática. Somos trágicos em Ciências. Definitivamente, a politização do ensino – com professores que dominam as escolas preferindo discutir temas como os ligados ao gênero – do que lecionar corretamente as matérias básicas, derrubaram a qualidade da nossa educação. Nesses três quesitos, estamos entre os piores países do mundo. Em Ciências, estamos na posição 63, num ranking internacional de estudantes. Em Matemática, pior ainda: posição número 66. Em Leitura, na 59ª. Cingapura, Japão e Estônia são os países com mais qualidade no ensino. O Brasil, onde todos discursam que a Educação é fundamental, a cada ano, só cresce. Mas cresce como rabo de cavalo: para baixo.

HILDON E OS PARCEIROS

O governador Confúcio Moura e o prefeito eleito Hildon Chaves, acompanhados de parceiros e assessores, passaram boa parte da tarde de terça juntos. Visitaram o conjunto Orgulho do Madeira, outros conjuntos habitacionais e reafirmaram: vão ser grandes parceiros em 2017. Hildon anda bastante satisfeito. Sente no ar que há um espírito de solidariedade das principais autoridades para com ele, no sentido de dar-lhe todo o apoio para que ele consiga atingir seus objetivos e transformar Porto Velho numa Capital que mereça esse nome. Empresário de sucesso, de visão e sabendo dos desafios imensos que terá pela frente, Hildon Chaves precisará mesmo de todo o apoio que puder angariar. Tomara que a Câmara de Vereadores, bastante renovada, não o atrapalhe. Porque do Governo, Assembleia Legislativa, bancada federal e vários outros poderes, terá mesmo um embasamento forte, ao menos no primeiro ano do seu governo.

PERGUNTINHA

Será que o ano de 2017, que vem aí, será tão ruim, problemático e trágico para o Brasil, como foi esse 2016, que estamos todos torcendo para terminar logo?

Fonte - 010 - sergio pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.