HÁ ALGO DE BOM, DEPOIS DE UMA TRAGÉDIA COMO A DE CHAPECÓ?

PERGUNTINHA : Até quando vamos aceitar que companhias aéreas como a Lamia, que transportava os 71 mortos e os seis sobreviventes da delegação da Chapecoense, coloquem em risco a vida de passageiros, para economizar alguns tostões?
Domingo, 04 de Dezembro de 2016 - 10:43

O Brasil parou de novo, nesse sábado. Foi mais um dia de angústia, de tristezas, de choro, de homenagens. Em cada canto desse país, mas também na América Latina e várias partes do mundo, todos assistimos às cenas inacreditáveis de 50 caixões colocados um ao lado do outro, num estádio de futebol, sob chuva intensa. Outros caixões ainda chegarão, até que todas as vítimas da tragédia de Medellin sepulte todas as suas vítimas. Milhões de brasileiros continuam chorando, tentando entender como vidas de atletas, gente jovem, tão querida, gente saudável, cheia de sonhos, acabaram assim, de um momento para o outro, pela suspeita de que o dono da companhia aérea que pilotava o voo lotado, preferiu arriscar a vida dele (e ele morreu) e de dezenas de pessoas ( e só seis sobreviveram), para economizar algum dinheiro, por não ter reabastecido a aeronave. Em Rondônia, a dor arrasa quarteirão também chegou a muita gente. E as homenagens também. Use-se um exemplo, para sintetizar todos: na  SICTV/Record, um dos programas de maior audiência da mídia rondoniense, o Papo de Redação, com os Dinossauros, foi todo dedicado ao clube catarinense e às vítimas. Os conhecidos jornalistas e radialistas, gente de TV há décadas, apresentaram-se com  uma camiseta da Chapecoense, com o distintivo do clube e o símbolo da emissora. Durante os últimos dias, aliás, todas as emissoras do Estado ficaram abarrotadas de mensagens de solidariedade, de tristeza, de lembranças do hoje mais famoso, embora tristemente famoso, clube de futebol do Planeta. 

Enquanto se investigam as causas do acidente, busca-se também algo que pode ser positivo, no meio de tanta tragédia. Certamente nunca mais alguma aeronave vai andar pelos céus sem combustível suficiente. Outra: o amor e a solidariedade do povo colombiano. Mais: as homenagens em todo o mundo, que demonstraram a bondade humana, a ponto de tirar do noticiário tantas guerras e maldades, substituindo-as pelo sentimento solidário, que atingiu a cada ser humano, a quem a notícia do voo trágico chegou. Chapecó é do Brasil, mas também é do mundo. Há muita tristeza, mas a solidariedade nos encheu de esperança, entre tantas lágrimas...

OUTRA ROUBALHEIRA

Cada levantada de tapete, uma podridão descoberta. Assim tem sido sobre as investigações relacionadas com as ações do antigo governo do PT. A última é daquelas de a gente achar que é ficção, tão inacreditável parece. Nada menos do que 7.951 servidores federais, muitos deles apaniguados e ligados ao governo anterior, recebiam o Bolsa Família, tirando a oportunidade de que milhares de pobres e miseráveis pudessem ser atendidos. Num pente fino realizado pelo atual governo, o número de pessoas dos chamados “movimentos sociais”; parentes de vereadores e de prefeitos; primeiras damas e outros canalhas de ambos os sexos, recebiam o valor do Bolsa Família como se paupérrimos fossem. Tem que descobrir todos, fazer devolver o dinheiro todo, processar, multar e colocar na cadeia os responsáveis por mais esse vergonhoso processo de roubalheira. 

LUZES E ESCURIDÃO

Enquanto Porto Velho está quase às escuras, parecendo que o Natal não existe, em Ji-Paraná a situação é muito diferente. Lá, a iluminação é abundante, feita a custo baixo, mas com bom gosto e apoio de voluntários. Na sexta foi inaugurada a Casa do Papai Noel, com um público estimado em mais de 10 mil pessoas. Tudo está brilhando e o comércio da cidade comemora, já que a mobilização para o Natal mexe com as pessoas e as leva às lojas, para as compras natalinas. Em Porto Velho, não fosse a CDL promover três domingões nas ruas do centro, Jatuarana e zona leste, os lojistas teriam que amargar um período de final de ano, quando todos vendem mais, com prejuízos ainda maiores. Uma coisa lamentável a falta de ação e de planejamento da Prefeitura, que não se preparou para iluminar a Capital, na época mais festiva do ano! 

LOJISTAS ATRÁS DO COMPRADOR

Por falar nisso, nesse domingo, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), realiza o primeiro dos três domingões. Com a proximidade do Natal, exatamente  o período de melhor faturamento para os lojistas, os comerciantes de Porto Velho dão início a movimentação para atrair os clientes e buscar ampliar suas vendas, que têm sido menores do que o normal. Já nesse domingo, a principal avenida da Zona Sul da capital estará fechada para a realização da 5° edição do “Domingão da Jatuarana”. Lojas estarão abertas durante todo o dia e haverá várias atrações para crianças e adultos. Nos próximos dois domingos, a mesma promoção seguirá pela cidade, tanto na zona leste quanto na avenida Sete de Setembro, no centro. 

 O DEBATE VAI LONGE

“Os juízes brasileiros tornaram-se, nos últimos tempos, alvo de ataques, de tentativas de cerceamento de atuação Constitucional e o que é pior, busca-se até mesmo criminalizar o agir do juiz brasileiro restabelecendo-se até mesmo o que já foi apelidado de crime de hermenêutica no início da República e que foi ali repudiado”. O protesto é da presidente do Supremo, ministra Carmen Lúcia, Ela acrescentou que “juiz sem independência não é juiz, é carimbador de despacho, segundo interesses particulares e sem garantir os direitos fundamentais dos cidadãos. A magistratura, no geral, está  criticando o texto do projeto das medidas contra a corrupção, assim como a maioria dos membros do Ministério Público. Mas a posição não é de todos. Há gente dos dois poderes achando que as medidas propostas pelo MP e apoiadas por 2 milhões de brasileiros, se fossem colocadas em prática, trariam práticas ditatoriais. Ou seja: o tema é complexo e o debate vai longe, ainda.

ALGUÉM AÍ ENTENDE?

Tem coisas que a gente não consegue compreender mesmo. O mesmo Ministério Público Federal que lavou as mãos quando meia dúzia de idiotas invadiram escolas, impedindo a realização do Enem, agora querem o cancelamento total das provas, porque dois candidatos do Ceará teriam tido acesso aos seus resultados antes da realização. São essas coisas que acabam sendo incompreensíveis. Quando alguns estudantes celerados causaram um dano a mais de 200 mil, que não puderam fazer as provas em colégios invadidos, nada do MPF abrir o bico. Mas quando podem ser prejudicados alguns milhões dos que se sacrificaram para realizar o exame, aí pode! Tem alguém aí com inteligência superior que possa explicar uma coisa dessas?

PERGUNTINHA

Até quando vamos aceitar que companhias aéreas como a Lamia, que transportava os 71 mortos e os seis sobreviventes da delegação da Chapecoense, coloquem em risco a vida de passageiros, para economizar alguns tostões?

Fonte - Sergio Pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.