CAFÉ E VERÃO: COMBINAÇÃO INUSITADA ACELERA O METABOLISMO E POTENCIALIZA A DIETA

Estimulante, cafeína aumenta a disposição para malhar e ainda auxilia na queima de gorduras
Segunda-Feira, 28 de Novembro de 2016 - 09:33

Daqui a um mês começa a estação mais aguardada pela maioria dos brasileiros: o verão. Férias, calor, sol, praia e piscina são sinônimos de roupas mais leves e curtas e, consequentemente, corpo à mostra. Há quem diga que prefere o inverno, mas, amando ou odiando, o fato é que ninguém quer aparecer fora de forma. Todos desejam exibir uma silhueta mais enxuta e definida. Por isso, muitos ainda aderem medidas extremas, cheias de restrições e nada saudáveis, visando apenas acelerar o processo de emagrecimento, porém, felizmente, cada vez mais pessoas estão em busca de novidades para perder peso de forma segura e natural. A boa notícia é que, atualmente, já é comprovada a existência de alimentos funcionais que ajudam nessa luta, e o melhor: unindo sabor e saúde na mesma receita. Um deles é o caf& eacute;, que está no pódio das bebidas mais amadas e consumidas no país.

Vai um cafezinho aí?

É difícil achar alguém que não goste de saborear um café fresquinho, principalmente aqui no Brasil, onde apreciar a bebida já é uma tradição cultural antiga que ainda move a vida de muita gente. Atualmente cerca de 8 milhões de pessoas trabalham com café. Os grãos nacionais estão entre os melhores e mais caros do mundo. A produção da região serrana do Espírito Santo pode chegar a custar R$16 mil e parte da safra tem como destino a família real da Noruega. Mas é Minas Gerais que sustenta o país na liderança mundial de produção e exportação de café.

Há muitos anos a substância vem sendo alvo de controvérsias que questionam seus efeitos em decorrência de sua propriedade mais marcante: a cafeína – componente químico encontrado nas sementes, frutos ou folhas de muitas plantas, e em alguns alimentos e bebidas que age no sistema nervoso central. Porém vários estudos estão descontruindo os mitos sobre seus malefícios.

Cafeína: vilã ou mocinha?

Os amantes do cafezinho já podem respirar mais aliviados, isso porque um estudo da Universidade de São Francisco na Califórnia (USCF -EUA), publicado no Jornal da Associação Americana do Coração, desmistifica a fama de vilã que a cafeína adquiriu na crendice popular e afirma que não é possível associar seu consumo ao aumento do risco de doenças como AVCs (acidente vascular cerebral) e arritmias cardíacas. A pesquisa, que contou com 1.388 participantes, é a maior amostra sobre o impacto da cafeína ao sistema cardiovascular realizado até então e ressalta que ao contrário do que se imaginava, seu consumo regular não causa alterações nos batimentos cardíacos e ainda pode trazer benefícios a saúde do coração.

Principais fontes

A substância é encontrada naturalmente em diversos alimentos como o chá, o cacau e o guaraná e ainda pode ser adicionada artificialmente a outros produtos como refrigerantes, energéticos e, até mesmo, algumas medicações. No entanto a quantidade presente é bem menor do que a concentrada no café. Contudo, é difícil dizer ao certo qual a quantidade de cafeína extraída por grama de grão devido às várias formas de preparações existentes – filtração, instantâneo, expresso, etc. – que causam uma variação nesse processo.

Café e boa forma

Devido ao seu poder termogênico, a cafeína se tornou muito popular entre os suplementos para redução das medidas. A substância ajuda na performance, retarda a fadiga e auxilia a perda de peso, pois tem a capacidade de quebrar o tecido de gordura, favorecendo a eliminação dos excessos. Obviamente, seu consumo precisa estar associado a uma dieta saudável para que suas propriedades contribuam para o emagrecimento e potencializem os resultados da malhação.

Café verde

Se o tradicional já pode ser considerado um grande aliado da saúde, imagine a versão verde, conhecida também como green cofee. O nome deve-se ao processo de fabricação do produto, que não passa pela torra, preservando assim suas propriedades naturais como a cafeína, os antioxidantes e o ácido clorogênico em maior concentração. Isso acontece, pois o café verde não passa pelo processo de torrefação que, apesar de reduzir o gosto amargo do grão, também diminui sua concentração de cafeína.

Este é o principal diferencial do café verde: a alta concentração de cafeína. De acordo com a nutricionista Sinara Menezes, a grande vantagem para aqueles que seguem uma dieta de redução de peso é o efeito estimulante do grão “Devido suas propriedades o café verde é capaz de acelerar o metabolismo e aumentar o gasto calórico, favorecendo tanto a dieta, quanto a prática de exercícios”. E não para por aí, de acordo com a especialista da Nature Center “por ser feito a partir do grão in natura, boa parte dos nutrientes benéficos são mantidos numa taxa muito mais elevada”.

Bom para quem pratica exercícios

O efeito estimulante da cafeína ativa regiões importantes no cérebro e os benefícios vão muito além. A substância tem a capacidade de melhorar o desempenho físico, pois ela diminui a percepção de esforço ao realizar uma atividade física, assim, a pessoa tem a sensação de ser mais fácil do que realmente é. Ela também retarda a fadiga ao poupar os estoques de glicogênio muscular.

De olho na dosagem

O segredo para aproveitar ao máximo os benefícios de alimentos funcionais como o café está na dose. Por mais clichê que pareça aquela frase que indica o “consumo com moderação” neste caso ela é uma observação muito válida, pois existem aqueles que devem ter atenção redobrada e orientar-se com profissionais ao incluir produtos e alimentos à base de cafeína à dieta como gestantes, nutrizes e pessoas com problemas crônicos.

A nutricionista também alerta para evitar o exagero, principalmente por parte daqueles que enfrentam dificuldades para dormir, pois seu efeito estimulante pode prejudicar o sono. “É muito importante ter o acompanhamento de um profissional da saúde e controlar as porções ingeridas, pois o ideal é extrair os efeitos benéficos sem se tornar dependente. Além disso, é fundamental buscar fontes seguras para alcançar todos os benefícios que o nutriente pode oferecer” acrescenta a especialista.

Consumo

O composto, feito puramente a base de cafeína concentrada, é a aposta do momento. Sua fama – por beneficiar as dietas de emagrecimento e potencializar o desenvolvimento das atividades físicas – já fez adeptos até entre as celebridades e estrelas de Hollywood. A forma mais prática de consumir a substância é através da ingestão de pílulas de extrato do nutriente, que possibilitam os efeitos sem ter que ingerir o café ou outras bebidas que possam conter açúcares ou ingredientes indesejáveis e calóricos na sua composição. Mas é possível encontrar

o café verde comercializado de diversas formas e sua administração varia de acordo com as orientações de cada uma. Em geral, é recomendado ingeri-lo durante o dia, antes das refeições e do treino, para otimizar o rendimento dos exercícios físicos.

Fonte - Laisa Sales

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.