SALAS DE VACINAS COMEÇAM A SER INFORMATIZADAS EM PORTO VELHO

A primeira a incorporar o novo sistema foi a Unidade de Saúde da Família Osvaldo Piana, no Areal, zona sul da cidade.
Quarta-Feira, 23 de Novembro de 2016 - 16:17

A Prefeitura de Porto Velho lançou nesta quarta-feira, 23, o Programa de Informatização das Salas de Vacina que será implantado nas unidades de saúde da capital, ação que integra o município ao Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (Sipni), do Ministério da Saúde. A primeira a incorporar o novo sistema foi a Unidade de Saúde da Família Osvaldo Piana, no Areal, zona sul da cidade.

Na ocasião a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) entregou à direção da unidade uma caixa de gabinete (CPU), um monitor, teclado, mouse, nobreak — para garantir o funcionamento do equipamento no caso da falta de energia — e uma impressora. Pelo cronograma da Semusa, até o dia 31 deste mês todas as unidades de saúde da área urbana estarão integradas ao novo sistema.

“O objetivo do atendimento informatizado especificamente nas salas de vacinação das unidades de saúde do município, é facilitar o controle, a avaliação e a execução das atividades dessas salas, além de diminuir a burocracia com a agilização do atendimento e garantir a troca confiável de informações à população e melhorar a qualidade do serviço”, explicou o diretor da USF, Raimundo Feitosa.

Para o diretor, a incorporação de novas tecnologias, como o sistema informatizado para o registro de vacinação com dados nominais, é fundamental para a manutenção da boa qualidade do programa, além de servirem de ferramentas úteis para o agendamento de vacinas, identificação e busca de faltosos e monitoramento das coberturas vacinais e de Eventos Adversos Pós-Vacinação (EAPV).

O novo sistema pode também ser utilizado como base de dados eletrônica, confidencial e populacional facilitando a coleta e a consolidação dos dados de vacinação que podem ser utilizados na concepção e manutenção de estratégias de imunização efetivas.

Em termos operacionais, o sistema pode fornecer informações consistentes sobre o histórico de vacinação dos pacientes ao longo de suas vidas, notificação automática de vacinas agendadas e em atraso, vigilância ativa de EAPV, subsídios de indicações e contraindicações e alerta sobre data de validade e lote das vacinas utilizadas e estocadas.

Em nível populacional, é importante para vigilância, avaliação de respostas a surtos, verificação de disparidades na cobertura vacinal, oferecendo subsídios para tomada de decisões. Ao melhorar a cobertura, reduz-se as taxas de doenças imunopreveníveis, tornando o sistema uma ferramenta importante para o planejamento dos serviços de saúde e avaliação das intervenções prestadas.

Fonte - assessoria

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.