'NÃO FALTARÃO RECURSOS PARA A OBRA E A PONTE SERÁ ENTREGUE EM 2018,' GARANTE MINISTRO

Coube a ele falar das mudanças no projeto original da ponte tento em vista os últimos transbordamentos do Rio Madeira que forçou o órgão a alongar as cabeceiras de um extremo a outro.
Sabado, 19 de Novembro de 2016 - 10:02

Com um discurso que pregava “Integração” e “União” entre os estados da Amazônia, membros das bancadas do Acre e de Rondônia sobre a liderança do Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil do Brasil, Maurício Quintella, vistoriaram nessa sexta-feira (18), o canteiro de obras da ponte do Rio Madeira no Distrito de Abunã, em Rondônia.

Da boca do anfitrião do ato, Maurício Quintella, foi dada a garantia da continuação dos trabalhos na localidade, por parte do governo federal, mesmo em tempos de crise financeira e que tem deixado muitos projetos de infraestrutura em stand-by país afora. Além disso, ele informou que o executivo federal vai injetar em 2017 aproximadamente R$ 30 milhões de reais no empreendimento.

"Essa foi uma obra priorizada pelo presidente Michel Temer. Já temos trinta milhões de reais garantidos no orçamento de 2017. O que posso garantir como ministro que não faltará recurso para a sua execução. Esperamos concluí-la em 2018. Tenho certeza que essa obra não vai ter nenhuma descontinuidade”, afirmou.

Na ocasião, Quintella frisou o empenho dos parlamentares e ressaltou a importância da obra para a região amazônica sob o conceito de “integração nacional” e de “integração com pacífico”. 

“A luta das bancadas do Acre e de Rondônia de irem ao presidente, garantirem recursos, ocasionou para que eu estivesse aqui. Foi um pedido do presidente para que verificasse in loco, na Amazônia, a ponte e ver como as obras estão caminhando, além de garantir ao povo que teremos sim integração nacional, que a ponte é importante para o escoamento da produção local e que vai ligar ainda mais o Brasil ao pacífico”, disse. 

O diretor-executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Ralph Luiggi também esteve na visita. Coube a ele falar das mudanças no projeto original da ponte tento em vista os últimos transbordamentos do Rio Madeira que forçou o órgão a alongar as cabeceiras de um extremo a outro. 

“O que aconteceu em 2014, nos pegou de surpresa. Nunca havia acontecido nos últimos 50 anos aqui na região. Isso mudou a dinâmica hidráulica e hidrológica no Rio Madeira. Se faz necessária a preparação para ocorrência dessa natureza. Por isso, tivemos que adequar o projeto que está em andamento. A nossa área de planejamento estratégico está analisando, a nossa área rodoviária faz o mesmo, e a expectativa é que até o final do ano o projeto receba essas adequações. Isso não significa que a obra vai parar. As outras ações continuam em andamento e estão dentro do cronograma. A expectativa é que até o final de 2018 tenhamos entregado a população”, frisou. 

Foi perceptível para quem acompanhou o grupo e o engajamento entre si ao defenderem que as duas unidades das federações - Acre e Rondônia - serão beneficiadas com a estrutura. A comitiva foi composta pelos senadores Valdir Raupp (PMDB), Ivo Cassol (PP), a deputada federal Marinha Raupp (PMDB), deputado federal Marcos Rogério (DEM) e o prefeito eleito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB).

Fonte - NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.