AUTENTICIDADE E TRANSPARÊNCIA - Por João Antonio Pagliosa

É muito raro nos depararmos com pessoas que falam o que pensam, e que demonstram o que sentem, sem constrangimentos. Pessoas assim quase não mais existem!
Segunda-Feira, 14 de Novembro de 2016 - 12:03

É muito raro nos depararmos com pessoas que falam o que pensam, e que demonstram o que sentem, sem constrangimentos. Pessoas assim quase não mais existem!

A impressão que temos é que a maioria age de forma teatral, apenas para satisfazer o interesse de outros, e assim não se incomodar.

Iludem-se, e são iludidos.  E são falsos... Falsos como nota de três reais!

Há falta de autenticidade nas pessoas. Há falta de transparência naqueles que nos cercam. Elas dizem o que os outros querem ouvir, e frequentemente não dizem o que os outros precisam ouvir... Tudo para não se incomodar... Para não sair de sua zona de conforto... Assim é nosso mundo contemporâneo.

Em Lucas, capítulo 19, lemos sobre a salvação de Zaqueu, o chefe dos publicanos, homem rico e de baixa estatura, que ansiava ter um contato com Jesus. Ele queria muito vê-lo ... Se possível tocá-lo.

Com pequena altura, a multidão impedia Zaqueu de ver Jesus, daí correu adiante da massa de pessoas e subiu numa figueira para melhor contemplar Jesus, o qual passaria por ali em poucos instantes.

Em hebraico o nome Zaqueu significa justo, e ele não era um simples cobrador de impostos. Era sim, um gerente geral das arrecadações de tributos de Jericó, e ganhava um percentual sobre o trabalho de todos os demais publicanos daquele distrito, uma região rica e próspera, e de terras mui férteis.

E havia um grande desejo no coração de Zaqueu, e enorme curiosidade de ver Jesus, uma curiosidade muito diferente da incredulidade de muitas pessoas que integravam aquela multidão que acompanhava o Filho de Deus.

Ora, Jesus sabia muito bem quem era Zaqueu, e se aquele cobrador de impostos queria vê-lo, Jesus queria estar onde o coração de Zaqueu estava.

E Zaqueu, bem acomodado no alto daquela figueira, ficou estarrecido e deveras surpreso, quando o Mestre olhou para o alto e lhe disse: “Zaqueu, desce depressa porque preciso ficar hoje em sua casa.”

No mesmo instante Zaqueu desceu, e apressado o recebeu com a maior alegria. Jesus em sua própria casa... Que alegria para ele... Quanta honra!

Prezado leitor, Deus é apaixonado por família; e Ele quer lares em paz e em harmonia... E as nossas casas nem sempre estão preparadas para receber visitas inesperadas, não é mesmo?

A família é um maravilhoso projeto de Deus, e é uma Instituição tão sagrada quanto a própria Igreja... E Deus ama estar dentro de nossos lares, compartilhando as nossas intimidades e as nossas alegrias...

Porém, o nosso pior lado muitas vezes se revela dentro de casa. É na intimidade do lar que mostramos quem somos de fato. É ali que retiramos as nossas máscaras.

É muito provável que essa tenha sido a principal razão da visita de Jesus a casa de Zaqueu; uma casa que aparentemente não tinha problemas.

Não tinha problemas? Pois sim...

O problema da casa de Zaqueu é que ele era ladrão! Um ladrão contumaz!

Assim, quando sua esposa ou seus filhos saíam à rua, eles eram criticados e muito mal vistos pela população de Jericó. Onde quer que fossem eram humilhados e ofendidos publicamente, pois o povo sabia que o imposto cobrado era acima daquele exigido pelas autoridades.

E para piorar, eles não eram judeus. A família de Zaqueu era dos gentios e, portanto, hereges. Então, vivia um drama, todos os dias...

E, diante de Jesus, o chefe dos publicanos reconheceu que roubava na cobrança dos impostos da população, (por isso o detestavam), e os erros dos chefes de famílias se refletem sobre todos os membros dessa família, de sorte que as zombarias e as chacotas eram sofridas por cada um deles... E isso, certamente não é fácil de suportar.

Reflita sobre qual é o problema no seio de sua família, prezado leitor? Como esse problema que você gera, afeta a vida de seu cônjuge e de seus filhos?

Certamente, Zaqueu estava farto de viver sendo diariamente humilhado pela população, por isso, sem hesitar, ele disse a Jesus: “O problema aqui em minha casa, sou eu. Eu sou um ladrão e há dinheiro sobrando aqui. É um dinheiro que não nos pertence.”

É necessário que reflitamos sobre o nosso procedimento no íntimo de nossa casa. Será que o problema sou eu? O que eu tenho feito que porventura possa desestruturar a estabilidade e a harmonia de meu lar?

Em Lucas 19 : 8, Zaqueu reconhece que rouba e se compromete a devolver o que roubou, na frente de uma multidão de pessoas. E diante dessa declaração, Jesus lhe disse: “Hoje houve salvação nesta casa, pois este homem também é filho de Abraão.”

A salvação entrará quando houver mudança de atitude! São mudanças comportamentais que irão trazer os familiares à Igreja. Nós precisamos ousar fazer as coisas de forma diferente. De forma correta!

Jesus quer estar também em sua casa... E Ele quer abençoar todos os membros de sua família... Mas, é preciso terminar as transgressões... É preciso parar de enganar...

E Zaqueu mudou tudo em sua casa... Acabou a extorsão aos pagadores de impostos... Daí a grana ficou mais curta e eles precisaram administrar com mais rigor os seus gastos... Mas houve paz e harmonia naquele lar...

E quando saíam as ruas não eram mais humilhados por ninguém... Que maravilha...

A visita de Jesus mudou tudo... Zaqueu sabia que precisava tomar uma atitude...

Mude você também... Comece convidando Jesus a visitar a sua casa... E seja sempre autêntico, sempre transparente... Nunca aparente aquilo que você não é... E consagre todo o seu trabalho a Deus...

Sua vida será um oásis no deserto...

Fonte - João Antonio Pagliosa

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.