SEDAM ASSUME PRESERVAÇÃO BIOLÓGICA, FISCALIZAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICA NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DE SAMUEL

Áreas inundadas pelo reservatório chegam a 10% da área da estação.
Quarta-Feira, 09 de Novembro de 2016 - 15:00

Caça, pesca e extração de açaí, copaíba, pupunha, tucumã e outras plantas, que alimentam ou dão remédio, serão fiscalizadas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), nos 71,06 mil hectares da Estação Ecológica de Samuel, em Candeias do Jamari, a 20 quilômetros de Porto Velho, na margem direita do reservatório da primeira usina hidrelétrica construída em Rondônia.

Os limites da estação administrada pela Sedam também estão abertos à pesquisa científica que resultará na restauração de ecossistemas alterados e manejos de espécies, conforme informou a bióloga Sílvia Gonçalves, da Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC).

“O Vale do Jamari tem grande importância científica para a compreensão da fauna regional”, disse a bióloga.

O nome da unidade foi atribuído em alusão à cachoeira de Samuel, no rio Jamari, a qual desapareceu com a instalação da usina. Áreas inundadas pelo reservatório chegam a 10% da área da estação.

Segundo Sílvia Gonçalves, a proteção exercida pela estação sobre o reservatório impede a degradação de parte de sua área de entorno e garante abrigo à fauna. Ela também destacou a manutenção do estoque de água feita a partir da conservação das cabeceiras do Igarapé Japiim.

R$ 2,6 MILHÕES

No próximo dia 24, em cumprimento ao acordo de cooperação técnica firmado em 2013 entre a Sedam e a Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte), o secretário Vilson Machado, o coordenador da CUC, Osvaldo Pitaluga; e o gestor da Estação Ecológica, Renato Berwamger, entregarão carros, embarcações e equipamentos para uso no território da estação.

Essa unidade de conservação foi criada pelo Decreto nº 4.247, de junho de 1989, em atendimento à Resolução nº 10, de 3/12/1987, do Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Recursos que totalizam R$ 2,6 milhões, provenientes do acordo de cooperação com cinco metas, possibilitarão também a execução do plano de manejo – avaliado em R$ 453 mil –, capacitação de recursos humanos, manutenção da sede e aquisição de combustível (gasolina, óleo diesel e óleo dois tempos).

A contrapartida da Sedam é de R$ 591,7 mil. Ações de fiscalização avaliadas em R$ 1,5 milhão vão durar dois anos, incluindo o reservatório e entorno da hidrelétrica. Neste mesmo período, campanhas de educação ambiental receberão R$ 130,7 mil.

CAMPANHA NAS COMUNIDADES

A campanha ambiental consiste na confecção de material didático para uso nas comunidades do entorno do lago.

Ela enfatizará  a legislação em vigor, ações de conscientização para a prevenção de crimes ambientais e outras. Para supervisionar esse trabalho será constituído um conselho consultivo.

O projeto arquitetônico da sede da estação contempla instalações para pesquisas, palestras e alojamentos. O projeto executivo está sendo licitado.

A estação ecológica receberá duas caminhonetes traçadas 4×4, duas motocicletas, dois quadriciclos, dois barcos de cinco metros, quatro barcos de seis metros, três carretas “reboques para barcos”, um motor de popa 25 hp dois tempos, quatro motores de popa 40 hp dois tempos e 40 placas de sinalização.

Fonte - rondoniaro

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.