POLÍCIA MILITAR APREENDE ARMAS E MUNIÇÕES DENTRO DE ACAMPAMENTO DE “SEM-TERRAS”

Neste local, os PM’s também foram informados que havia pessoas armadas fazendo a segurança dos acampados.
Domingo, 06 de Novembro de 2016 - 08:29

RONDOMINAS  - Após o bárbaro ataque de homens que se intitularam ser de uma Liga estranha as leis e ordens do Estado, na Fazenda Santa Aline, localizada na Linha 206, onde um funcionário acabou sendo brutalmente assassinado e outros três espancados e deixados nus no meio do mato, no último dia 31, o Comandante Geral da PMRO, Coronel Ênedy Dias de Araújo, enviou cerca de 50 policiais da COE (Companhia de Operações Especiais), para apoiar o 2º Batalhão no patrulhamento rural no intuito de coibir novas ações criminosas do bando. A SESDEC também disponibilizou um helicóptero do NOA (Núcleo de Operações Aéreas) para apoiar a Operação.

Mais armas apreendidas

Logo no segundo dia, policiais militares do Núcleo de Inteligência identificaram um novo acampamento, montado no há quase 20 dias, ao lado da Fazenda Trianon, localizada na Linha 204, a aproximadamente 20 Km do distrito de Rondominas, que também foi alvo da ação de “Sem-Terras”.

Neste local, os PM’s também foram informados que havia pessoas armadas fazendo a segurança dos acampados. O acampamento foi instalado estrategicamente em uma área alagada de difícil acesso, cercada de mata e afastada da estrada, onde o único acesso é apenas por dentro de um rio.

 Armas

Logo nas primeiras horas desta quinta-feira, dia 03, com um Mandado de Busca e Apreensão nas mãos, mesmo enfrentando uma enchente e com água até o pescoço, os policiais militares entraram no acampamento e deram cumprimento à ordem judicial. Durante uma busca minuciosa, os PM’s acabaram encontrando três espingardas e munições de diversos calibres e um revólver calibre 38, municiado, escondidos no barraco de Odair Rodrigues Teixeira, de 41 anos. Além de uma caixa de rojões que eram usados para avisar a chegada da polícia.

Rojões

A PM informou ainda que um homem avisava da chegada da Polícia soltando rojões, em uma estrada que dá acesso a área invadida. Ao ver a tropa da COE soltou os rojões para, dessa forma, supostamente avisar a alguém que o local estava com a presença de estranhos.

A líder do acampamento, Cleubia Pereira da Costa, de 33 anos, revelou aos policiais que o local foi arrendado pela quantia de R$ 20 mil reais por ano, para que os acampados pudessem aguardar a decisão do INCRA sobre um suposto assentamento que já estava sendo providenciado pelo órgão. Segundo ela, o assentamento seria em frente ao acampamento, nos limites da fazenda Trianon, e que já estava em fase de negociação com o proprietário da fazenda, que aceitou em vender parte da terra para a reforma agrária.

O proprietário da fazenda Trianon não foi localizado para confirmar esta história.

Porém, Cleubia Pereira confirmou que não faz parte de nenhum movimento social e que reside oficialmente no acampamento, porém a Polícia levantou que ela é proprietária de um veículo Fiat Punto e uma caminhonete L-200, ambos registrado em seu nome com placas do município de Ouro Preto do Oeste.

Invasores

O restante dos acampados, cerca de 30 pessoas admitiram que residem em outras localidades, inclusive alguns vieram de Vista Alegre de Abunã, e possuem residências próprias.

Dono das armas

Odair Rodrigues assumiu a propriedade das armas e foi conduzido para a 1ª DP, juntamente com a líder do acampamento, Cleubia Pereira. Após serem ouvidos pelo delegado plantonista, Derly Gouveia, foram flagranteados pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e devido a quantidade do armamento encontrado, não foi estipulado fiança. Os dois deverão permanecer presos, à disposição da justiça.

A Operação continuará na região por tempo indeterminado e novas prisões poderão acontecer a qualquer momento.

 

Fotos Luiz

Jornalista Lenilson Guedes

Fonte - pm ro

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.