É A PÁTRIA EDUCADORA QUE CRIA ANALFABETOS POLITIZADOS!

PERGUNTINHAS:Depois de conquistar apenas uma das 90 maiores Prefeituras do país, como ficará o PT daqui para a frente e como enfrentará a eleição nacional de 2018?
Quarta-Feira, 02 de Novembro de 2016 - 08:35

Sensacional o texto sobre educação, assinado pelo professor de filosofia e historiador Francisco Razzo. Vejam só: “não sabe escrever, não sabe ler, é incapaz de resolver problemas elementares de Matemática; não sabe os rudimentos do conhecimento científico, nada sabe de História! Mas...já tem senso crítico, invade escola, defende o aborto e tem soluções para todos os graves problemas da Humanidade. Bem vindo ao mundo da Pátria educadora, cujos estudantes são analfabetos, mas politizados...!” Precisa dizer mais? Quando a menina Ana Júlia Pires, filha de petistas, sobrinha da senadora Glecy Hoffmann falou na tribuna da Assembleia do Paraná, dizendo que os deputados estavam com as mãos sunjas de sangue, pela morte de um colega dela, dentro de uma escola invadida, causou furor. Pareceu um discurso espontâneo. O colega de Ana Júlia foi morto dentro da escola por outro menor, que estava drogado. Isso ela não falou. Nem disse que a droga corre solta nas escolas invadidas. Foi ao Congresso, agora como personagem eleita pelo PT e aliados como uma porta voz da juventude brasileira. Falou as mesmas besteiras, foi aplaudida apenas pela claque esquerdista e apareceu em fotos e vídeos, como se fosse uma personagem que representasse todos os jovens brasileiros.

Não representa. Muito menos os 195 mil estudantes que não poderão fazer o Enem, porque as escolas onde seriam feitos os exames estão ocupadas por meia dúzia de estudantes e outros grupelhos de adultos, que nada têm a ver com a educação. Ana Júlia não foi ensinada a falar na destruição que o PT causou na economia do país; nem na roubalheira que implantou como projeto de governo; nem nos 12 milhões de desempregados que causou. Ana Júlia jamais diria que seus pais ou seus tios estão com as mãos sujas de sangue. Ela e alguns dos seus poucos colegas foram ensinados a repetir palavras de ordem e frases de efeito. Já se lhe pedirem e aos seus amigos invasores de escolas para fazer uma redação decente, aí é outro assunto!

MUDANÇAS NO GOVERNO

Mudança na área da segurança pública e na Secretaria de Justiça do Estado, ocorreram nessa terça. O coronel Lioberto Ubirajara Caetano, que já comandou os bombeiros, será empossado como novo Secretário de Segurança e Cidadania, substituindo o delegado Antônio Carlos Reis. Caetano é o terceiro titular da pasta, no governo Confúcio. O primeiro foi Marcelo Bessa, que hoje não vive mais no Estado. Até o final da tarde, o adjunto da Sesdec ainda não havia sido anunciado. Na Secretaria de Justiça, sai o adjunto Marcos Amaral e entra uma técnica, Sirlene Bastos, que já ocupou o mesmo cargo. As mudanças foram decididas pelo governador Confúcio Moura e anunciadas poucas horas depois. A posse dos novos ocupantes dos cargos poderá ser oficializada ainda nesta quarta. O que se sabe, nos bastidores palacianos, é que outras mudanças ainda virão por aí...

SONHOS E REALIDADE

Hildon Chaves ainda está falando, sobre alguns assuntos, como candidato. Está desmontando o palanque aos poucos. O primeiro passo, foi o de propor a conciliação, dizendo que a campanha já passou e que agora todos devem se unir em torno de uma Porto Velho melhor. Não poderia dizer outra coisa. Também nos encontros com o prefeito Mauro Nazif e o governador Confúcio Moura, deixou clara sua intenção de fazer uma transição tranquila e buscar o apoio do Palácio Rio Madeira, para uma forte parceria com sua administração na Capital. Mas, quando fala em projetos, Hildon ainda é o candidato. Vai cair na real em breve, quando tomar pé da imensa, doentia, tenebrosa burocracia que envolve o serviço público e que impede que mesmo as melhores ideias sejam executadas. Vai assumir, como outros vitoriosos nas urnas, cheio de projetos. Mas quando começar a enfrentar a realidade, os pitacos dos órgãos de fiscalização, que agem como se fossem eles os eleitos e não quem ganhou nas urnas; quando sentir a má vontade de muitos servidores que só pensam em si mesmos, daí começará a cair a ficha. Lamentavelmente, é assim a administração pública brasileira.

ASSASSINOS ENCAPUZADOS

A polícia de Ji-Paraná está investigando se o grupo de criminosos que atacou vários funcionários de uma fazenda na região e matou um deles, com requintes de crueldade, pertence mesmo à Liga dos Camponeses Pobres (LCP). A suspeita se compreende, porque todos os indícios levam mesmo ao grupo que está aterrorizando propriedades rurais no Estado, fortemente armado e utilizando táticas de guerrilha. O crime dessa semana foi inominável. Encapuzados e armados, os criminosos atacaram os trabalhadores da Fazenda Santa Aline, recém desocupada pela LCP, por força policial. Além de agredirem violentamente a todas as vítimas, os bandidos disseram que uma delas merecia morrer “por ser capacho dos latifundiários” da região. Ele foi baleado várias vezes e depois estripado com um facão. Ninguém foi preso até agora.

ROBSON FORA

O competente advogado e jornalista Robson Oliveira, já avisou: não participará nunca mais da atividade pública. Manterá seu trabalho como advogado de sucesso, junto ao escritório  NV Associados, onde é parceiro de profissionais do nível de Diego Vasconcelos e Márcio Melo Nogueira. Continuará, certamente, apontando sua caneta em direção à mazelas e erros da classe política, como sempre o fez e, exatamente por isso, conquistou tantos admiradores do seu texto bem escrito e cheio de criatividade e ironias. Se dependesse de Hildon Chaves, Robson estaria na sua equipe. Mas ele deverá contar, perto de si, com outro nome importante do jornalismo rondoniense: Valbran Junior, que atuou na campanha com sucesso e acompanhou o então candidato desde quando ninguém acreditava nele. Não há nenhum nome ainda confirmado na futura equipe de governo, mas começam a se desenhar possibilidades viáveis. Valbran é uma delas.

DEMOROU, MAS ENFIM...

Ficou para essa quinta, a abertura do segundo viaduto do Trevo do Roque, sobre a BR 364, na entrada de Porto Velho. A abertura estava prevista para o início da semana, mas com as chuvas, alguns trabalhos complementares atrasaram um pouco. Então, a abertura oficial ao trânsito deverá ser nessa quinta, incluindo toda a estrutura nova que permite também a passagem por baixo dos dois elevados, tanto no sentido Acre quanto no sentido Candeias. Também nessa quinta, dia 3, está prevista a abertura das portas do prédio reformado da Previdência Social, na avenida Migrantes, quase esquina com a BR 319 (avenida Jorge Teixeira). Ainda bem que não estão programadas solenidades inaugurais, já que uma obra, a dos viadutos, demorou seis anos e a reforma do prédio do INSS, está para completar oito anos. Se alguém ainda fosse abrir a boca, numa solenidade, teria que ser para pedir desculpas à população.

PEDIDOS AO MINISTRO

Na manhã dessa quinta, quando o ministro dos Transportes, Maurício Quintela Neto, vai visitar a Capital, para entregar oficialmente as obras do viaduto do Roque, visitar os demais viadutos que estão projetados e nunca saíram do começo de obras e, mais ainda, sobrevoar a BR 364. O ministro terá a companhia de vários membros da bancada federal, como o  senador Valdir Raupp e os deputados federais Marinha Raupp e Luiz Cláudio. Espera-se que o ministro seja cobrado não só sobre a conclusão dos demais viadutos sobre a BR, que correm céleres para completar oito anos de abandono. Também precisa ser questionado sobre a iluminação da ponte sobre o rio Madeira, que deve ser a única ponte do país que é uma escuridão só. E a duplicação da 364? Ah, isso seria sonhar demais!!!

PERGUNTINHAS

Depois de conquistar apenas uma das 90 maiores Prefeituras do país, como ficará o PT daqui para a frente e como enfrentará a eleição nacional de 2018? 

Fonte - Sergio Pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.