DEPUTADO JESUÍNO BUSCA AUMENTAR COTA PARA DOADORES DE MEDULA ÓSSEA

Em Rondônia há sete pontos de cadastramento no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (REDOME), que é um sistema criado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA)
Quarta-Feira, 03 de Agosto de 2016 - 09:20

Tendo em vista o baixo índice de doadores no Estado de Rondônia, conforme divulgado pela Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia, e também pelo limite imposto para a realização de exames por ano no Estado, o Deputado Estadual Jesuíno Boabaid (PMN) busca aumentar o número de cotas para que mais pessoas possam se cadastrar e assim, aumentar também as chances de se doar medula óssea. O parlamentar chegou a realizar audiência pública no dia 16 de maio deste ano, na Assembleia Legislativa para discutir o assunto com várias autoridades.

Em Rondônia há sete pontos de cadastramento no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (REDOME), que é um sistema criado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), com a finalidade de reunir informações de pessoas que se voluntariam a doar medula óssea e fazer uma busca nos registros de doadores voluntários, tanto no Brasil, como no exterior. Sendo verificada a compatibilidade ocorre a convocação para a efetiva doação.

Existe uma recomendação do Ministério da Saúde estabelecendo o limite de cotas, vindo a restringir a atuação no Estado de Rondônia. Em 2014 foram realizados 7.400 cadastros, já no ano de 2015 foram feito 7.200 cadastros, sendo Rondônia o único Estado da região norte que atinge a meta de cadastros de possíveis doadores. A chance de se encontrar um familiar para realizar a doação é de 25%, enquanto no cadastro do REDOME a chance é de 1 em 100 mil.

Em resposta, o Secretário de Estado da Saúde, Sr. Luis Eduardo Maiorquin, encaminhou ofício ao parlamentar informando que conforme a resposta dada pela Sra. Denise Rodrigues, da Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde (CGSNT/MS), fica impossibilitada a alteração dos tetos físicos (quantidade de exames) estabelecidos na portaria GM/MS 844/2012 visto que esta decisão se pauta em critérios técnicos pré-estabelecidos que levam em consideração a obtenção de um cadastro de doadores consistente e com qualidade, onde não se obteriam esse resultado aumentando-se o número de coletas para a captação de novos doadores compatíveis, sendo o quantitativo atualmente previsto pela referida Portaria representativo para a obtenção de tal ”variabilidade genética” esperada para o Estado de Rondônia.

Fonte - assessoria

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.