PROMOTOR DIZ QUE STF TRANSFORMA TRÁFICO EM PROFISSÃO

Assim vamos vivendo! Enquanto o Brasil se ajoelha para o crime, nossas autoridades demonstram estar mais preocupadas com os direitos da bandidagem do que a proteção à sociedade, às pessoas do bem.
Quarta-Feira, 29 de Junho de 2016 - 09:24

Não é por acaso que a guerra civil contra os bandidos está sendo perdida pela sociedade, como um todo. Afora a tenebrosa – criminosa? – série de leis que defende o crime, não há passos de nossas autoridades no sentido de ajudar a acabar com a violência que  os criminosos impuseram ao país e que, desse jeito, continuarão impondo. È de deixar desesperada qualquer pessoa de bem senso, defensora de uma sociedade livre do crime organizado, a decisão do Supremo Tribunal Federal, que votou que o tráfico de drogas não deve ser punido como um crime hediondo. A decisão fez regredir pelo menos duas décadas de luta da polícia, do Ministério Público e das pessoas de bem, que sabem muito bem o que os traficantes causam de danos ao país. Qualquer brasileiro que tenha um pingo de consciência, se fosse decidir, pediria a mais dura punição possível não só para os chefes do tráfico, mas para todos os que dele participam. Com a decisão absurda,  o Supremo, nas palavras de um destacado representante do Ministério Público de São Paulo, “oficializou a profissão de traficante!” Quando o Brasil põe nas mãos do Judiciário suas últimas esperanças de acabarmos com a bandidagem que nos assola, o STF presta um danoso serviço ao país, abrindo espaço para que o crime organizado e o traficantes tenham direitos iguais aos que cometem crimes comuns. Ou seja, até as “mulas”, que levam droga de um lugar para o outro (são tão criminosos quanto quem os contrata), serão tratados como pobres coitados, que receberão penas suaves, como prisão domiciliar e outras anomalias que nossa legislação já concede à gente do mal.

Assim vamos vivendo! Enquanto o Brasil se ajoelha para o crime, nossas autoridades demonstram estar mais preocupadas com os direitos da bandidagem do que a proteção à sociedade, às pessoas do bem. Talvez por isso o Rio de Janeiro esteja entrando na segunda década de uma guerra civil, sem que haja qualquer avanço real no combate ao crime. Lamentável!

APOIO À PRODUÇÃO

Empresários do setor produtivo estão agradecidos tanto ao Governo do Estado quanto à Assembleia Legislativa, pelo grande apoio dado na questão  do preço baixo pago pelos frigoríficos, pela nossa carne. Tanto o governador Confúcio Moura e sua equipe como o presidente Maurão de Carvalho, apoiado por todos os seus pares, realizaram um trabalho unificado, com apoio irrestrito aos produtores, Um dos empresários que destacou a ação das autoridades foi Adélio Barofaldi, respeitado homem ligado ao agronegócio e uma das lideranças do setor. Ao falar sobre o assunto, ele sempre destaca o conjunto de ações que mobilizaram os rondonienses contra o cartel imposto pelas indústrias da carne. A CPI da Assembleia, aliás, foi decisiva para que o assunto tivesse um bom encaminhamento.

“ENGANA TROUXAS”

O deputado Airton Gurgacz prestou um grande serviço à população de Rondônia, apresentando uma inusitada, mas muito importante proposta: a de que estão proibidas solenidades de inauguração de obras que não estejam totalmente concluídas. Claro que na prática o assunto vai causar muita polêmica, mas fica clara, no projeto do parlamentar, em acabar com inaugurações engana trouxas, como muitas vezes são realizadas, principalmente em ano eleitoral. Muitas obras estão semiacabadas (e há vezes que nunca serão terminadas) e mesmo assim são “entregues” em festividades com pompa e circunstância, além de discursos emocionados. Desmontado o palanque, o povão então fica sabendo que foi enganado.

PALANQUE ELEITORAL

Sobre o assunto, Gurgacz resumiu: “a intenção do projeto, A proposta de Airton foi aprovado por unanimidade no parlamento., e que deve ser aplicado em todo o Estado, é evitar que obras inconclusas, sem mobiliário necessário ou ausente de estrutura que permita atender de forma plena o cidadão, tenham inauguração solene, que sirvam apenas como palanque eleitoral e depois sejam esquecidas”. E depois, ainda bateu abaixo da linha da cintura: “estamos cansados de ver verdadeiros eventos políticos na inauguração de obras, antes de estarem totalmente finalizadas," declarou Airton. Precisa dizer mais alguma coisa?

E O BOM SENSO?

OAB e Polícia Militar andam em rota de colisão. Depois que um advogado foi surrado por PMs (que alegam legítima defesa, pois teriam sido agredidos primeiro), a situação ficou complicada. Representantes da OAB foram à frente do quartel central da corporação, fazer protesto e exigir a prisão dos policiais envolvidos. Os PMs retrucaram. Através do seu representante na Assembleia, o deputado Jesuino Boabaid, um grupo foi à frente da sede da OAB, “retribuir a gentileza!”, com um protesto contra a instituição. O bom senso indica que as duas partes, tão importantes para a sociedade rondoniense, deveriam é sentar em torno de uma mesa, dialogar e chegar a um acordo. Esse confronto não interessa à população.

O TCE NÃO DEIXA

O deputado federal Lindomar Garçon comemora a autorização da Aeronáutica para  as obras do estacionamento gigante, vital para o prosseguimento do Espaço Alternativo. Não mais nenhum entrave para que o Estado conclua a tão esperada obra, que ficou paralisada mais de um ano. Agora, o único obstáculo é o Tribunal de Contas do Estado, que  continua fazendo de tudo para que não haja autorização para a conclusão dos trabalhos. O assunto ainda vai ser muito discutido. Mesmo que o Governo, o Ministério Público e toda a população queiram que o Espaço seja pronto logo, o TCE não quer de jeito nenhum. Voltaremos ao assunto, com mais detalhes...

PERGUNTINHA

A sugestão do doidão Ciro Gomes de que, caso condenado pelo juiz Moro, o ex presidente Lula seja sequestrado por amigos e levado a uma Embaixada estrangeira, não é digna de uma Republiqueta das Bananas?

Fonte - sergio pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.