JOVEM QUE MATOU EX COM 18 FACADAS EM BAR VAI A JÚRI POPULAR

O advogado que acompanhava o processo no judiciário relatou que a Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) deve ser a responsável pela defesa no julgamento.
Quarta-Feira, 15 de Junho de 2016 - 17:58

O jovem de 20 anos que matou a ex-namorada com 18 facadas e confessou o crime através das redes sociais, em outubro de 2015, será julgado por júri popular na próxima quinta-feira (16), em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. Segundo o judiciário, Andrei Willian Claudino é o principal acusado de ter assassinado a ex-namorada dentro do banheiro de um bar, na região central do município.

O advogado que acompanhava o processo no judiciário relatou que a Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) deve ser a responsável pela defesa no julgamento.

O júri popular, composto por sete pessoas, forma o Conselho de Sentença, que irá decidir se o réu é culpado ou inocente em relação ao crime. O julgamento será presidido pelo juiz Alex Balmant, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Ariquemes.

Conforme o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), Andrei foi enquadrado no julgamento a responder pelo crime de feminicídio, quando o crime contra a mulher ocorre por contexto de violência doméstica ou familiar. O jovem não se conformava com o término do relacionamento com a vítima e por ela negar em reatar a convivência do casal.

Diante da alteração da lei do feminicídio, em março de 2015, a pena deverá ser obrigatoriamente ser cumprida em regime fechado e pode variar de 12 a 30 anos de prisão. Segundo o TJ, o juiz titular requisitou ao comandante da Polícia Militar o reforço policial do Grupo de Operações Especiais (GOE), para acompanhar o réu até o Plenário do Júri, por se tratar de um caso de grande repercussão no município, e assim garantir a segurança do mesmo.

a defesa de Andrei relatou que havia firmado contrato com o réu apenas até a audiência de instrução, onde foi definido que ele iria ao Júri Popular, e que Andrei solicitou a Defensoria Pública para acompanhá-lo perante a defesa no julgamento. Independente do resultado, o réu ou o Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO) poderão recorrer da sentença.

Crime

Sindy Lorrhainy Ocanha Pereira, de 16 anos, estava com mais duas amigas em uma mesa de bar, na região central do município, em outubro de 2015, quando o suspeito chegou ao local e sentou-se juntamente com as três. A vítima se recusou a falar com ele e, após alguns minutos, se deslocou ao banheiro. Logo em seguida, Andrei foi em direção à adolescente.

Dentro do banheiro, o réu rendeu a jovem, que tentou reagir à ação e entrou em luta corporal com Andrei, mas devido à diferença de força física, ele em posse de uma faca desferiu um profundo corte no pescoço, braço e mãos da vítima.

Pouco depois, as amigas da adolescente avistaram Andrei saindo apressadamente e fugindo do local. Devido à demora no retorno de Sindy, elas resolveram ir até o banheiro, e se depararam com a vítima morta.

Fuga e prisão

Após o crime, Andrei retornou até a residência onde morava com os pais e fugiu. Na época, ele postou o crime na web e disse a morte foi um "sacrifício". Um dia após do crime, os policiais encontraram uma mochila na casa com um facão e algumas tranças de cabelo, que ele estaria usando.  O facão coletado foi apreendido e investigado para saber se foi utilizado na morte da adolescente.

Três dias depois do crime, Andrei foi preso na residência de familiares, após a própria família negociar a entrega dele à Justiça. Ele foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Ariquemes, onde realizou o exame de corpo de delito e em seguida foi encaminhado para a Casa de Detenção, onde permanece em prisão preventiva.

Fonte - Conexaorondonia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.