CENAS DE TERROR E DA VIOLÊNCIA QUE PODERÍAMOS TER VIVIDO

É esse o aprendizado que queríam que tivéssemos? Guerrear entre irmãos, quebrar o país, passar fome, só para que eles impusessem suas ideias sobre nossa Nação? Ainda bem que aqui é diferente.
Sexta-Feira, 27 de Maio de 2016 - 09:14


É apenas uma pequena montagem de fotos. Uma montagem do terror. Para sabermos do que nos livramos. Para que saibamos do que um governante celerado, apaixonado pelo poder e por sua ideologia espúria é capaz; o que seus seguidores cegos pelo poder e pelo dinheiro fazem, destruindo uma Nação. As cenas são da Venezuela, onde a grande maioria da população quer ver o fim de um governo ditatorial, comandado por um incompetente, déspota, que prefere ver o sangue dos seus irmãos correndo nas ruas do que permitir que o povo tenha uma chance de se recuperar. Depois de aparelhar o Judiciário, para, através dele, fingir que está governando com a lei, Maduro está jogando seu país numa guerra civil, cujos resultados todos sabemos qual será: um confronto fratricida, com milhares de mortos e, no final, um país arrasado. E para que? Para que um megalomaníaco doente, tal qual todos os ditadores (de esquerda ou de direita), consiga entrar para a História, com cota de tragédias e sangue. Com mentiras, com a destruição da economia; com o desabastecimento e o a fome tomando conta do país; com grupos armados pelo poder facínora, atirando contra seus próprios irmãos, desde que o poder seja mantido, Maduro depende agora só da fúria e do aparelhamento do Estado para sobreviver num governo putrefato.

É esse poder, formado apenas por criminosos ideológicos ou amantes do dinheiro público que, até há pouco, era parceiro do Brasil do PT. É esse o aprendizado que queríam que tivéssemos? Guerrear entre irmãos, quebrar o o país, passar fome, só para que eles impusessem suas ideias sobre nossa Nação? Ainda bem que aqui é diferente. O Judiciário não está aparelhado (a não ser em alguns pontos, facilmente identificáveis) e o Exército jamais permitiria que milícias comunistas atirassem contra o povo. Não somos a trágica Venezuela, felizmente!

COVARDES DO ANONIMATO

Alguns vagabundos irresponsáveis, imaginando que aqui é a casa da Mãe Joana, foram para as ruas em Ji-Paraná, distribuir um panfleto apócrifo (e só poderia, porque covardes não assinam embaixo o que denunciam anonimamente), denegrindo autoridades e inventando mentiras absurdas. Acharam que sairiam ilesos. Todos foram presos, por ofensas morais a juízes, autoridades policiais e políticas. Vagabundos e safados, incluíram uma menor no grupo. Nem assim se safaram. Ligeirinho, apareceu na Delegacia onde os criminosos estavam presos, um advogado da Liga dos Camponeses Pobres, aquela mesma que, quando a lei valer para todos, sumirá do mapa do campo e irá ocupa celas em cadeias. Bandidagem agora tem limite, nesse novo Brasil!

NAZIF E O FOGO AMIGO

Além das enormes dificuldades que enfrentará da porta para fora, na sua busca pela reeleição, o prefeito Mauro Nazif terá um outro adversário poderoso para enfrentar: o fogo amigo. Dentro da Prefeitura, muitos servidores – incluindo alguns fiscais que andam nas ruas, inventando problemas onde eles não existem -  foram beneficiados pela atual administração, já que Nazif deu a eles uma atenção raramente vista antes. Em troca, tem recebido rasteiras e maldades. É bom que o Prefeito fique atento e de olho naqueles que se dizem agradecidos mas que, quando saem às ruas, fazem de tudo para prejudicá-lo. Deu prá entender, não é? Nem precisa desenhar.

SÉRGIO MELLO

Familiares, amigos, colegas de trabalho, seus parceiros Dinossauros, enfim, todos os que tiveram o prazer de conviver com Sérgio Mello, lembram da data desta sexta: é o primeiro ano de seu falecimento. Prematuramente traído pelo coração, Sérgio deixou só lembranças positivas por onde passou. Seus colegas da SICTV e da Rádio Parecis FM, onde militou por longos anos, o homenagearam com lembranças e comentários saudosos. Matéria especial sobre o grande profissional, amigo, pai e avô que se foi tão cedo, é destaque nos telejornais da SICTV dessa sexta. Dessa coluna, também vai o registro da saudade deixado pelo companheiro inesquecível!

AMIGUINHOS DOS BANDIDOS

Não fosse a perspectiva de que, em breve, as leis brasileiras voltarão a tratar  bandidos como bandidos e não como queridinhos dos direitos humanos e parte do Judiciário, seria de enlouquecer. Assassinos frios e cruéis, que destruíram vidas, famílias e lares, de forma absurda e doentia, têm sido beneficiados com “projetos sociais” de recuperação, como se fossem pobres coitados que precisam de uma chance. Claro que nunca ninguém pensa em quem eles destroçaram, mas isso é só um detalhe. Um dos assassinos da jovem Naiara Karine, condenado a 24 anos de cadeia e que não está nem um ano preso, já está cheio de apoios, incluindo uma ONG que cuida dos problemas dos presos. Já a família da menina cruelmente trucidada, espera até hoje que alguma autoridade vá se solidarizar com ela. Uma vergonha!

ILHA DE SUCESSO

Os números ainda são parciais. Mas o segundo dia da Rondônia Rural Show, foi um resumo do enorme sucesso da feira. O encontro rondoniense do agronegócio, idealizado pelo governador Confúcio Moura, já é um enorme sucesso, em sua quinta edição. Já é considerada uma das dez maiores feiras do país em volume de negócios e em grandeza, mesmo com tão pouco tempo de vida. Mesmo que não se chegue ao 1 bilhão de reais em negócios, previstos com otimismo antes do início da exposição de negócios, ela já pode ser considerada totalmente exitosa. Em tempos de crise econômica no país, a Rural Show é uma ilha de sucesso comercial num estado que era considerado pequeno e periférico, no norte do  país e que hoje é um exemplo positivo para todo o Brasil.

PERGUNTINHA

Quando gente que trucida pai e mãe; quando criminosos covardes e frios são protegidos pelas leis, qual o futuro de um país e das pessoas de bem que vivem nele?

Fonte - sergio pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.