DRAMA: SEM CONDIÇÕES PARA ENTERRAR BEBÊ, MULHER APELA POR AJUDA EM PORTO VELHO

Na internet, internautas repudiam a atitude da secretaria.
Quinta-Feira, 26 de Maio de 2016 - 17:37

Uma mulher desempregada e aparentando pouco mais de 20 anos vem encontrando dificuldades para fazer o enterro do filho em Porto Velho (RO). Identificada apenas pelo nome de Edinei, ela foi liberada do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro nas últimas horas, e logo em seguida, contatada pelo Instituto Médico Legal (I.M.L) de que precisava sepultar a criança o quanto antes. Sem recursos, foi obrigada a cumprir verdadeira via sacra na Prefeitura de Porto Velho, a qual segundo ela, não recebeu apoio por que havia dito que morava em Humaitá (AM).

O caso de Edinei foi parar nas Redes Sociais. O repórter William Ferreira da Silva gravou um vídeo relatando o sofrimento da mulher e postou em seu perfil nessa quinta-feira (26), feriado de Corpus Christi.

Visivelmente transtornada, Edinei pede ajuda às autoridades, sobretudo no pagamento das despesas com o enterro. Uma amiga está prestando ajuda, porém, ambas receberam negativas da Secretaria de Assistência Social do município.

No vídeo, elas relatam que a criança está há 15 dias na gaveta do IML. Mas, sem puder pagar o caixão, a família pediu ajuda no Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS). Por lá, recebeu a informação de que o órgão não poderia ajudar tendo em vista que ao ser entrevistada, Edinei havia informado que o endereço residencial era no estado vizinho, Amazonas. Na segunda tentativa, desta vez lúcida, a mulher informou que morava na capital rondoniense mesmo assim a secretaria recusou a ajuda.  

“Por um erro, disseram que não poderiam ajudar porque foi informado o endereço da mãe dela que mora no Humaitá, Amazonas. Na Assistência Social foi dito que só poderiam ajudar quem era de Porto Velho, de Humaitá eles não ajudam. Esse endereço de Humaitá foi dito por que a mãe dela mora lá e como ela tinha passado mal dentro do ônibus foi o único que lembrou”, disse Marinete que é amiga de Edinei.

A mulher registrou um Boletim de Ocorrência (BO). Na internet, internautas repudiam a atitude da secretaria. Alguns internautas ofereceram ajuda como o pagamento das despesas do cerimonial fúnebre outros clamaram uma atitude da Secretaria responsável pelo caso.

A nossa equipe de reportagem tentou contato com alguém da Secretaria de Assistência Social, porém, até o fechamento desta edição não obtivemos êxito. 

Fonte - NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.