PROFESSOR E UNIVERSITÁRIO DE PORTO VELHO SÃO PRESOS DISTRIBUINDO PANFLETO CALUNIANDO OFICIAIS DE POLÍCIA MILITAR

Durante a abordagem, a adolescente que trajava uma camiseta estampada com o desenho de um macaco vestindo uma farda do Exército Brasileiro
Quarta-Feira, 25 de Maio de 2016 - 16:04

Na tarde desta terça-feira, dia 24, a Polícia Militar em Ji-Paraná, prendeu cinco jovens distribuindo panfletos com teor anônimo, denegrindo a imagem do Comandante Geral da Polícia Militar de Rondônia, coronel PM  Ênedy e o comandante da 1ª Companhia de Policiamento Ostensivo em Ji-Paraná, capitão PM  Braguin. A prisão em flagrante aconteceu na Avenida Marechal com a Rua dos Mineiros, no 1º Distrito de Ji-Paraná.

Segundo a Polícia, o grupo tentava aplicar a ideologia da LCP – Liga Camponeses Pobres aos pedestres e comerciantes, relatando fatos mentirosos sobre a conduta dos oficiais da Polícia Militar do Estado de Rondônia. Além de incitar a população contra a Polícia narrando fatos fantasiosos.

Durante a abordagem, a adolescente que trajava uma camiseta estampada com o desenho de um macaco vestindo uma farda do Exército Brasileiro, dentro de uma jaula, tentou incitar os populares que estavam próximos contra os PM’s, mas de nada adiantou, pois quem estava presente aprovava a ação da Polícia. “Nós estamos fartos de ver estes desocupados invadindo terras alheias que foram conseguidas com muito sacrifício. A Polícia está certa mesmo de prender este bando de terrorista. Que fique bem claro que a população de Ji-Paraná não aprova este tipo de coisa” desabafou o empresário do ramo farmacêutico e morador de Ji-Paraná a mais de 30 anos, Joaquim Nascimento.

 Presos

Foram presos Rafael Rodrigues da Cunha, 24 anos, professor; Rosa Maria Rodrigues Vilela, 21 anos, acadêmica de Direito; Artemes Maciel da Silva, acadêmica de História; Marcos Roberto Sena, desempregado e uma adolescente de 16 anos de idade. Todos residem em Porto Velho e vieram a Ji-Paraná somente para distribuir os panfletos. Ao receber voz de prisão, o professor Rafael Rodrigues resistiu à prisão e precisou ser algemado.

Em um trecho do panfleto malicioso, o autor anônimo insinua que o capitão PM Braguin participou de várias mortes ocorridas na região do Vale do Jamari, mesmo não estando mais trabalhando naquela região há tempo. O autor também denigre a imagem de um fazendeiro que teve suas terras invadidas pela LCP (Liga dos Camponeses Pobres), referindo-o como “Ladrão” e “Grileiro”.

Também contra o Judiciário

O Poder Judiciário também não ficou de fora das graves denúncias caluniosas, comprometendo até os magistrados e oficias de justiça, mencionando que os Mandados de Reintegrações de Posse são fraudulentos.

A perseguição da LCP ao Comandante Geral da PMRO, coronel PM Ênedy, e ao Comandante do Policiamento de Ji-Paraná, capitão  PM Braguin, foi após a Operação “Mutatis Mutandis”, que foi desencadeada pelo coronel PM Ênedy e comandada pelo Capitão Braguin, no intuito de acabar com os atos de terrorismo que estavam acontecendo na região do Vale do Jamari.

Durante a Operação, atuante até hoje, a Polícia Militar já apreendeu um grande arsenal de armas e munições, recuperou vários veículos roubados e recapturou foragidos da Justiça que tentavam impor o medo aos verdadeiros camponeses.

Devido a Operação “Mutatis Mutandis” e com o forte esquema de policiamento, a paz voltou a reinar naquela região, obrigando os marginais a migrar para outras localidades.

Os jovens não contaram aos PM’s como conseguiram os panfletos e negaram pertencer a LCP (Liga dos Camponeses Pobres), porém dois advogados da LCP compareceram na Delegacia para acompanhá-los.

TC

Depois de ser lavrado um TC (Termo Circunstanciado), os presos foram liberados e deverão responder pelo crime de “Calúnia”, em liberdade. Já a adolescente, que viajava sem autorização dos pais, foi recolhida ao Abrigo Municipal.

Fonte - pm ro

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.