ESCOLHA LOGO MICHEL TEMER, DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ?

Ou muda o espírito da classe política no geral, priorizando o Brasil ou nossa chance sem Dilma continuará no mesmo patamar da nossa chance sem ela, sem o PT e seus acólitos.
Sabado, 07 de Maio de 2016 - 18:54

A semana começa com a perspectiva de que, lá pelo meio dela, tenhamos um novo governo. Nenhuma Brastemp, nada milagroso, mas ao menos teremos governo, coisa que não temos há vários meses, o que, nesse curto período, ajudou a empurrar nosso Brasil ladeira abaixo. Cada vez mais baixo. Inflação crescendo para dois dígitos; mais de 11 milhões de desempregados (e crescendo); economia em frangalhos; um racha na Nação, com uma minoria ainda barulhenta, querendo manter tudo como está, mesmo que, como está, corremos o risco de ruptura e trágico futuro. Michel Temer vai assumir o país por dois anos (alguém aí acredita que Dona Dilma tenha alguma chance de voltar?), numa emergência e sob o tacão da maioria de sanguessugas da política, que estão se lixando para o país, mas jamais esquecem seus interesses e seus bolsos. A mudança em si é positiva, pode dar um alento, pode ajudar a superar crises imediatas, pode cortar momentaneamente a dor, mas jamais será uma solução definitiva.

O virtual comandante do país, tem comentado com seus amigos e assessores mais íntimos que está numa encruzilhada: ou atende os sanguessugas, que ele, claro, chama de lideranças políticas e fica contra o povo ou fica com o povo e perde o apoio vital de vários partidos, podendo até chegar-se a ingovernabilidade. Temer quer imediatamente diminuir para, no máximo 20, o número de Ministérios. Seus “aliados”, que só pensam em si, querem cargos e ameaçam. Temer terá que escolher se fica com quem quer ver o país decente ou com quem quer apenas aproveitar-se dele. Esse é seu primeiro grande desafio. Escolha logo, Michel Temer, de que lado você está!

GENTE DO BEM

A comunidade universitária rondoniense está aguardando, ansiosa, a nomeação do professor doutor Ari Ott como seu novo reitor. O pessoal do bem do meio do ensino superior público (e é a grande maioria), elegeu com folga o novo titular do cargo, apto, pela via democrática, a suceder a reitora Berenice Tourinho, que, aliás, fez um excelente trabalho à frente da Unir. Ari Ott, apoiado pela atual reitora e que na votação direta teve a grande maioria dos votos, conquistou também outra vitória importante, já que teve seu nome confirmado pelo Conselho Universitário. O que está faltando agora é apenas a nomeação oficial do Ministério da Educação e a assinatura Presidencial.

FALTA POUCO

Há, na verdade, dois obstáculos a serem superados, antes que Ott assuma definitivamente o posto, provavelmente no segundo semestre. Primeiro, uma minoria de gente do mal, que tentou destruir a Unir e quase conseguiu, ainda sonha em voltar, mesmo sob a ojeriza da grande maioria, que não quer nem ouvir nessa perigosa volta ao passado. Segundo, a confusão política que domina o país, num momento em que não se sabe quanto tempo durará o mandato do atual ministro da Educação e nem o mandato Presidencial. Afora isso, quando as coisas estiverem claras, o nome de Ari Ott será referendado. Até porque a comunidade universitária não aceita nenhuma outra alternativa que não seja a democrática forma como ele foi escolhido.

ENVERGONHANDO A OAB

Marcelo Lavenére transformou a OAB num apêndice político do PT, quando comandou a instituição. Um dos líderes do movimento que derrubou o então presidente Fernando Collor de Mello, agora, Lavenére faz um discurso patético, oportunista e partidário, como o fez no Senado, em defesa da sua presidente Dilma Rousseff. A participação dele envergonhou a grande maioria dos advogados sérios desse país, que querem a entidade separada do governo, até porque tem entre suas missões, a de fiscalizá-lo e defender a população, sempre que o governante errar. O atual presidente nacional Cláudio Lamachia, que representa a entidade, emitiu nota lamentando que Lavenére tenha usado o nome da entidade, no seu lamentável depoimento no Senado.

“PRESENTE” DO DNIT

Três anos depois, porto velhense foi  ”presenteado” com uma multa aplicada pela Polícia Rodoviária Federal. A infração foi cometida em Ariquemes, em maio de 2013, quando o veículo ultrapassou uma lombada eletrônica com velocidade acima da permitida. Obviamente que no ano seguinte, quando o veículo foi novamente emplacado, a documentação só foi emitida depois que todas as multas foram quitadas. As que não tinham sido cobrados em 2013, logicamente o foram em 2014. Agora, 36 meses depois, o motorista recebe a mesma multa em sua casa. O Dnit, que a emitiu, tem a cara de pau de cobrar duas vezes pela mesma infração. Essa gente não tem mesmo vergonha!

DEMISSÃO EM MASSA

Demissão em massa prevista para o segundo semestre, em Porto Velho. Onde? Na Câmara Municipal. Para fechar o ano sem burlar a Lei de Responsabilidade Fiscal, terão que ser demitidos praticamente todos os cargos comissionados que sobraram, depois do corte, no final do ano passado, de mais de 350 empregados no Poder. Até diretores e chefes de gabinete dos vereadores vão ficar na “rua da amargura”! Pressionado pelo Ministério Público e por órgãos de fiscalização, que exigem que a Lei seja cumprida, não restará outra decisão ao comando da Câmara (a Mesa Diretora é presidida pelo vereador Jurandir Bengala), a não ser fazer uma “limpa” geral. Em setembro começam as demissões.

PERGUNTINHA

Será que hoje também não seria um ótimo dia para homenagearmos  a Pátria Mãe, de quem temos sido filhos tão mal agradecidos?

Fonte - Sergio Pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.