News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quinta-Feira, 24 de Junho de 2021

Livre

É HORA DE RESPONDERMOS À ALTURA AS AMEAÇAS DA OEA!

A denúncia envolve as mortes de três líderes do movimento, dois em Jaru e uma mulher em Porto Velho. O caso da Capital já foi esclarecido e nada teve a ver com luta pela terra.
Segunda-Feira, 02 de Maio de 2016 - 20:25

Ainda bem que as coisas começam a mudar, no Brasil e na América Latina. Porque ninguém mais aguenta o discurso “democrático” de instituições dominadas por teorias ditatoriais da esquerda, que ainda teimam em achar que tem maioria de seguidores, depois do fracasso em vários países da região. A Organização dos Estados Americanos (OEA), dominada por “humanistas da esquerda”, que é ridicularizada em países sérios, como os Estados Unidos e vários da Europa, continua nos ameaçando, sempre em defesa de apenas um lado, o deles, é claro! Agora, mais uma vez, a Comissão de Direitos Humanos da OEA (que adora ameaçar Rondônia por causa dos bandidos que lotam nossos presídios), volta a avisar que vai pedir sanções, por causa “de assassinatos de líderes de sem terra”. Claro que, para eles, a história tem uma só versão. Ataques a fazendas, mortes de peões e donos de propriedades, isso jamais existiu, para a OEA. Mas quando um sem terra é morto, ai sim, tem que se punir duramente meio mundo. A denúncia envolve as mortes de três líderes do movimento, dois em Jaru e uma mulher em Porto Velho. O caso da Capital já foi esclarecido e nada teve a ver com luta pela  terra. Foi um confronto entre inimigos dentro de um acampamento e um deles, matou Nilce de Souza Magalhes, em  Nova Mutum. Os outros dois casos são investigados.

Com relação a peões de fazendas mortos por grupos armados, nenhuma palavra da OEA. Nos casos de donos de propriedades produtivas assassinados, nada. Nada sobre grupos fortemente armados, que atacam em várias regiões do Estado (como a famigerada LCP).  Ainda bem que estamos prestes a mudar de governantes, para tratarmos esses malandros que só falam em nome de uma ideologia, do jeito como eles merecem. Com um grande e potente pontapé bem no meio da bunda! Vade retro!

O MINISTRO E O PROFESSOR

Há tempos atrás, receber a visita de um ministro era evento importante em Rondônia. Agora, ninguém mais dá bola. Mesmo que seja o caso de Aldo Rebelo, um dos únicos nomes do atual governo que ainda tem algum respeito e representatividade ante os brasileiros. Como Ministro da Defesa, ele esteve no Estado para visitar as regiões de fronteira. Não trouxe nenhuma novidade, não falou em investimentos ou mudanças, mas ao menos veio prestigiar as Forças Armadas que têm a missão de cuidar da vasta região de fronteira com nossos vizinhos. Em Porto Velho, o ministro visitou o Memorial Rondon, onde foi ciceroneado pelo professor Alex Palitot, que deu uma aula de História ao ministro. Aldo saiu dela bastante impressionado!

FACTOIDE RIDÍCULO

Risível e ridículo, mas, é claro, cada um faz o papel de idiota quando e onde quiser! Mas o grupelho de meia dúzia de gatos pingados que tentou fazer um “protesto” perto da residência da deputada federal Mariana Carvalho, no final de semana, chamando-a de golpista, tentou criar um factoide que, claro, teve repercussão zero. A não ser depoimentos tresloucados de um ou outro membro da turma petista, ninguém deu bola para o “evento”. Muito menos Mariana, que junto com toda a bancada federal rondoniense votou pelo impeachment de dona Dilma, aquela defendida pela meia dúzia de malucos. Que se fazem de gênios, quando na verdade são uns poucos fazendo papel ridículo e ainda numa terra onde o PT e o atual governo são detestados,  pela imensa maioria de cidadãos.

PISTOLEIROS À SOLTA

Os crimes de pistolagem voltaram com tudo a Rondônia e principalmente nas regiões de Ariquemes e Porto Velho. Como não pode haver reação da polícia à altura, como houve nos anos 70, quando as autoridades acabaram com o crime e dizimaram os grupos de assassinos (porque agora a lei é feita para proteger bandido), os crimes violentos se sucedem, sem controle. Nesse final de semana, mais uma dessas cenas de violência e morte ocorreu na zona leste. O mecânico e conhecido roqueiro da Capital, Nei Miranda, o conhecido Heavy Ney, foi cruelmente morto por um facínora, que, obviamente, escapou tranquilamente e ileso.

SEM DIREITO A DEFESA

Ney era personagem conhecido na cidade. Apaixonado por rock, chegou a se candidatar a vereador duas vezes, já que imaginava ter grande popularidade, principalmente entre os jovens. Nunca se elegeu, mas se tornou muito querido, até por ser uma pessoa dócil, pacífica, sempre pronto a ajudar,  mesmo aos estranhos. Morreu aos 55 anos de forma covarde e sem direito à defesa, porque as autoridades brasileiras decidiram que bandido pode andar armado e matar, mas o cidadão de bem não tem o direito sequer de usar arma para se defender. Uma vergonha, que, espera-se, seja corrigida quando esse governo que está aí for jogado pela janela. Defenestrado, para bom entendedor...

PAÍS DESTRUÍDO

Engolida por uma crise sem fim, criada pelo chavismo e por seu atual proprietário, Nícolas Maduro, a Venezuela está a um passo de se tornar um país com sua economia praticamente destruída. O governo tenta aumentar os salários, causando uma inflação galopante e descontrolada; muda o horário para economizar energia; determina a semana de trabalho do serviço público em dois dias e, a cada momento, cria novas regras para sepultar de vez a pobre Venezuela como Nação. Maduro e o Supremo Tribunal, a seu serviço, preferem ver o país destruído a abrirem mão de ter o (des) controle de tudo. Lamentavelmente, o cenário caminha para uma guerra civil. Trágico.

PERGUNTINHA

Daqui a uns 15 anos, quando os livros de história escritos por representantes da esquerda repetitiva chegarem às escolas, a queda de Dilma Rousseff continuará sendo tratada como golpe?

Fonte - SÉRGIO PIRES

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.