News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021

Livre

VEREADOR FOGAÇA VISITA TRECHO ABANDONADO DA MADEIRA-MAMORÉ

Ao todo, seis velhas locomotivas e um guindaste estão a mercê do tempo deteriorando junto com a história do Estado, aguardando uma iniciativa do poder público.
Quinta-Feira, 18 de Fevereiro de 2016 - 17:56

Porto Velho, RO - Em sua sequência de visitas diárias, o vereador Everaldo Fogaça voltou novamente ao bairro Triângulo, dessa vez verificando o estado de abandono de várias locomotivas da ferrovia centenária Madeira-Mamoré. Ao todo, seis velhas locomotivas e um guindaste estão a mercê do tempo deteriorando junto com a história do Estado, aguardando uma iniciativa do poder público.

“Tanta história pra nada. Esse maquinário deveria ter outro tratamento e deveriam estar erguidas em pedestais como um verdadeiro símbolo histórico, garantindo às futuras gerações o conhecimento de uma época onde tudo era infinitamente difícil. A epopeia da Madeira-Mamoré daqui a um tempo só existirá mesmo nos livros de história e na memória dos que a conheceram de perto”, disse o vereador.

Everaldo Fogaça também questionou sobre o que foi feito da verba do Governo Federal para a recuperação da ferrovia. “Muitas vezes é difícil saber a quem realmente cumpre a responsabilidade pela manutenção da Madeira-Mamoré. No entanto, é fácil saber que, independente de quem seja essa tarefa não está sendo cumprida”, alertou.

Dados históricos da E.F.M.M:

- Em 1846 foi a primeira vez que se falaram na construção de uma ferrovia interligando a Bolívia ao Brasil;

- Foi inaugurada em 30 de abril de 1912;

- Em 25 de maio de 1966, depois de 54 anos de atividades, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré teve sua desativação determinada pelo então Presidente da República Humberto de Alencar Castelo Branco;

- Em 10 de julho de 1972 as máquinas apitaram pela última vez. A partir daí, o abandono foi total e, em 1979, o acervo começou a ser vendido como sucata para a siderúrgica de Mogi das Cruzes, em São Paulo;

- Voltou a operar em 1981 num trecho de apenas 7 quilômetros dos 366 km do percurso original, apenas para fins turísticos, sendo novamente paralisada por completo em 2000.

- Foi a 15ª ferrovia a ser construída no país, tendo as suas obras sido executadas entre 1907 e 1912;

- O último trecho da ferrovia foi finalmente concluído em 30 de abril de 1912;

- Em 10 de novembro de 2005, a ferrovia histórica foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) [5] .

- Em 28 de dezembro de 2006, o Ministério da Cultura homologou, através da Portaria 108, o tombamento da EFMM como Patrimônio Cultural Brasileiro.

Fonte - Assessoria

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.