News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Domingo, 16 de Maio de 2021

Livre

O CARNAVAL DE COSTA MARQUES, OPÇÃO DE MOMENTOS INESQUECÍVEIS

Na verdade o Carnaval se popularizou tanto, que não há rincão brasileiro onde não se dance o Carnaval. Sendo assim, não poderia faltar em Costa Marques.
Sabado, 06 de Fevereiro de 2016 - 13:26

A partir da extasiante beleza e habilidade das mulatas brasileiras dançarem os sambas carnavalescos nos sambódromos deste Brasil continental, a impressão que nos assalta em primeira mão, é que o carnaval nasceu nas placas brasileiras. Parece estar mesmo no gene das nossas conterrâneas, especialmente das mulatas, a beleza do samba a ponto de ser merecidamente admiradas como a figura mítica e sensual, o símbolo maior do Carnaval. Temos de concordar com o carnavalesco carioca Lamartine Babo quando em inspiração singular sobre elas poetizou: “O teu cabelo não nega mulata”... ”Tens o sabor do Brasil”. Realmente elas são graciosas e sensuais!

Não obstante a perícia brasileira na arte de dançar o Carnaval, ele não nasceu no Brasil, mas o temos como herança portuguesa que miscigenado com a criatividade brasileira ganhou a configuração atual. Não vou adentrar na história, mas é sabido que remonta aos idos tempos da Grécia e da Roma antiga há aproximadamente três mil anos. A princípio praticada pelas mulheres que depois caiu na graça dos marmanjos.

Na verdade o Carnaval se popularizou tanto, que não há rincão brasileiro onde não se dance o Carnaval. Sendo assim, não poderia faltar em Costa Marques. O meu amigo Chico Território, filho deste lugar, em conversa informal me falou que o Carnaval em Costa Marques perpassou significativas alterações quanto à forma e estilos de brincar. No seu tempo de carnavalesco costamarquense, existiam blocos protótipos de Escolas de Sambas que adentravam as arenas (quase sempre um terreiro, um quintal, uma rua enfim, um lugar preestabelecido na época da Costa Marques bem mais subdesenvolvida), ostentando fantasias, temas e obedecendo a regulamentos. Depois deste espetáculo o povo caia na folia ao som das marchinhas noite adentro até ao amanhecer. Não existiam confusões durante as quatro noites de comemoração que antecediam as quartas-feiras de cinzas.

Depois, segundo Chico Território, o Carnaval como outras manifestações folclóricas, em especial a brincadeira do “Bumba-meu-boi”, em Costa Marques, passou por um período de quase hibernação, de adormecimento. Indagado sobre o porquê, disse que escassearam organizadores com algumas características comportamentais para o sucesso do evento, isto é, faltaram pessoas com motivação, comprometimento, dedicação, disciplina, etc., para passar confiabilidade e fervor ao povo. Foi, já, como político detentor do mandato de vereador, a partir de 1989, que conseguiu reacender o ardor dos costamarquenses pelo Carnaval. Daí, aos poucos, o evento foi melhorando a cada ano.

Com o surgimento das ideias novas dessa atual geração, que conseguiu passar sua paixão pelas manifestações culturais do lugar, indagado por nomes mencionou os seus sobrinhos Cliuson Torres e Clebson Gonçalves (Cle), Orlando Nascimento, Tânia (pretinha), entre outros, o carnaval de hoje, em Costa Marques, desponta entre os melhores do Estado de Rondônia. Ganhou destaque a partir da criação e exibições já há 19 anos, da Escola de Samba “Unidos do Guaporé” nas noites de terças-feiras de carnaval.

A Escola Unidos do Guaporé, ao longo de sua existência, vem valorizando e revivendo a cultura deste lugar com temas incluindo os mitos, símbolos, ritos, crenças e todo um conjunto de conhecimento de autoafirmação do que é o povo costamarquense. A identidade de um povo está na sua cultura. Conhecer as diversas culturas é sapiência, mas deixar morrer a própria é indolência. Disso está cônscia a “Unidos do Guaporé”.
O estilo do nosso carnaval é o de rua. Durante as três noites os foliões sem ou com máscaras, com ou sem fantasias, transformam o asfalto em verdadeiro sambódromo e vão até ao amanhecer pulando ao som de samba, marchinha, sertanejo, frevo, entre outros. Não se pode negar que são dias em que Costa Marques fica mais colorido e alegre com a criatividade dos organizadores do evento fazendo aflorar a adrenalina dos foliões.

O Carnaval, como em todas as partes, aquece a economia do lugar. Como já se tornou conhecido, atrai centenas de visitantes, e nas quatro noites, vendedores ambulantes e barraqueiros transformam o local num grande comércio que oferece para o público presente, opções de bebidas e comidas bem ao gosto dos visitantes e dos costamarquenses. São sem dúvidas, oportunidade que o Carnaval propicia para melhorar a renda de muitos, chegando alguns a ganhar durante o evento, o que não conseguem ganhar o ano inteiro.

Venha visitar Costa Marques no período de Carnaval. Além da excelente opção de divertimento para o feriadão dançando um animado Carnaval de rua, você pode se deliciar da natureza exuberante do lugar. A cidade dispõe de bons hotéis e pousadas oferecendo acomodações com conforto e bem-estar, bem como uma exótica culinária miscigenada com as comidas típicas bolivianas como a patasca, o cunhapé, o lôcro, o massaco e o peixe no molho, frito ou assado que só nas cozinhas costamarquenses se prepara com singular perícia.

Venha passar o Carnaval em Costa Marques e guarde momentos inesquecíveis!

Prof. Carlos Alberto.

Fonte - prof. Carlos Alberto

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.