News Rondônia Notícias de Rondônia, Brasil e o Mundo
Sabado, 28 de Novembro de 2020

'HERÓI', DIZ MULHER SOBRE MENINO DE 06 ANOS MORTO AO SALVAR IRMÃ DE ESTUPRO

A vizinha foi quem recebeu o primeiro pedido de socorro da menina e do próprio suspeito, que alegava que a criança havia sido atacada por uma onça.
Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015 - 17:38

"Ele é um herói, morreu para defender a irmã". A declaração é da mulher que tentou salvar a vida do menino de seis anos morto com uma facada ao socorrer a irmã, de oito, que seria estuprada, na Vila de Samuel (RO), a 50 quilômetros de Porto Velho. O suspeito do homicídio e do estupro foi retirado de uma viatura da Polícia Militar e espancado até a morte por cerca de 300 moradores da comunidade. Os crimes foram cometidos na última terça-feira (21).

A mulher, que prefere não se identificar por medo de represálias, é uma das moradoras do assentamento Jequitibá, a 25 quilômetros da vila, onde o menino morava junto com os pais e a irmã. A vizinha foi quem recebeu o primeiro pedido de socorro da menina e do próprio suspeito, que alegava que a criança havia sido atacada por uma onça.

"Ouvi uma voz de criança pedindo socorro junto com ele [o suspeito]. Perguntei o que tinha acontecido e ele disse que uma onça tinha tentado matar o menino. Desconfiei, mas aqui tem muita onça. Saí correndo ao encontro da criança e quando eu cheguei na casa, o menino já estava todo ensanguentado", relata.

Como os pais das crianças estavam na vila, a mulher e mais três vizinhos tentaram achar um carro para levar o menino até um posto de saúde e aqueceram o garoto com sacos plásticos. "Enquanto isso, ele [suspeito] ficava falando 'o que ele tinha feito da vida dele' e correu para o igarapé. Ele não queria entrar no carro, mas eu o obriguei, porque se ele tinha trazido o problema, ele iria com a gente", disse.

Ela conta que o suspeito também não queria deixar a irmã da vítima ir junto no carro, mas os vizinhos decidiram levar todos. "Jogamos ele dentro do carro e pegamos as crianças. Eu não sabia o que fazer, não sabia o que tinha acontecido. Quando entramos no carro, pedi a Deus para que o menino vivesse porque só ele poderia dizer o que tinha acontecido."

A testemunha diz que perguntou à menina a real história, mas a criança contou apenas que estava dentro do quarto e não viu nada. Quando o grupo chegou à vila, o menino foi levado até o posto de saúde, mas já estava sem vida. Os vizinhos foram ao encontro dos pais das crianças. Ao ver a mãe, a garota mudou a versão revelada à vizinha.

"Ela contou na frente de todo mundo que o menino pegou um pedaço de pau e pulou em cima do homem para salvá-la de uma tentativa de estupro. Quando ela contou, juntou um monte de madeireiro e a confusão estava solta", disse. A polícia foi chamada e suspeito foi preso.

Com o homem já no carro da PM, quando os agentes transitavam pela vila, a viatura foi bloqueada por dois caminhões. Neste momento, cerca de 300 moradores, armados com pedras e pedaços de pau, avançaram sobre o veículo para linchar o suspeito.

O linchamento aconteceu em frente ao restaurante de Eunice Campos da Silva. "Tiraram o homem de dentro da viatura. Eram quatro policiais contra mais de 300 pessoas. Se eles tentassem fazer alguma coisa, poderiam ser linchados", afirmou a comerciante.

O suspeito foi espancado até a morte. Segundo um morador da vila, que também não quer se identificar, o homem levou uma pedrada na cabeça e foi esfaqueado, antes de ser espancado. "Ele não tentou se defender", contou.

Todos os moradores entrevistados contaram que o suspeito não era conhecido na vila e que havia chegado à comunidade há cerca de 30 dias. Segundo a Polícia Civil, o suspeito tinha passagens pela polícia, inclusive por homicídio. Um inquérito será aberto para apurar o espancamento e a morte do homem. O irmão do suspeito e outras testemunhas foram ouvidos na Delegacia da Polícia Civil de Candeias do Jamari (RO) na manhã desta quarta-feira (22).

Luto

O fato chocou a Vila de Samuel e o assentamento Jequitibá. Moradores assustados preferem não comentar o que aconteceu. A escola da comunidade está fechada, em luto, até o dia 27 de julho. "Ele vai ser pra sempre nosso herói. A escola não vai medir esforços para prestar homenagem ao nosso pequeno porque ele merece, ele lutou", desabafa a diretora da Escola Municipal Mário Covas, Mara Regina.

As duas crianças estudavam no colégio, no 1º e 3º anos do ensino fundamental. Segundo a diretora, o menino era um aluno alegre e estudioso, que será homenageado na primeira semana de aula, em agosto. "Ontem a vila viveu um filme de terror. A menina está em estado de choque, não chora nem fala", disse Mara.

Fonte - G1/RO

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.