News Rondônia Notícias de Rondônia, Brasil e o Mundo
Domingo, 29 de Novembro de 2020

PIRARUCU & CAMARÃO: PREFERIDOS E SUSTENTÁVEIS

Continuamos sendo questionados nos últimos dias por que o Governo do estado de Rondônia não tem incentivado a criação de camarão, em níveis governamentais e de propriedades rurais, com objetivos econômicos e em escala comercial?
Sabado, 18 de Julho de 2015 - 11:04

Prezados amigos e assíduos leitores desta Coluna ESPINHA NA GARGANTA, após um rápido período de recesso – enquanto eu tirei umas rápidas férias, todos pensavam que estivesse descansando, mas na verdade eu costumo quebrar e carregar pedras e ‘estou aqui de regresso’ para contar sobre as últimas, no âmbito da pesca e aquicultura.

Nestes últimos dias estivemos no estado do Ceará quando realizamos um minucioso levantamento das potencialidades do cultivo semi-intensivo e intensivo do camarão da espécie Litopenaeus vannamei, com vista a sua implementação no estado de Rondônia.

Continuamos sendo questionados nos últimos dias por que o Governo do estado de Rondônia não tem incentivado a criação de camarão, em níveis governamentais e de propriedades rurais, com objetivos econômicos e em escala comercial?

A nossa resposta tem sido sempre a mesma: tem que perguntar para o Governador Confúcio Moura.

Aproveitamos este espaço para agradecer e reconhecer, de público, a determinação e o empenho que o Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agrononia do Estado de Rondônia – CREA-RO, na pessoa de seu presidente, Engº Nélio Alencar, que vem dando total apoio para o setor primário, com ênfase especial para a aquicultura, quando a piscicultura (peixe) e a carcinicultura (camarão) vem recebendo incentivo, por considerar que estes setores se despontam com aptidões e significativos potenciais para contribuir com a geração de emprego e renda, produção de alimento para atender a demanda crescente de alimento para atender as demandas alimentares  da região e do Brasil, com distribuição de renda, inclusão social, segurança alimentar e autossustentabilidade das populações tradicionais ribeirinhas e de etnia silvícola.

Na maioria dos países asiáticos o cultivo intensivo e superintensivo deste camarão do pacífico (Litopenaeus vannamei) tem alcançado uma produtividade superior a 20 toneladas/ha, a cada 95 dias de cultivo, enquanto no Brasil a média ainda se situa em torno de 4,0 ton/ha, a cada 100 dias de cultivo. Pesquisas realizados acenam com  esperanças de triplicar esta produtividade, a médio prazo, com o incremento do know-how tecnológico, com melhoria no manejo, utilização de probióticos, melhoria na formulação de ração e aperfeiçoamento nos sistemas de aeração e de reuso da água.

Com este Curso Básico Cultivo Intensivo de Camarão e Pirarucu na Amazônia que será realizado em Porto Velho, no período de 24 a 29 de agosto de 2015, estaremos oportunizando aos interessados, extensivos aos profissionais que atuam em entidades governamentais e não governamentais, produtores rurais, piscicultores e empresários do setor primário para iniciar uma nova atividade primária — cultivo de Camarão do Pacífico (Litopenaeus vannamei) em suas propriedades rurais — que vem se despontando no cenário aquícola nacional como um excelente potencial e perspectivas promissoras para se aproveitar racionalmente suas propriedades rurais.

Por outro lado, pretende-se, também, se difundir tecnologia aquícola e gerencial para se aprimorar as técnicas de cultivo da espécie pirarucu (Arapaima gigas, SHINZ, 1822)  passando, necessariamente, pelos estágios de reprodução natural, cultivo semi-intensivo e intensivo, beneficiamento, conservação, acondicionamento, transporte e comercialização.

Este Curso Básico é na verdade a complementação do  Cultivo Intensivo de Camarão em Água Doce, realizado em Porto Velho no período de 26 a 31 de janeiro de 2015, contando com a indispensável parceria do CREA-RO, do IBAPE-RO, da PACAAS ENGENHARIA Ltda,  do Sistema OCB/SESCOOP-RO e das demais entidades de classe que compõem o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Rondônia.

Curso Básico CULTIVO INTENSIVO SOBRE CAMARÃO E PIRARUCU NA AMAZÔNIA tem uma carga horária de 30 horas/aula e será divido em três módulos:

PRIMEIRO MÓDULO:

Caracterização do Produto: Um amplo estudo bibliográfico sobre as espécies de camarão do Pacífico (Litopenaeus vannamei) e Pirarucu (Arapaima gigas, SHINZ, 1922),   incluindo subsídios para:

Sistema de Produção para Cultivo Semi-Intensivo de Camarão em Rondônia

Sistema de Produção para Cultivo Intensivo de Camarão em Rondônia;

Sistema de Produção para Cultivo Semi-Intensivo de Pirarucu em Rondônia

Sistema de Produção para Cultivo Intensivo de Pirarucu em Rondônia.

SEGUNDO MÓDULO:

Operações que compõem os Sistemas de Criação  

Planejamento

Local

Construção

Espécie a Cultivar

Técnica de Criação

Alimentação

Administração

Recomendações Técnica

TERCEIRO MÓDULO:

Aula prática em um Projeto da Região

Entrega de Certificados

Almoço de Confraternização.

ONDE E COMO PARTICIPAR DESTE CURSO?

Se você, amigo leitor, tem uma pequena propriedade rural e interesse em aproveitar racionalmente o potencial aquícola de sua área, pode e deve participar deste evento: Curso Básico Cultivo de Camarão e Pirarucu na Amazônia, no período de 24 a 29 de agosto de 2015, no Auditório do SINDUSCON, no horário de 19h:30 às 22h:30, de segunda-feira a sexta-feira, e no sábado, dia 29, terá uma aula prática, em Porto Velho.

Caso você tenha interesse em participar deste Curso Básico CULTIVO INTENSIVO SOBRE CAMARÃO E PIRARUCU deve procurar falar com Antônio de Almeida, através do WhatsApp (69) 9220-9736 e Luisa Cabral, (69) 9200-8124. As instituições públicas e privadas e pessoas interessadas em participar deste evento devem providenciar suas respectivas inscrições ou reservas, com antecedência, no seguinte endereço: Avenida 7 de Setembro, n° 2159, Galeria STAR, ao lado do Lanche 15, Sala 4, no horário comercial.

EXPERIÊNCIAS DOS INSTRUTORES

Os instrutores do Curso Básico CULTIVO INTENSIVO SOBRE CAMARÃO E PIRARUCU NA AMAZÔNIA são profissionais com vasta experiência em aquicultura no Norte e Nordeste do Brasil e veteranos em suas respectivas áreas de atuações:

Quando compararmos o custo/benefício do camarão do Pacífico (Litopenaeus vannamei) com o cultivo de tambaqui (Colossoma macropomum, 1818) no estado de Rondônia se pode constatar: enquanto o retorno do cultivo de tambaqui em Rondônia gira em torno de 12%, o cultivo do camarão do Pacífico (Litopenaeus vannamei) pode atingir um retorno de até 100%.

Convite aos navegantes: No encerramento do evento a coordenação do evento anuncia em primeira mão que estará sendo servido um farto almoço aos participantes e convidados tendo como cardápio o dito cujo ‘camarão do pacífico’, elaborado por especialista em culinária regional à base de pescado, com os seguintes pratos:

Pirarucu ao molho escabeche de camarão;

Bobó de Camarão com molho de frutas regionais;

Pirarucu ao molho de camarão.

PENSAMENTO DO DIA

Quem tem compromisso real com a piscicultura de Rondônia busca o melhor para promover o desenvolvimento e a consolidação da atividade sem ter a preocupação em levar vantagens pessoais: com competência, dedicação, eficiência, eficácia, probidade, responsabilidade e lealdade.

Antônio de Almeida Sobrinho escreve semanalmente nos seguintes Portais de Notícias:

www.rondonoticias.com.br
www.gentedeopiniao.com.br

www.newsrondonia.com.br
www.emrondonia.com.br 
www.quenoticias@com.br
www.efato.rondonia.com.br

e no Blog ESPINHA NA GARGANTA.

Fonte - Antônio de Almeida Sobrinho

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.