News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2021

HOSPITAL DEVE PAGAR R$ 250 MIL PARA FAMÍLIA DE GESTANTE QUE MORREU AO SER LIBERADA COM INFECÇÃO

Santa Casa de Montes Claros foi condenada a indenizar em R$ 50 mil as cinco filhas da vítima
Quarta-Feira, 08 de Julho de 2015 - 15:27

A Santa Casa de Montes Claros foi condenada a indenizar uma família em R$ 250 mil por negligência médica no atendimento a uma mãe que estava grávida da sexta filha e acabou morrendo dias depois de ter sido liberada pelo hospital.  

A Justiça considerou que houve negligência no atendimento à mulher, que passava por uma gestação de alto risco e perdeu a criança por não receber o atendimento adequado. A paciente, de 24 anos, foi parar na UTI e morreu uma semana depois.  

Segundo o processo, a gestante fez uma consulta no Hospital Universitário Clemente de Faria quando estava no terceiro mês de gestação em junho de 2006. Dias depois, com a gravidez de alto risco, sentiu fortes dores abdominais e começou a perder líquido amniótico. Ela voltou ao hospital e foi transferida para a Santa Casa.  

A médica de plantão receitou um analgésico, solicitou um ultrassom e a liberou, apesar do sangramento e da perda do líquido. Em casa, a situação piorou e, de volta à Santa Casa, a paciente foi internada e sofreu um aborto espontâneo. Em estado grave, ela foi levada para a UTI do Hospital Aroldo Tourinho, onde foi verificada infecção no útero e nos rins. A jovem não resistiu às cirurgias e morreu no dia 26 de junho, deixando cinco filhas pequenas.  

No processo, a Santa Casa de Montes Claros explicou que a paciente já deu entrada com quadro de infecção grave e que a evolução do problema não foi causada por negligência.  

Em primeira instância, o juiz Richardson Xavier Brant fixou o pagamento em R$ 80 mil. As partes recorreram e a 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça decidiu aumentar a indenização para R$ 250 mil, sendo R$ 50 mil para cada filha da paciente. Para o relator,  desembargador Otávio de Abreu Portes, o valor se justifica pelo “dano moral  diante da dor a ser suportada por crianças que perderam a mãe ainda muito jovem”. 

Fonte - r7

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.