News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quarta-Feira, 27 de Janeiro de 2021

LENHA NA FOGUEIRA: TEATRO PALÁCIO DAS ARTES RONDÔNIA

Acontece em tudo quanto é teatro do mundo, após o TERCEIRO TOQUE as portas se fecham e não entra mais ninguém. Segundo as normas teatrais, essa atitude é para que os atores que estiverem em cena, não se distraiam e esqueça o texto ou a posição antecipadamente marcada.
Quarta-Feira, 08 de Julho de 2015 - 09:37

Alerta aos colegas jornalistas que forem pautados, para cobrir as apresentações no Teatro Palácio das Artes Rondônia e Guaporé.


Aliás, em todos os teatros da cidade, do estado e do Brasil.


Procurem chegar muito antes do inicio das apresentações, para as reportagens, entrevistas etc.


Acontece em tudo quanto é teatro do mundo, após o TERCEIRO TOQUE as portas se fecham e não entra mais ninguém. Segundo as normas teatrais, essa atitude é para que os atores que estiverem em cena, não se distraiam e esqueça o texto ou a posição antecipadamente marcada.


Melhor dizendo, é para não tirar a atenção do ator, do músico, do poeta, do humorista, ou seja, lá de quem for que esteja no palco.


To cansado de ver gente perder um espetáculo no Teatro 1 do Sesc Esplanada por ter chegado e a porta já estar fechada.


Com raríssimas exceções, a produção do espetáculo deixa uma pessoa entrar após o inicio da peça. Assim mesmo, com todo cuidado ao abrir a porta para que a claridade não interfira na cena.


Mesmo assim, se a equipe de reportagem já estiver dentro do teatro e a peça já em ação, não se deve filmar (com a luz da câmera acesa) pelo mesmo motivo, não roubar a atenção dos atores.


Nada de bater foto utilizando flash. Celular ligado nem pensar. Sair para o banheiro só se for em último caso mesmo.


É claro que toda regra tem exceção. Por exemplo, num espetáculo humorístico os produtores muitas vezes permitem a entrada de pessoas após o inicio, mesmo assim pedem para que não tirem fotos utilizando o flash da máquina.


Os repórteres ou gravam suas matérias muito antes do inicio do show lá no camarim ou então após o espetáculo (é o mais correto). Não se deve subir no palco para entrevistar artista. As reportagens devem ser feitas no camarim. A não ser que o ator queira atender a imprensa no palco, aí são outros quinhentos.


Esse alerta, é porque no show da orquestra Villa Lobos no último final de semana, a equipe de reportagem de um canal de televisão local, armou o maior barraco na portaria do Palácio das Artes porque queria, porque queria, entrar quando o espetáculo já estava em andamento e a porta do teatro já estava fechada.


“Se não fosse a gente o alvará dessa “merda” não teria saído”, bradava um membro da equipe de reportagem apontando o dedo na cara o presidente da Funpar.


É a famosa carteirada que no caso de espetáculo teatral, não funciona, após a porta ser fechada!


Ainda mais com a casa lotada do jeito que estava na apresentação da orquestra Villa Lobos.


Agora vem ai, o show do Coxinha (Hiran Delmar) marcado para acontecer no Teatro Palácio das Artes Rondônia no próximo dia 18.


Da outra vez que ele veio aqui, foi impedido de apresentar o show porque o teatro não tinha Alvará. Agora tem Doquinha!


Quem sabe, a produção do Hiran Delmar permita que a porta fique aberta após o inicio do espetáculo. No show que ele apresentou na Unopar as portas ficaram fechadas e ele atendeu a imprensa após terminar o espetáculo.


Vamos nos adequar as normas ou tradições dos teatros de todo o universo. Tocou a Terceira, as portas são fechadas. Comprar ingresso antecipado não garante a entrada após o inicio do espetáculo!


Quer ficar a vontade? Vai pro Arraial Flor do Maracujá bater foto de quadrilha e boi bumbá; Ali os portões são abertos do começo ao fim do espetáculo.


Por falar nisso, hoje a grande atração no Flor do Maracujá é a quadrilha Girassol das Três Marias e de quebra o boi bumbá Marronzinho! 

Fonte - Zé Katraca

Comentarios

News Destaques

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.