UMA LEI QUE N肙 PROTEGE AS MULHERES DA COVARDIA

揙 que isso, companheiro?, perguntou o governador Conf鷆io Moura , em seu Blog, ao prefeito Mauro Nazif. Afinal, s鉶 companheiros ou advers醨ios?
Quarta-Feira, 24 de Junho de 2015 - 08:47

Geiziane Santos, de 32 anos, estava apavorada. Cinco vezes já tinha registrado queixa na polícia contra seu ex marido, que ameaçava matá-la constantemente. Nunca teve segurança, apoio, proteção. Na noite da última sexta, sozinha em casa, ela foi atacada quando estava no banho. Um estranho invadiu sua residência e a matou a tiros. Até ontem não havia pista do suspeito, apenas uma linha de investigação seguida pela polícia de que o crime era encomendado. O caso de Geiziane é sintomático. Ele ocorreu aqui em Rondônia, na cidade de Monte Negro, mas poderia ter acontecido em qualquer localidade do Estado ou do país. A famosa Lei Maria da Penha, entenda-se, tem muito mais fama do que eficácia. Veio para proteger as mulheres. Mas como? Depois que elas são assassinadas (são cinco mil mortas anualmente, no país), de que adianta protegê-las? Quando mulheres apavoradas com as constantes ameaças que recebem vão à polícia pedir ajudar, raramente conseguem. Com poucas exceções, a polícia só age depois do crime praticado. Não importam os argumentos, isso é um absurdo. O simples fato de uma ameaça de morte já deveria caracterizar delito suficiente para colocar o vilão na cadeia. Esperar que ele cumpra a promessa para só depois agir, é daquelas coisas inacreditáveis que só acontecem mesmo na legislação brasileira.

Todos os dias, centenas de mulheres são agredidas covardemente, feridas e até mortas em todos os cantos do país, por covardes machistas, que, no geral, ainda saem ilesos. Se apenas 10 por cento dos assassinatos são esclarecidos e os culpados punidos, quando se trata de crimes contra mulheres indefesas, os percentuais não são muito diferentes. Tem que se aperfeiçoar a Lei Maria da Penha. Porque, se não o fizermos, as Geizanes do Brasil vão continuar sendo vítimas dessa desgraça machista.

A NOVA EXPOVEL

Durante quase uma década, a Expovel de Porto Velho se transformou numa das maiores feiras agropecuárias do norte do país. Negócios, grandes shows com artistas nacionais; rodeio internacional e recordes de público marcaram a fase da feira, que foi extinta no governo Confúcio Moura. Agora, ela está prestes a voltar. Secretários da Agricultura do Estado e da Prefeitura da Capital, Evandro Padovani e Leonel Bertolin, lideram grupo que começa a tratar da futura exposição. Não é certo que será ainda no Parque dos Tanques, local tradicional. Será em setembro. O nome vai mudar. Não será mais Expovel. Mas ainda não há uma denominação definida.

OS DOIS LADOS DO SHOW

Nesta quarta, Porto Velho assistirá a dois espetáculos. Um deles, excepcional. O outro deprimente. O positivo é o Russian  State Ballet, que vai apresentar O Lago dos Cisnes, um daqueles momentos da vida cultural da cidade que se tornará inesquecível. O espetáculo será na Casa de Show Talismã. E ainda bem a Capital tem uma casa como essa, que pode abrigar uma apresentação de um dos mais importantes grupos de Ballet do mundo. Aí entra o espetáculo deprimente. Porto Velho tem um teatro espetacular, que levou mais de 20 anos para ficar pronto e que é, em si mesmo, um grande espetáculo. Mas não poderá ser o local do ballet russo. Porque não tem alvará de funcionamento. Deprimente!

ESCURO TOTAL

Outra questão que parece não ter jeito mesmo é o da Praça Madeira Mamoré, símbolo maior da nossa história. Além de ter virado ponto de encontro de drogados, vagabundos, ladrões e desocupados em geral, o local está em completa escuridão. Várias pessoas que por ali passaram, no final de semana, registraram cenas de abandono, desrespeito, brigas e, claro, praticamente tudo às escuras. Muitos porto velhenses que iam à Praça para assistir o belíssimo por do sol no rio Madeira, já desistiram, porque quando a noite começa a descer, é como se os vampiros saíssem às ruas para atacar. Vergonha é pouco, para se falar sobre o que acontece ali...

AGORA É COM A CAERD

Decididamente, Governo do Estado e algumas Prefeituras não estão falando a mesma linguagem. Depois do rolo do Teatro na Capital, que não pode ser usado por falta de alvará municipal, agora foi a vez de Jaru trazer à tona um conflito bem mais sério. A Secretaria do Meio Ambiente da cidade aplicou uma multa milionária (4 milhões e 400 mil reais) na Caerd, que é uma estatal. O motivo alegado: a Caerd estaria descartando água com produtos químicos (lodo) em galeria de redes fluviais, que leva direto ao rio Jaru, há mais de 20 anos. Com isso causa danos ambientais e sociais. Uai, mas nesse tempo todo ninguém sentou pra conversar e resolver o problema?

PARECE INACREDITÁVEL!

Se fosse há alguns meses atrás, quem se atreveria a dizer que o ex Presidente Lula poderia ser batido nas urnas? Pois todos os escândalos que estão envolvendo o governo do PT e seus aliados começaram a atingir Lula e sua popularidade em cheio. Tanto que pesquisa do respeitado instituto DataFolha informa que, se a disputa pela Presidência fosse hoje, o eleito não seria ele, mas sim o tucano Aécio Neves. O mesmo que perdeu a eleição para o PT e para Dilma Rousseff há apenas sete meses. Pela pesquisa, Aécio ganharia com dez pontos percentuais à frente de Lula. Não é incrível?

PERGUNTINHA

“O que é isso, companheiro?, perguntou o governador Confúcio Moura , em seu Blog, ao prefeito Mauro Nazif. Afinal, são companheiros ou adversários?

Fonte - S蒖GIO PIRES

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.