DIREITO A INFORMAÇÃO

Os atos dos homens públicos devem estão sujeitos à opinião pública e todas as vezes que se tentar coibir a publicidade de atos que merecerem o conhecimento público, com certeza estar-se-á acobertando atos espúrios.
Sexta-Feira, 12 de Junho de 2015 - 16:44

Por DOMINGOS BORGES DA SILVA

Desde 1999 que procurei elaborar Artigos e publicar em Jornais escritos e hoje com a facilidade da INTERNET, através também dos sites de noticias e variedade, além das páginas sociais. Sempre produzi textos com responsabilidades e alicerçados em provas documentais de tudo que escrevi.

É óbvio que para se traduzir um documento para melhor informar o eleitor, em muitos casos temos que empregar conceitos que mais se aproximem do entendimento público, sem com isto fugir da essência dos documentos que serviram de base para a publicação do Artigo que deles originaram.

Ao longo desses anos foram centenas de Artigos e os que pereceram no tempo, mesmo assim, muitos documentos ficaram arquivados em mídia eletrônica para refutar eventuais tentativas vãs de tolher do povo o conhecimento daquilo que devem conhecer, especialmente quanto se trataram de atos públicos, cuja publicidade não está obstaculizada pelo princípio constitucional da vida privada e do direito a imagem.

Os atos dos homens públicos devem estão sujeitos à opinião pública e todas as vezes que se tentar coibir a publicidade de atos que merecerem o conhecimento público, com certeza estar-se-á acobertando atos espúrios.

A verdadeira Justiça não alberga ilicitudes nem tão pouco cerceia a ampla publicidade dos atos que devem ser de conhecimento do público em geral, até mesmo para dar eficácia plena de suas decisões, porque os atos da administração pública em geral devem ser públicos, salvo aqueles que constitucionalmente já é assegurado o sigilo, para assim se resguardar a intimidade e vida privada das pessoas, mas os despachos, decisões e acordos firmados perante a Justiça têm o seu caráter público, e suas publicidades é constitucionalmente obrigatória.

Sempre alicerçado em provas documentais e ciente das minhas limitações no direito de informar, jamais hesitarei em dar conhecimento ao povo de tudo aquilo que deve ser do seu conhecimento, ainda que não seja para agradar aqueles que acham estarem acima da lei, até porque nem Jesus Cristo agradou a todos!

PORQUANTO, QUEM QUISER ME PROCESSAR QUE PROCESSE, VAI TER DEFESA E RECONCONVENÇÃO, QUANDO FOR O CASO, ALÉM DENUNCIAÇÃO CALUNIOSA, POR TANTO QUANTOS FOREM OS CRIMES QUE ILEGALMENTE TENTAREM ME IMPUTAR!

Anexos documentos que falam por si mesmos.

Fonte - Domingos Borges da Silva

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.